18 março 2010

Poesia de quinta


Inatingível te fizeram
Sobre um altar te puseram
Fizeram de ti um deus
O deus da soberba e da autossuficiência

Ninguém teve a audácia que tive
Ninguém ousou tirar a coroa dourada que repousava em tua cabeça
Ninguém quis te aplacar
Te enfrentar

Você não me mete medo
Não me reprime
Na tua cara eu cuspo
A tua autoridade não causa efeito algum em mim
As tuas regras, eu quebro
Nos teus mandamentos, desmando

Precisas saber que tua majestade é um erro
Que a tua autossuficiência é uma farsa
Que tua empáfia nada mais é do que medo e fraqueza disfarçados

De você, sinto pena
Pena que você nunca mereceu
Mas meu lado humanoide não foi congelado ao longo desse tempo
Por aqueles acontecimentos

A vida lateja em minhas veias
Dói
Incomoda
Mas é a certificação de que meu coração bate
E sim, ele ainda está inteiro

Você não me destruiu, falso cavalheiro!

(Erica Ferro)



P.s: Poesia de quinta? Sim, porque hoje é quinta-feira, não é? Se é de quinta, em relação a qualidade, só quem lê é que pode dizer. Para mim, são sentimentos maquiados e revolta de modo metafórico e indireto. Não há porque ser tão clara; às vezes se percebe tudo à meia luz.
(...)
Não disse que estava de volta realmente? Pois é! As coisas do blog, finalmente, estão em ordem: comentários e visitas retribuídas, voltei a acompanhar quase que fielmente os quase duzentos blogs que acompanho, enfim... Amo muuuuuito toda essa blogosfera, de verdade! Vocês me fazem muito bem. Só tenho a agradecer.
Aquele abraço da Erica Ferro.

22 comentários:

  1. Poxa, muito intenssa essa poesia, hein? eu gosto quando você escreve assim, tão decidida! o/

    e adorei o trocadilho poesia de quinta hauhshauhsuha

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. sim, um texto cheio de sentimentos, é não tem porque explicar se podemos sentir a emoção de cada palavra.

    ResponderExcluir
  3. Destilou todo o seu veneno; intimista! Adorei o "poema de quinta" que de quinta só tem o dia, porque a categoria está alta!

    Beijos
    ;*

    ResponderExcluir
  4. Valeu.......

    Já to seguindo.

    Bjinhos.

    Mone

    ResponderExcluir
  5. Oolá, querida Érica!

    Quanto tempo, não? Rs'

    Bela poesia... mesmo que tenha vindo da inspiração de um sentimento tão ruim que é a frustração de ter confiado em alguém que não merecia. O melhor de tudo é que você soube analisar os ocorridos e por isso não sofreu em maior escala. O ser humano é um ser realmente muito complexo, muda de uma hora pra outra. >.<

    Bom poder voltar aqui! ( :

    ;*

    ResponderExcluir
  6. Adorei!! a poesia e seu retorno de verdade!! rs

    bom fds!

    bj

    ResponderExcluir
  7. E vc como sempre arrebentando nas poesias. abraço!

    ResponderExcluir
  8. Autosuficiência é sempre necessariamente ilusão...

    é fácil observar que tudo pelo menos na terra, está conectado em tudo... logo, logicamente, tudo influencia em tudo, umas conexões influenciam mais, outras nem tanto... mas tudo influencia... nada está realmente desconectado e livre de influências.

    Algo só pode ser autossuficiente, se depender apenas de si, se as variáveis que definem o que é suficiente ou não vierem todas de si mesmo... e no mundo, meus olhos ainda não avistaram algo parecido...

    hehehe


    muito boa as colocações de toda a poesia... eheheh... rsrs

    até o cuspe... rsrs hauahauah

    ResponderExcluir
  9. Não é de quinta, é de primeiríssima qualidade!
    Expor sentimentos é dificil, mas depois dá um alivio, né?

    Gosto demais de teus poemas.
    Torço para que sempre encontre um tempinho para essa sua fã deleitar-se com eles

    :D

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Convite para ler

    O livro "Continuando assim...", foi maltratado...

    Resolvi por isso, e porque tanta gente não encontra o livro onde deveria estar (nas livrarias), recontar a história , lá no
    …. Continuando assim…

    Vamos em metade da história, o livro reescrito , não está igual (nem podia) ao que foi editado.
    Um obrigada especial a quem segue (pois só vale a pena assim).
    A quem chega de novo, umas boas vindas sinceras. E outro obrigada .

    Mais uma reflexão em relação a todo este assunto, e um conselho, se é que me é permitido:

    --- quando vos pedirem dinheiro para editar as vossas palavras, simplesmente digam que não ---
    Bj
    Teresa

    ResponderExcluir
  11. Poesia de primeira!

    Daquelas que fazem um bem danado à alma.

    Parabéns guria, vc está se superando a cada dia!

    Beijinho!

    ResponderExcluir
  12. De quinta???
    Não!!! De primeiríssima qualidade!!!
    Senti falta das tuas poesias...
    E essa...
    Cheia de verdades e sentimentos...
    Adorei!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Ericona,

    Eu não tenho talento algum para escrever poesia, e quase nenhum para interpretar, confesso. Mas acho bonita e válida toda a forma de expressão, e não, não é de quinta, viu?

    Que bom que está de volta, de fato! ^^

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  14. ai, adorei! muito boa.
    poesia de quinta nada, poesia de quinta vai ser uma que eu vou fazer sobre geografia, acredita que eu tenho que fazer sobre isso? hahaha ._.

    ResponderExcluir
  15. nossa, 200??? que isso!!! um dia chego lá... kakakakakakaka... mas realmente, ando achando difícil manter tudo atualizado com os poucos que eu sigo... mas tudo bem, nós, blogueiras e blogueiros sempre arrumamos um jeitinho.. xD
    bjsss

    ResponderExcluir
  16. "Nos teus mandamentos, desmando".
    Perfeito! Claro que não é uma poesia de quinta. Só se for de quinta-feira mesmo, hehehe!!
    Bjooooooo!!!

    ResponderExcluir
  17. Amei sua poesia, e de quinta só tem o nome ^^
    Parece muito com o texto que acabei de fazer.
    Adorei *-*

    ResponderExcluir
  18. Erica,

    A poesia é de quinta pq é foi de quinta-feira, mas não é de quinta qualidade..

    Sobre o seu 'P.S'...Aos poucos vc volta. Sempre te espero.

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. A gente só se entende no meio da confusão,não é? ~

    aaaaaaah, seu blog é linda e merece muuuuitas visitas *_*


    -
    Beeijinhos :)

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?