29 maio 2009

Liberte-se do que te prende!

É tão vasto isso de liberdade, de ser livre.

Mas escolhi algumas frases e me posicionarei em relação à elas.


"O mais livre de todos os homens é aquele que consegue ser livre na própria escravidão."
(François Fénelon)

Nazismo, talibãs... repressão.
Poderia citar vários outros movimentos que oprimem um determinado povo, lhe tiram a esperança, o direito de escolher, o direito de ir e vir, de fazer o que se gosta, de não fazer o que não se gosta.
Eu fico pensando: "Será que eu conseguiria viver nessas situações de extrema repressão?!"
Eu sinto que eu tenho uma resistência relativamente grande em relação à opressão, à repressão. Todos os dias eu saio da minha prisão. Me liberto dos meus medos. Mas, na maioria das vezes, eu volto à prisão. Fico lá, respirando ofegante, com medo de sair. É que, fora da minha prisão, tem monstros enormes, dentes mais enormes ainda, armados de espadas, espingardas...

Quando me veem, geralmente, apontam pra mim, ameaçam atirar, eu começo a chorar, minhas pernas agem quase inconscientemente, me levando à prisão. E lá eu fico em paz. Pelo menos, até aquela coragem medrosa aparecer de novo, e eu saio mais uma vez, tentando driblar aqueles horripilantes monstros. Às vezes, eles nem me veem ou nem ameaçam a atirar.
Então, eu saio, vou às ruas, sorrio para as pessoas, canto, pulo. Me liberto. Me liberto de mim, dos meus próprios monstros imaginários, dos meus medos, que podem são menores do que eu julgo ser. Preciso ser livre, mesmo que tudo e todos me espremam, me apertem, não posso ceder. Eu tenho que continuar a honrar meus pensamentos, meus sonhos. Tenho que continuar sendo livre, mesmo com o mundo em chamas, mesmo com tudo desmoronando. Porque a liberdade mora em mim, e eu preciso deixar ela sair, preciso deixar ela irradiar o mundo.

"Aqueles que negam liberdade aos outros não a merecem para si mesmos."
(Abraham Lincoln)

Acho que não devemos prender ninguém, obrigar a ninguém a pensar, a enxergar as coisas do ângulo que nós vemos. Não podemos impor nossa opinião, devemos expor. 
Geralmente quem prende, quem reprime os sonhos, a esperança de alguém, é o verdadeiro escravo da questão. Ele é escravo dele mesmo, dos traumas de infância ou, até mesmo, traumas que está tendo na fase adulta. O opressor sofre também, sofre calado. Não espalha, não compartilha do que o atormenta. O único remédio e a saída que ele encontra pra sanar, pra aliviar toda a sua agonia, de tentar afrouxar as correntes que tem nas mãos, nos pés, é prendendo, oprimindo, impondo suas ideias e suas vontades à outra pessoa. É difícil isso. Ele sofre, mas também, ao mesmo tempo, faz outras pessoas sofrerem. A saída seria quebrar as correntes de uma vez por todas. Se libertar pra não prender e nem ser preso.


"A liberdade não tem qualquer valor se não inclui a liberdade de errar."
(Mahatma Gandhi)

Eu sou livre pra errar, se bem que meu alvo, minha intenção, é sempre acertar. Mas quando se está buscando ou simplesmente descobrindo a liberdade, erramos em algum ponto; e isso não é o fim, isso não é tão abominável assim. Somos livres. Somos humanos. Somos seres que buscam a felicidade, a realização do eu, e a liberdade nos ajuda nessa caminhada. É através dela que nós fazemos e descobrimos o mundo, ou pelo menos parte dele.


"A liberdade é defendida com discursos e atacada com metralhadoras."
(Carlos Drummond de Andrade)

Pregam a liberdade e a buscam com a violência, com o 'Cala a boca', com o 'Está vendo o que eu tenho comigo? Sim, é uma arma. Portanto, fique quietinho e faça o que eu mando!'
Não é assim que funciona. Aliás, até funciona, não é? Mas funciona só exteriormente. Dentro, o sonho da liberdade, o sonho de ser livre, vai permanecer naquele ser que é liberto de todo e qualquer opressor.


"...Mas eu desconfio que a única pessoa livre, realmente livre, é a que não tem medo do ridículo."
(Luis Fernando Veríssimo)

Medo do ridículo...
Ora, se você se sente bem com aquele seu vestido rosa 'choque', mas não sai nas ruas vestida assim por medo de ser atingida por pedras, ser atingida por palavras humilhantes ou risinhos abafados ou gargalhadas cortantes, você está reprimindo uma vontade sua, está se reprimindo. E, como diz a música, meu caro: Não se reprima!
Sinceramente, não vejo nada de mau em andar com uma roupa chocante, impactante. É até bom que você não se perde no meio de uma multidão.

Certo, falando sério agora. Nós não devemos nos preocupar com o que vão pensar de nossas roupas, no estilo musical, nossas manias. Todo mundo tem seu jeito de ser. Cada um é livre pra ser o que é. E ninguém tem o direito de impedir isso.


(...)

Eu poderia dar vários exemplos do que é ser livre, do que é a liberdade. 
Mas a verdade é que a liberdade vai bem mais além do que a minha imaginação consegue ir. Vai bem mais além do que eu consigo dizer e viver. Só sei de uma coisa: a liberdade mora em cada um de nós. Basta caminharmos com ela. Te garanto, ela é legal.


Dica da Erica Ferro: Liberte-se do que te prende!

(Erica Ferro)

***


P.s: Pauta para o PostIt!
Foi complicado escrever sobre liberdade. Mas consegui escrever algo razoável.

11 comentários:

  1. Nossa, você escreve muito bem!
    E po, falou de um tema muito bom... A liberdade, os momentos que temos que nos libertar das algemas que nós mesmos nos colocamos
    Texto muito bom, parabéns! Adorei!

    ResponderExcluir
  2. sim, esa pauta ficou mara *---*
    aaaah, eu amo esse blog, tá na cara (:

    ResponderExcluir
  3. Liberdade...é às vezes tento defini-la, no fundo mesmo queria apenas sentir, as vezes me vem momentos de liberdade...de ser livre!

    Adoro teu blog flor!
    ^^

    bjão

    ResponderExcluir
  4. Liberdade, queria tanto senti-la e acabei sentido, mas nao de um jeito muito certo.
    Mas ainda tendo consegui-la!
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Liberdade, taaantas definições, poucas demonstrações. :/

    beijos.

    ResponderExcluir
  6. falei que vc tinha chances no Blorkutando ?! ISHIOSHSIHSIUH, terceiro lugar o/

    ResponderExcluir
  7. Com certeza, quem não dá liberdade aos outros não merece ser livre.

    E pra que ter medo do ridículo? Você tem que ter medo do seu ridículo. Do que é ridículo pra você, e não do que será ridículo para os outros!
    ________________________________

    Que bom que você gostou do meu texto flor. *-*

    Viver é mara.

    Beeeijos,
    Bell.

    ResponderExcluir
  8. Nunca consegui definir a liberdade. Acho que está em todo lugar, porém presa. Por trás das leis, da sociedade, da personalidade, há sempre a liberdade esperando para ser usada. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Parabéns, vc é destaque do mês de maio do Blorkutando!

    ResponderExcluir
  10. MInha amiga especial! ameiiii sey blog! adorooooo

    ResponderExcluir
  11. Bom texto - questionador, nos faz pensar, parabéns!!!

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?