20 março 2010

O maior que um dia você já encontrou

Despertaste um lado sombrio em mim
Lado gelado
Espinhoso
Ruim

Tenho vontade de fazer o melhor que eu posso
E me exibir em sua frente
Não por ver sua cara de contente
Aprovando o meu desempenho
Quero ver você com raiva
Lamentando o que perdeu
Chorando lágrimas quentes por meu desprezo
O desprezo que hoje lhe tenho

É, você despertou um lado cruel
Um lado que eu nem sequer sabia que existia
Mas que adorei conhecer

É assim que hoje você me inspira
Tornaste-se meu ódio predileto
Minha insatisfação mais deliciosa
Meu desafeto mais querido
Meu vício mais maldito

Eu te odeio tanto, mas tanto
Que eu poderia matar você com dois beijos de ódio
Dois abraços de rancor
Mas não...
Não quero nada disso!
É só uma farsa
Uma maneira de fugir do que eu sinto

Por mais que eu negue
Que eu tente reprimir
Lhe tenho o amor maior e mais puro que você um dia já encontrou

(Erica Ferro)



P.s: Mais um daqueles que eu não deveria publicar, mas eu publico! Sei que, quem deveria ler, não lerá. Melhor assim!
Não tenho muito o que colocar nesse P.s, só espero que estejam bem e é isso.
Aquele abraço!

23 comentários:

  1. ERICA, cada vez eu me impressiono mais com os seus poemas! UAU, maravilhoso. Parabéns *-*

    ResponderExcluir
  2. Tem pessoas que só ao falar esbanaj delicadeza nas palvras. Assim é a Érica. Digita sentimentos.
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Erica, apresentaste agora mais uma prova do seu mais puro talento. Masceste para escrever, garota e eu, como vários outros leitores, ficamos felizes em saber que descobriste tua arte.
    O que dizer deste poema? Achei-o realmente lindo e sincero e, apesar de apresentar alguma tristesa, esta se reduz quando comparada à sua sinceridade em confessar o fruto deste ódio tão grande.

    Mais do que nunca, te adimiro!
    Beijos!
    (Quero ser assim quando crescer. rsrs) HAHAHA

    ResponderExcluir
  4. Woow... Rs'

    Vemos então o lado sombrio, e nem por isso desapegado, de um amor.
    Forte como uma gelatina, fraco como uma rocha. É bom que ele não leia mesmo... Tenho certeza que essas palavras causariam boas tremedeas nele.

    ;*

    ResponderExcluir
  5. Quem não passou por uma revolta dessas, né? O melhor é que ensina, dói, mas passa, a minha já passou, tudo azul no meu céu agora...
    Aprendi, nessa vida conturbada, que existem pessoas capazes de tudo... tudo mesmo... até dizer o que não sente só para te confundir.

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  6. Adoreeei!

    Eu e tu estamos no mesmo barco, hein?

    E depois disso tu ainda quer que eu me arrisque a fazer um poema? Mas bem capaz, ia ser humilhante demais...

    Sem palavras, ótimo!

    ResponderExcluir
  7. Legal Erica.
    Poesia papo reto essa.
    O amor nascendo da "guerra". O amor que tentamos nos enganar tratando-o como inimigo apesar da afeição.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. MEU! Com certeza esse é o meu favorito até agora! *-*

    Enfim, amor desperta cada coisa na gente, não é? Até um ódio desejado, mas que no fim das contas é só uma máscara... é complexo, triste e grandioso ao mesmo tempo.

    Adorei muito!

    ResponderExcluir
  9. esse poema me lembro muito o poema do "As Dez coisas Que Eu Odeio Em Você", tão lindo e apaixonantemente impressionante quanto *-*

    ResponderExcluir
  10. Ah, Erica, eu preciso de uma ajuda de alguém que ja tenha tempo aqui no blogger e adivinha em quem pensei? rsrs HAHAHA
    A coisa é, eu estava pensando se eu deveria colocar um aviso de conteúdo no meu blog por causa das coisas que eu falo, sabe?
    Porque é uma comédia adulta, não é? Ai eu fico com medo de, sei la, alguém denunciar meu blog. Enfim.
    Porém, o lado ruim é que, com o aviso, as pessoas vão achar que meu blog é pornô e ele esta longe disso! .-.
    Me ajuuda. To em dúvida do que fazer!!!

    ResponderExcluir
  11. Esse amor que de tão grande chega a ser ódio também faz parte de mim. Belo poema, atleta. Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Isso ja aconteceu comigo. Alguém que me fez sofrer, mas depois da dor, veio o odio.
    Despertando o mais puro e raivoso desejo de vingança.
    é, eu me vinguei. hehe
    foi legal até.
    só por ver a cara dele..
    depois veio um pouco de culpa, admito. Mas passou também.
    Hoje acho que fiz certo, e rio muito de tudo.
    Pena (ou ainda bem) que eu realmente não sinto mais nada por ele..

    boa sorte.. com a vida.

    beijones

    ResponderExcluir
  13. Bela máscara! Desse molde todo mundo já se vestiu, fato. A razão caiu em si e o abomina, mas o coração ainda domina.

    Beijos
    ;*

    ResponderExcluir
  14. Caramba, caramba quanto tempo sem vir aqui '-'
    Já me disseram que amor e odio andam juntos, será?! oaspask'
    Posso dizer que amei esse post? *-*
    Beijos Erica

    ResponderExcluir
  15. Nossa, Erica. o_o'
    Não sei o que dizer. O poema é lindo, mas tem uma carga tensa. Fiquei tensa ao ler.
    Fazer o que, só quem consegue transmitir sentimentos para as palavras (são poucas pessoas que possuem o dom), é que fazem isso com a gente.
    Saudade daqui!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  16. Uau!!!
    Que poema...
    Cheio de sentimentos a flor da pele...
    Arrepiante!!!
    Amei!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Huahauahua
    Tenho que dizer que eu também não conhecia esse seu lado malvadinha!

    Às vezes o ódio funciona como um alimento... Mas cuidado! Ele pode ascender ainda mais o AMOR, ao invez de ajudar a esquecer.

    ;)

    ResponderExcluir
  18. Daqueles "eu te amo tanto que chego a odiar" acontece hehe.
    Beijo e aquele abraço!

    ResponderExcluir
  19. eu não a lia faz tempo.
    e me li nisso.
    incrível.

    ResponderExcluir
  20. Às vezes criamos sentimentos para esconder aquilo que realmente sentimos... e pq ter vergonha de amar???

    bjos!

    ResponderExcluir
  21. Não sei se já lhe disse isso, mas se disse, volto a repetir: seus poemas são lindos, parabéns.
    Eu estou seguindo seu blog, pensei que já tava, mas percebi que não.
    bjbj

    ResponderExcluir
  22. Escrever é como parir. Eu acho que deve publicar, sim, sempre.

    Beijo, querida.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  23. Garota, onde você se esconde que nenhuma editora publicou seus textos ainda? :o

    Eu ADOREI isso, muuuito mesmo.
    O amor/paixão (chamem como quiser) é uma coisa muito doida, velho. Você ama e sente raiva ao mesmo tempo (?). Eu senti/sinto isso. Uma vez eu queimei todas as cartinhas que escrevi p uma pessoa (que nunca soube disso) e às vezes eu me pego xingando ele. Tá bem, no seu poema isso fica muito mais bonito, eu é que sou meio exagerada, talvez.

    Ai, amo isso daqui, gente!

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?