12 dezembro 2008

Uma das piores covardias;

"O que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesmo." (Clarice Lispector)


Não há porque desistir de si próprio. Como diria Clarice: 'é imoral desistir de si mesmo.'
A desistência é apetrecho dos fracos e dos acomodados. Desistir de si mesmo, acima de tudo, é morrer tendo vida.
Por que não viver e sofrer as consequências disso?
Naturalmente viver traz consequências. A vida é uma consequência. Um dia você nasceu, em consequência disso, você está vivo agora. E viver resulta em consequências boas ou não. As consequências vão depender do modo com o qual você tem vivido. Desistir de si mesmo, por exemplo, não resultará em algo bom. Resultará numa profunda depressão e disso pode resultar até numa morte. Apesar de você já estar morto espiritualmente, pois morrer espiritualmente, creio eu, que é a pior morte.
O que nos leva à desistir de nós mesmos?
Seria a covardia? O medo de frustar-se com algo? A insegurança ao lidar com o desconhecido?
Não seja medroso, tenha a coragem de viver o que tem para ser vivido. Não tenha medo de se frustrar com algo ou com alguém; as frustrações, infelizmente, fazem parte das nossas vidas. A solução é saber lidar com elas, saber levantar-se depois de uma queda. Todos os dias, sem que percebamos, lidamos com o novo, com o desconhecido. Talvez o desconhecido nem seja tão monstruoso e tão feio assim. Como poderemos saber se ele é ruim ou não se não o conhecemos?
Largue a covardia, o medo e a insegurança. E comece a viver, viver sabiamente, intensamente.
Não seja adepto de uma das piores covardias: a de desistir de si mesmo.

(Erica Ferro)

08 dezembro 2008

Incapacidade;

Hoje me sinto mal. Mal por não conseguir escrever nada. Não consigo organizar as mil e uma idéias que existem em meu cérebro. A verdade é que eu acho que não sei escrever. Eu tenho impulsos de escrever coisas. Quando eles vêm, eu escrevo. Quando eles não vêm, não adianta forçar. Não sai nada, absolutamente nada.
Escrever é algo mágico para quem sabe fazê-lo. Transformar letras em palavras, palavras em frases e frases em marcantes textos.
Hoje me sinto incapaz de escrever qualquer coisa que seja útil para a humanidade.

{Erica Ferro}

06 dezembro 2008

Remédio;

O amor é um sentimento que excede todo e qualquer entendimento. Eu mesma já tentei definir, entender, expressar com precisão, mas foi em vão.
O amor não é algo que o cérebro humano consiga explicar.
O amor é algo excepcional, é algo extremamente especial. Ninguém consegue definir o que é o amor com exatidão. A definição no dicionário sobre o que é o amor é muito simplória, muito pobre. O amor é o sentimento mais nobre que existe, mas que as pessoas, sem querer, estão esquecendo de colocá-lo em prática. E isso se deve à que? Infelizmente, se deve à podridão do mundo, à cobiça, à busca excessiva por poder, é a péssima mania de pensar em si e somente em si mesmo. Esquecemos do amor ao próximo. Sim, o amor ao próximo! Talvez se agíssemos como agiríamos com nós mesmos, o mundo seria um lugar mais pacífico, mais prazeroso, mais bonito e mais humano.
O amor, na sua essência, é tão puro, tão doce. Por que não praticar a filosofia do amor?
Ora, deixe o amor brotar em seu coração, e, assim, verás que o amor é o remédio do qual o mundo precisa.


(Erica Ferro)

05 dezembro 2008

Mundo eriçado de antenas;

"O mundo eriçado de antenas, e eu captando o sinal."
(Clarice Lispector)



O mundo, a vida, a morte... cheios de mistérios; aparentemente, sem algumas respostas para certas perguntas. Mas será mesmo que não há respostas? Como é possível não haver respostas para algo? É como se eu tivesse feito um problema matemático, e para o mesmo não houvesse resultado. Até entenderia a ausência de um resultado se eu tivesse formulado mal o meu problema. Acho que algo só não terá uma resposta se não formularmos bem a pergunta. Tudo deve ter uma razão de ser. Certa música diz que querer entender o sentido de tudo é querer saber demais... Talvez eu queira saber demais. Tenho quase certeza disso. Talvez morra sem entender um terço daquilo que quero entender. Mas minha busca será insaciável, será intensa, será permanente. Permanente até o momento em que eu mudar. O ser humano está sujeito à mutações. Por isso não posso determinar nada PERMANENTE. A única coisa que posso afirmar de permanente é que diariamente mudarei, serei assim, uma mudança, uma mudança positiva. Avançar, nunca regredir. E é nessa lógica que eu vou captando o sinal, que eu vou entendendo o sentido das coisas, que eu vou entendendo o sentido da minha existência. Hoje, acredito que o sentido da vida é, realmente, viver. Viver sem medo, sem medo do desconhecido, sem medo do que possa nos ocorrer.


Devemos ter sempre coragem. A covardia não nos trará nenhum bem. Só nos trará a certeza do que poderíamos ser se não fôssemos tão covardes. Então, deixemos de lado a covardia. Tenhamos coragem de ser o que somos. Tenhamos coragem de enxergar o que vemos. Tenhamos um contato direto com a antena do mundo. Tenhamos um contato claro com a nossa própria antena interior. Tenhamos a coragem de entender aquilo que não se quer ser entendido. Às vezes não queremos entender algo, pois, para nós, não faz o mínimo sentido ou é assim que queremos: que não o faça, pela simples razão de não nos convir ou até mesmo para não largarmos o cobertor da ilusão. Pois, em certas ocasiões, a mentira, a ilusão, é mais doce, nos traz um bem mascarado, o bem de açúcar, que, em meio à chuva, vai-se derretendo. E só aí percebemos a mentira cômoda tão incômoda. Eu estou captando. Espero não perder o sinal. Espero não perder a visão. Espero sempre ter o discernimento para entender as coisas como elas são, para não me enganar, não me iludir e não distorcer o que eu captei.

{Erica Ferro}

04 dezembro 2008

Escrever;

Não sei se o que eu escrevo são poemas, poesias ou sonetos. Só sei que meus pensamentos se transportam para o papel. É um grito de liberdade. Um vômito de ressentimentos. Uma tradução não exata, mas aproximada, de uma alegria vivida. Coloco em frases o meu ser, os meus sonhos. Coloco no papel o conjunto de coisas que me impulsionam a respirar como também aquele que me tiram a respiração. Escrevo para me entender. Escrevo para expressar o inexprimível. Escrevo o que não consigo dizer com palavras e gestos. Escrevo, simplesmente escrevo.

{Erica Ferro}

Auto-descrição;

Um alguém, um ninguém, um quase, um nunca, um talvez. Acima de tudo, eu estou. Estou aqui, e isso já é o essencial. Às vezes é bom. Às vezes é ruim. Às vezes é confuso. Mas eu estou. E enquanto eu estiver, posso ser. E um dia eu serei.''

{Erica Ferro}

Curiosa semelhança;

É curioso a semelhança de uma ferida física e de uma ''ferida'' espiritual. Quando levamos um corte, o ferimento começa a sangrar. Sangra, sangra, até quando o sangue estanca. Nos dá uma impressão, pelo menos já tive essa impressão, de que acabou todo o nosso sangue. Ilusão! Grande ilusão! Ainda há uma grande reserva de sangue em todo o nosso corpo. Se tivermos um cuidado com o nosso ferimento, se utilizarmos um remédio eficaz, logo a ferida cicatrizará e só ficará a marca, e, se o tratamento tiver sido bom mesmo, nem marca ficará. A ''ferida'' espiritual, ou seja, uma dor, uma desilusão, dói, dói muito, sangramos por dentro; sofremos tanto até o ponto de pensarmos que não temos mais forças para suportar mais nada. Ilusão! Grande ilusão! Somos mais forte do que pensamos. A nossa reserva de força é grande, e nem mesmo um grande sofrimento pode consumi-la por completo. A dor passará, um dia passará ou pelo menos adormecerá. Se utilizarmos um bom ''remédio'', essa ''ferida'' também poderá ser sanada, e poderão não restar nem marcas. Nos dois casos, a cura depende da profundidade da ferida, do tratamento usado e da disposição do enfermo a se curar.

{Erica Ferro}

03 dezembro 2008

A morte nos mostra a vida;


''A morte me mostrou a vida.''

A vida é rodeada constantemente pela morte. Acredito que ela fique rondando-nos o tempo todo, preparando-se para dar o golpe fatal. E um dia consegue.

Confesso que tenho medo, medo da morte, medo de não poder mais fazer aquilo que eu gosto, de ver as pessoas que eu gosto, de ouvir música, de ver o céu, de ouvir o som dos pássaros, de nadar (que é minha maior paixão). Me angustio só em pensar nos livros que eu deixarei pela metade, sem serem lidos, me angustia as medalhas que poderiam não ser conquistadas se minha vida for interrompida. Me angustia não poder realizar meus sonhos, concretizar meus projetos. Me angustia a idéia de perder uma pessoa querida, uma pessoa muito próxima, uma pessoa da qual eu preciso muito, da qual eu sou extremamente dependente, ou pelo menos acho que sou. Eu entendo que a vida é um ciclo finito, pelo menos fisicamente falando: nascemos, crescemos, reproduzimos (ou não), mas morremos. É a lei, é normal, mas não consigo aceitar com tanta naturalidade. Talvez julgue a morte de maneira errada. Pinto ela como um monstro feio, que acaba com nossa alegria de viver. Mas não posso afirmar nada sobre ela. Não a conheço (e, muito obrigada, mas não pretendo conhecer nem tão cedo), mas um dia, infelizmente, conhecerei. Então, saberei (ou não). Sabe se lá se existem outras coisas além da morte. Mas o que realmente quero dizer com tudo isso é que por mais que você não veja sentido na sua vida, você é o sentido da sua vida. VOCÊ precisa mudá-la, já que não vê sentido nela. VOCÊ é quem faz as escolhas que resultam na sua vida. Então por que não escolher viver? Mas eu falo VIVER (com todas as letras e no sentido mais fiel da palavra). Falo em viver, sabe... Aproveitar a vida ao máximo, viver cada dia intensamente, porém sabiamente. Faça as melhores escolhas, faça do seu mundo, um mundo melhor, mais justo, mais alegre. A felicidade ela está batendo à sua porta, cabe a VOCÊ deixá-la entrar ou não. Eu sei que a vida não é sempre um mar de rosas, que todos temos nossos problemas, e que, às vezes, esses problemas se fazem maiores do que nossa capacidade de suportá-los; mas é engano. Nós somos mais fortes do que pensamos ser. Quando você acha que não tem mais forças, que não há mais como suportar a dor, a desilusão, o sofrimento diário, saiba que você é muito mais forte do que vem se mostrando ser. Acredite nisso! Não deixe a vida passar despercebida, não tire o bem mais precioso que nos foi dado, não desmereça o dom de viver. Viver, e não sobreviver. Há muita diferença nessas duas palavras, pelo menos eu as vejo como duas palavras diferentes, dois sentidos diferentes. Viver é aproveitar a vida ao máximo, é fazer o que se gosta, com amor, é amar as pessoas acima de tudo, é amar a si mesmo, é aceitar-se, é aceitar o outro como ele é, é mudar-se, se necessário, é acreditar nas palavras das pessoas que um dia erraram, elas merecem uma segunda, uma terceira, uma quarta chance... Sabe por que? Porque nós não somos poços de perfeição, nós não somos modelos de perfeição. Nós erramos, nós mentimos, nós falhamos. Se fôssemos perfeitos, poderíamos exigir a perfeição do próximo, mas não somos, logo, não temos o direito de exigir nada. Sobreviver é viver remoendo algo que não aconteceu, é viver mergulhado na sua dor, achando que ela é maior que você mesmo. Sobreviver é não viver, diria até que sobreviver é ser um morto-vivo.
O que devemos fazer sempre é: viver, viver com respeito, respeitando-se e respeitando os outros. Eu peço, de todo o meu coração, mais uma vez: VIVAM. O tempo está passando, rápido ou devagar, depende da sua situação, mas ele está passando. Faça algo hoje que proporcione uma alegria, diga as pessoas o quanto você as ama, escreva uma canção ou um poema. Cante, dance, pule ou simplesmente durma, se é disso que você precisa. Faça o que tem que ser feito, faça o que já deveria estar sendo feito, se você não estiver fazendo-o, comece a viver agora. Não há mais tempo para adiar essa decisão. VIVA!

(Erica Ferro)

29 novembro 2008

Ao te ver;

''Ao te ver, meu rosto começa a empalidecer; minhas pernas perdem totalmente o equilíbrio; minhas mãos começam a suar; minha voz se torna tão vacilante e os meus olhos... ah, os meus olhos... não param de te olhar.''

{Erica Ferro}

28 novembro 2008

Meu mal necessário;

''Às vezes acho que praticamente todos me amam, gostam da minha presença. Outras, acho que me detestam, que não me suportam. Então fico a pensar... "Serão minhas palavras excessivamente sinceras que afastam as pessoas?!"
Mas, pensando bem, a sinceridade é baseada na verdade, e a verdade é só uma. Não há nada na verdade de excessivo, de exagerado.
A sinceridade é meu bem e meu mal. Me aproxima das pessoas, mas também me afasta.''


(Erica Ferro)

23 outubro 2008

Fugirei para dentro de mim mesma;

Descobri que sou pequena. Sim, sou pequena, não só pequena fisicamente, mas percebi que não sou tão grande quanto eu quero ser interiormente. Descobri que sonho demais, sonho muito, e faço pouco para torná-lo real. Não devo sonhar tanto assim, pelo menos não devo sonhar e não fazer nenhum esforço para que ele se torne real. Os meus medos e as minhas incertezas são os grandes responsáveis pela interrupção do meu crescimento interior. Tenho medo de que a vida me machuque, para ser mais exata, tenho medo que as pessoas me machuquem. Mas eu vi que não é assim, eu não posso me omitir, me esconder, fugir daquilo que é meu, da minha vida, daquilo que eu preciso realizar. Sei que existem, e sempre existirão, vários obstáculos em meu caminho. Sei que várias pessoas não acreditam no meu potencial, e, talvez, por isso eu tenha me omitido esse tempo todo. Só que a descrença de alguns deve ser o impulso que faltava para as realizações das minhas metas, dos meus sonhos. Percebi que muitas pessoas enfrentam tantas dificuldades, tantas discriminações e, mesmo assim, superam as suas dificuldades, saltam as barreiras, driblam as discriminações e fazem a vida valer a pena. Entram para a história, mostram, com as suas vidas, o exemplo de uma verdadeira vida, de uma vida plena, de uma vida de muita luta, mas de muitas realizações. Mostram que a vida vai além das dificuldades que nós enfrentamos. Vai além dos nossos cinco sentidos. Eu sei que a vida têm suas desilusões e desencontros, mas eu não posso fugir disso. Eles irão me visitar às vezes. Cabe a mim, deixar que isso me derrube ou ser forte e dizer: Desilusão, você não é bem vinda, a alegria já mora comigo. E é isso que eu decidi fazer. Decidi arregaçar as mangas e ir à luta. Nada é fácil, isso eu sempre soube. Mas não é porque não é fácil que eu não vou conseguir. Eu vou me empenhar, vou lutar e chegar ao ponto mais alto da montanha. Uma coisa que eu sempre soube, mas que estava adormecida no mais íntimo do meu pensamento: As maiores limitações estão no meu cérebro.
Então, eu vou ser mais forte do que eu já venho sendo. Confesso que não tenho sido tão forte quanto preciso ser. Posso ser mais forte. Posso lutar mais pelo o que eu quero e acredito. Posso e devo lutar mais. Não posso deixar a vida passar assim, sem que eu faça nada do que eu quero fazer. A vida terrena é só uma, e é por isso que eu preciso que ela tenha sentido, que ela tenha razão de existir. Ando meio perdida em mim mesma, preciso me achar. A partir do momento em que me achar, serei plena e forte, e não mais me omitirei. Por isso, vou me procurar, vou tentar entender o sentido da minha existência. E quando eu me encontrar, nunca mais me deixarei.

Erica Ferro

27 julho 2008

Sou;

Normal, exceto pelo fato de ter cometido algumas loucuras, para não dizer MUITAS loucuras;
Legal, exceto por alguns momentos de chatice, para não dizer MUITOS momentos de chatice;
Perfeita, exceto pelo fato de ter alguns defeitos, para não dizer MUITOS defeitos;
Feliz, mesmo pelo fato de algumas pessoas desejarem me ver derrotada e tristonha, para não dizer MUITAS pessoas;
Amiga, mesmo já tendo levado algumas punhaladas nas costas, para não dizer MUITAS punhaladas nas costas;
Sonhadora, mesmo tido algumas decepções, para não dizer MUITAS decepções;
Realista, exceto o fato de algumas vezes querer viver na doce utopia, para não dizer MUITAS vezes em que mergulhei na doce utopia, talvez por ela, em certas ocasiões, doer menos;

Eu não quero parecer com ninguém, e nem pareço com ninguém. Pois acredito que cada pessoa é única, e é isso que faz o mundo interessante. Já pensou se todos fôssemos iguais? Não teria a menor graça, somos diferentes justamente pelo fato de podermos trocar opiniões, aprender com os outros, e, assim, respeitar as diferenças.

Cada dia vivo novas experiências, novos acertos, novos erros, e, assim, vou vivendo.

Não exijo perfeição de ninguém, até porque sei que isso, humanamente, é impossível. Apenas busco ser uma pessoa a cada dia melhor, não pelos outros, mas por mim mesma. Porque acredito que, quase, tudo muda. Por que eu permaneceria igual? Mas, claro, falo em mudar pra melhor, sabe, não retroceder, o interessante é avançar. A vida é algo muito interessante. Para alguns, a vida é uma viagem muito louca, vivida desvairadamente. Para mim, é mais que isso, a vida é bela, apesar de todo o seu lado obscuro. Amo viver, amo o jeito como vivo, sei que a cada dia posso melhorar, corrigindo os erros de ontem e seguindo sempre em frente, com a certeza de que o hoje pode ser bem melhor que o ontem.

24 maio 2008

Música do momento!

Preciso dizer que te amo

Quando a gente conversa
contando casos, besteiras
Tanta coisa em comum
Deixando escapar segredos
e eu não sei em que hora dizer
me dá um medo
é que eu preciso dizer que te amo
te ganhar ou perder sem engano
eu preciso dizer

Até o tempo passa arrastado
só pr'eu ficar do teu lado
Você me chora dores de outro amor
se abre e acaba comigo
E nessa novela eu não quero ser seu amigo
É que eu preciso dizer que te amo
te ganhar ou te perder sem engano
Eu preciso dizer que te amo tanto...
Eu preciso dizer

Eu já não sei se eu tô misturando
eu perco o sono
lembrando cada gesto teu
qualquer bandeira
fechando e abrindo a geladeira a noite inteira

Eu preciso dizer que te amo
te ganhar ou te perder sem engano
Eu preciso dizer que te amo tanto...

(Composição: Cazuza)

15 maio 2008

VOCÊ SABE AMAR?
Eu estou aprendendo.
Estou aprendendo a aceitar as pessoas mesmo quando elas desapontam, quando fogem do ideal que tenho para elas, quando me ferem com palavras ásperas ou ações impensadas.
Não é difícil aceitar as pessoas assim como elas são, não como eu desejo que elas sejam, mas como elas são!
É difícil, muito difícil, mas estou aprendendo.
Estou aprendendo a amar.
Estou aprendendo a escutar, escutar com olhos e ouvidos, escutar com a alma e com todos os sentidos.
Escutar o que diz o coração, o que dizem os ombros caídos, os olhos, as mãos irrequietas.
Escutar a mensagem que se esconde por entre as palavras corriqueiras, superficiais;
Descobrir a angústia disfarçada, a insegurança mascarada, a solidão encoberta.
Penetrar o sorriso fingido, a alegria simulada, a vangloria exagerada.
Descobrir a dor de cada coração.
Estou aprendendo a perdoar pois o amor perdoa, lança fora as mágoas, e apaga cicatrizes que a incompreensão e insensibilidade gravam no coração ferido.
O amor não alimenta mágoas com pensamentos dolorosos.
Não cultiva ofensas com lástimas e autocomiseração.
O amor perdoa, esquece.
Extingue todos os traços de dor no coração.
Passo a passo, estou aprendendo a perdoar, amar.
Estou aprendendo a descobrir o valor que se encontra dentro de cada vida, de todas as vidas, valor soterrado pela rejeição, pela falta de compreensão, carinho e aceitação, pelas experiências duras vividas ao longo dos anos.
Estou aprendendo a ver nas pessoas a sua alma, e as possibilidades que Deus lhes deu.
Estou aprendendo, mas como é longa a aprendizagem!
Como, é difícil amar, amar como Cristo amou!
Todavia tropeçando...
Aprendendo a pôr de lado as minhas próprias dores.
Meus interesses, minha ambição, meu orgulho quando estes impedem o bem estar e a felicidade de alguém.

Como é duro amar!!!

(Desconheço a autoria)

27 abril 2008

Não quero alguém que morra de amor por mim... Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando. Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim... Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível... E que esse momento será inesquecível...Só quero que meu sentimento seja valorizado.Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre... E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor. Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...E poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho... Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento... E não brinque com ele. E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe... Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz. Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas... Que a esperança nunca me pareça um "não" que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim".Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ela é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros... Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...e que valeu a pena!!!

Mário Quintana

...devolve o meu sossego...

Só eu entendo a minha solidão
Tomado pela sensação de não viver mais
Sei eu que a minha louca insensatez
Me fez perder você de vez
Não vou viver mais
Que tudo que você faz
Do jeito que você faz
Me deixa pelo avesso
Só você me satisfaz
Que tudo que você tem
Do jeito que você vem
Devolve o meu sossego
Só você me faz tão bem
Eu sei que em troca desse seu perdão
Me jogo desse avião
Quero viver mais
Eu só, a toda pela contra-mão
Em busca de satisfação
Enfim, viver mais
Que tudo que você faz
Do jeito que você faz
Me deixa pelo avesso
Só você me satisfaz
Que tudo que você tem
Do jeito que você vem
Devolve o meu sossego
Só você me faz tão bem
Você me faz tão bem
Você me faz tão bem
Que tudo que você faz
Do jeito que você faz
Me deixa pelo avesso
Só você me satisfaz
Que tudo que você faz
Do jeito que você faz
Me deixa pelo avesso
Só você me satisfaz
Que tudo que você tem
Do jeito que você vem
Devolve o meu sossego
Só você me faz tão bem
Você me faz tão bem
Você me faz tão bem

Ls Jack - Meu sossego