24 maio 2009

Parte do misto que forma tudo isso;

A chuva caiu e alagou o Brasil.
Nem doril dá jeito. A gripe suína se espalha, mas não ponha a culpa no porco.
Morte cerebral, um corpo morto, uma infância interrompida. E o mal grita: maravilha, maravilha!
A matança, a violência, a falta de esperança. Tudo num volume crescente, num crescente volume.
E o volume é negativo. A raridade é rara. A esperança se torna escassa. E a gente não sabe mais o que que há, o que vai ser, o que fazer. Uns choram. Outros sorriem. Uns desacreditam. Outros continuam acreditando, mas acreditam pra amanhã se desiludirem. É assim a rotina dos esperançosos: acreditar, se desiludir e acreditar mais uma vez.
Eu vejo uma pessoa chorando pelos cantos. Eu vejo alguém orando ao pé da cama em outro ponto. Eu escuto um gemido esquisito, é frio. Eu ouço um grito, nasce um filho. Eu presencio um sorriso, é a esperança do Brasil.

(Erica Ferro)

***

P.s:
Tinha postado esse texto no Pensamentos Devaneantes, no dia 21/05. Como não tinha elaborado nada pra postar hoje, resolvi postar esse texto mesmo. Espero que gostem.

8 comentários:

  1. Érica!

    Está lindo o texto! É preciso sim falar sobre isso tudo que nos assombra... Essa loucura toda que estamos inseridos...
    Mas como você disse no final, há uma esperança.
    O meu desejo é que possamos deixar um lugar melhor para esse pequeninos que serão o nosso amanhã!

    Amei o post!

    Ternha uma ótima semana!

    Um beijão, linda!

    Fabricante...

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei ;-))

    "Eu ando pelo mundo e meus amigos, cadê?" Fez eu me lembrar de "Esquadros".

    A nossa realidade é exatamente esta que você descreveu no post. Mas não podemos deixar de acreditar. Fazer isso é morrer um pouco, e quero continuar viva.

    Beijim.

    ResponderExcluir
  3. tanto tempo que eu não venho aqui, né ?! OUOIASUDOIDUIASU, bom como sempre eu amei esse texto e retratou muito a verdade que estamos vivendo. Afinal, nesse texto temos um Brasil escritinho: sem tirar nem por! Aaaaah, depois de tanto tempo, te linkey *o*

    ResponderExcluir
  4. Amei!
    Parabéns pelo blog e pelo texto.
    Bjs ;*

    ResponderExcluir
  5. Uau. Que lindo!
    Texto super verdadeiro. Mexe com a gente. Seu texto tem ritmo! (:
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Nossa amei esse texto!
    Realmente acreditamos nos desiludimos e acreditamos mais uma vez!
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. lindo texto e lindo blog!


    q layout mais fofo!

    ResponderExcluir
  8. Oi Érica, adorei o texto. Gosto de como escrever e da maneira com que dispõe suas idéias.

    O seu comentário lá no meu blog me emocionou muito.

    E sobre o Victor, eu vi ele de pertinho sim...fiquei bem perto do palco. As composições dele são demais.

    "Eu sou o brilho dos seus olhos ao me olhar
    Sou o teu sorriso ao ganhar um beijo meu
    Eu sou o seu corpo inteiro a se arrepiar
    Quando em meus braços você se acolheu..."

    Como alguém consegue escrever algo assim? Perfeito!

    beijão

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?