12 junho 2009

Ame-se sempre, independentemente, mas não cegamente!

Cada pessoa pode perfeitamente dizer que ama a si mesma, que é feliz sendo ela mesma, com todas as suas características físicas e manias. É bem fácil dizer isso. Mas é complicado se amar, se valorizar, se sentir bem quando o mundo diz que não, que você não é especial, que não tem nada a acrescentar, que você não tem valor, que você é um zero à esquerda. Nessa hora, no foco de tensão, quando as pessoas te desvalorizam, é que você deve colocar em prática esse amor próprio.
Amar a si mesmo não é ocultar os defeitos, ver só a beleza de si próprio. Amar a si mesmo é ter visão e perdão por você mesmo. Por exemplo: quando realmente nos amamos, enxergamos as nossas qualidades e cada vez mais queremos lapidá-las, pois é necessário enxergar essas qualidades sempre como um ouro bruto, porque, sinceramente, nunca seremos perfeitos, mas essa busca deve ser ininterrupta, não pelos outros, mas por nós mesmos, por nós amarmos e querermos ser melhores para nos sentirmos verdadeiros e justos conosco. Quando realmente nós nos amamos, conseguimos ver nossos defeitos e falhas, tentamos, então, consertá-las e nós perdoarmos; pois quem ama, educa, aconselha, cuida, transforma. O amor verdadeiro, em todos os aspectos, é transformador, é bom. Então o amor por si mesmo será benigno e fundamental também, pois é ele que irá nos segurar, nos acolher nos momentos de dor, de desamor do mundo para conosco.
Há aqueles que gritam para o mundo: Eu me amo, me acho o máximo, a super - mulher ou o super - homem!
Mas a verdade é que, quando o mundo é cruel com eles, eles choram nos seus cantos, na escuridão dos seus quartos, um choro abafado, mas muito, muito doloroso.
Não adianta fingir ter uma coisa que não se tem, assim, só se está se enganando a si mesmo. E as pessoas, boa parte, percebem que isso só é uma capa protetora furada contra a chuva do desamor da sociedade exigente, que essas pessoas se molharão, se ferirão e sofrerão por não se amarem de verdade, por só fingirem.
Se amar de um modo puro e sincero não é tão complicado assim. Basta olhar para si próprio, enxergar que você tem defeitos, mas que você pode melhorá-los e a força e a veracidade desse amor próprio serão fundamentais para esse melhoramento, para a lapidação do seu eu. Se temos qualidades, uma beleza interior e exterior notáveis, devemos reconhecer isso. Mas reconhecer de uma maneira saudável. Ter amor próprio é bem diferente de se amar exageradamente. Quando nós amamos exageradamente, perdemos a visão do que somos e do que queremos ser. Aliás, quando nos amamos dessa forma, perdemos o querer, achamos que estamos num grau de excelência máxima. O que, de fato, nunca estivemos e nunca estaremos. Mesmo que sejamos ótimos, maravilhosos, sensacionais, sempre temos algo para melhorar, aquele detalhe que precisa ser ajustado, aquela característica que precisa ser retirada ou reeditada. E o amor nos faz melhor, nos faz enxergar o que a cegueira do desamor, da desvalorização, do foco de tensão, não deixou que enxergássemos.
Devemos nos sentir especiais, essenciais, únicos, nesse jardim cheio de flores cheirosas ou não tão, de várias cores e formatos, chamado mundo. Somos protagonistas de nossas vidas, somos autores de nossa história, somos autores de nós, somos autores e jardineiros da semente do amor. Deixe que ela brote verdadeiramente, cuide dela. Deixe que ela vire uma planta linda, forte e indestrutível.
Ame-se sempre, independentemente, mas não cegamente!

(Erica Ferro)

***

Pauta para o Blorkutando.
Tema: Amor próprio.

3 comentários:

  1. oooooooooooun *-* fala serio, eu amei mt esse texto e, sinceramente, VC ESCREVE BEM DEMAAAAAAAIS, (tá, ela sabe que eu gosto dela, mas nao custa nada repetir :D)

    ResponderExcluir
  2. o seu texto ta parecido com o meu. Quer dizer, o meu texto parece o seu só que "sintetizado".
    Meus textos nunca são selecionados. Confesso que não tenho muita criativade para escrever textos grandes.

    Acabei de ver aqui, você está lendo A cidade do sol, baixei esse livro hoje. :D
    Com certeza já deve ter lido O caçador de pipas né?

    beijos :*

    ResponderExcluir
  3. (8) eu me amo, eu me amoooo , não posso maaais viver sem mim, huuuu ♪♪♪

    :D

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?