20 abril 2010

Destemperada

Escolhi a mim entre tudo
e todos.
Escolhi a mim mesma
para ser autora da história
do mundo.
Eu vou escrever
as tragédias do existir,
as comédias do sonhar
e da diversão que é mentir.

Eu admito que sou egoísta,
rejeito todas as outras mãos
em minha direção.

Eu me basto,
porque, na verdade,
você se basta,
todos se bastam.

Você dorme sozinho,
mesmo acompanhado.
Você vive sozinho,
mesmo com inúmeras pessoas
transitando ao seu lado.
Você morrerá sozinho,
enquanto, sobre seu caixão,
chorarão três ou quatro.

Eu escolhi a mim mesma,
porque o mundo não merece
minha coletividade,
minha irmandade.
É a realidade,
crua, destemperada
e gritante.

Coloque-a na boca, mastigue
e, se não conseguir engolir,
cuspa.

(Erica Ferro)

* * *

Povo, cês tão bem, né?
Eu tô bem, feliz com meus amigos blogueiros, com tantas palavras gentis, que, certamente, me fazem acreditar que vale a pena, sim, continuar mesmo depois de cair e se ferir. Obrigada, novamente!
Um abraço enorme da @ericona.


43 comentários:

  1. Se essa á personagem singular, imagene só a personagem em seu modo partilhar, plural de ser.

    Mais uma obra-prima do Sacudindo Palavras, Erica! ( :

    Obrigado pelo carinho demonstrado em seu último comentário, muito me agradou ler aquelas palavras!

    Um ótimo feriado pra você!

    ResponderExcluir
  2. Gostei do texto :*
    estava pensando hj, que realmente vivemos sozinhos na verdade na maior parte do tempo.
    Mas enfim concordo com vc :**

    ResponderExcluir
  3. anônimo é o cu da cachorra. Manda esse link pra ele:
    http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI3908162-EI294,00.html

    ResponderExcluir
  4. No final morreremos sozinhos.. por isso seja feliz VOCÊ ;)
    Amei o texto!

    www.musicpoesiaeblablabla.blogspot.com
    www.desconsertandopalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. E na verdade, é triste parar pra pensar e ve que estou sozinha mesmo! Pq sei que eu me basto, mas acho que não consigo conviver com isso. rs

    (;

    ResponderExcluir
  6. Não existe verdade maior que esta, Poetisa!


    Meu beijo.

    ResponderExcluir
  7. Eu ainda não me basto :(
    Um dia, aprendo

    Beijo, Erica!

    ResponderExcluir
  8. heeeey, quanto tempo que não comento aqui e você escrevendo cada vez melhor. Acho que é assim, por mais que tenhamos pessoas ao nosso lado cada um carrega o peso de sua solidão, seus pensamentos, suas palavras. Ninguém vive por ninguém, essa é a grande verdade, ninguém vive sozinho, mas também não morre por não estar acompanhado. Beeeeijos :*

    ResponderExcluir
  9. as pessoas dizem ser erro a auto-suficiência. não sei se concordo ou discordo. eu me basto, às vezes, noutras tantas me por doar-me opto. Só não sei se é por necessidade de minha carne, ou por pura comodidade.
    é bom, de vez em quando, mas se basta-se a si mesma, é de pensar que se fique estagnada em um só lugar.
    e, na verdade, eu quero mais.

    ai, erica, me surpreendo a cada escrito teu, pois te superas em cada um deles. este aqui, sem dúvida alguma, é um dos melhores que já li!

    beijo grande.

    ResponderExcluir
  10. Hum..
    Escolhas são necessárias...
    Mas às vezes só você não basta...
    Depois de aprender algumas teorias sobre uma porção de coisas, aprendi tanto...
    Às vezes a escolha deve ser outra...
    Estou contrariando um poema teu... o.O
    Que ousadia de minha parte...

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. A melhor escolha é aquela que melhor conhecemos, e se nos conhecemos bem, somos a melhor escolha a nos fazer.

    Beijujubas

    ResponderExcluir
  12. Que texto ótimo, eu poderia (e gostaria) de tê-lo escrito.

    E eu, sinceramente, estou meio down, meio querendo desistir de um monte de coisa, estou tristinha.. :/
    Mas que bom que você está bem, querida, de verdade, fico feliz por você :*

    ResponderExcluir
  13. Sabia que a maior dor do ser humano é esta, saber que irá morrer sozinho!!!

    Mas, não precisamos viver assim, viu Ericona!!!!

    ResponderExcluir
  14. Hum... você sabe o que penso a respeito disso...

    Hum... conexões são parte do nosso corpo... do corpo de toda a natureza que conhecemos... até as menores, ou mesmo as que não podemos nem mesmo ver... ou mesmo as que nos faz ver, como as partículas-ondas de luz... etc.

    Mas cada um é si... sendo inevidatavelmente alguma parte de todo o sistema.

    Hum... temos escolha... podemos focar em um lado da conexão, no outro, ou na própria.

    :)

    é como eu penso.

    ResponderExcluir
  15. Vou falar a verdade, não gostei muito desse poema, é muito como vou dizer, na minha opinião é meio mentiroso, a palavra solidão me da pavor...:X, a única coisa q tenho medo é a solidão..apesar de ser boa em alguns momentos....para mim a solidão nunca será boa, pq sei q faria muitas coisas erradas com ela por perto.

    ResponderExcluir
  16. Forte, talvez verdadeiro, nascemos sozinhos e morremos sozinhos mas aqui precisamos fazer amigosss, paz grande beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  17. Uma visão fria mas real.

    De facto, nascemos sozinhos e morremos sozinhos... Deveríamos saber viver acompanhados?

    L.B.

    ResponderExcluir
  18. seu poema está perfeito, e por incrível que pareça, está retratando minha alma hoje.
    O mínimo que eu pedi era atenção, sabe o que foi me dado?

    NADA.

    Simplesmente estou passando meus dias sozinhos, com um belo titulo de "namorando" mas ainda sim sozinho.
    Se é pra me sentir um lixo como estou me sentindo hoje, é mas fácil ficar realmente sozinho e encarar os fatos!
    Eu nunca mais perco minha madrugada por quem não me merece! ISSO É FATO!

    Muito obrigado, por que seu texto, melhorou muito o meu humor!

    beijos!

    ResponderExcluir
  19. #acheidigno esse poema!
    Muito,muito bom.
    Sempre poderemos contar com nós mesmas.
    E as palavras gentis que nós te dirigimos são poucas perto do que você merece.
    xD

    ResponderExcluir
  20. Ai Erica, penso que somos seres de fases. E há hora que é muito melhor estarmos sozinhos, mas eu nunca acho melhor ser sozinha.

    Lindamente escrito, você é super talentosa.
    Te admiro.

    BeijOcas

    ResponderExcluir
  21. Fechou o texto de uma forma perfeita. É isso mesmo, Érica. Cala a boca de todo mundo.

    ;)

    ResponderExcluir
  22. pxiiiiiiiiiiiiii...
    preciso dizer?
    qqr coisa?
    precisa mesmo?
    bom, vou começar pelo começo ^^
    tenho que discordar em partes com vc, pq no fim...
    nós n nos bastamos porra nenhuma...
    hehe... dentre enumeros exemplos eu vou apenas citar um e o primeiro da inumera e infinita lista que mostrará de cara o pq n eh possivel..

    Nós nem teriamos nascido se não fossem os outros...
    em meio a tanto sentimentalismo de hj em dia, eh impossivel n viver dentro de outra pessoa, e pode crer, se alguém chora por nossa morte é pq matamos algo nela tbm, a parte que era nossa!

    não sejamos tão ....fortemente levados a crer que somos independente, assim como n existe liberdade..
    eu n engulo nada, cuspo tudo!
    e mentir, ô delíciaaaaaaaa...
    :p
    mentir sem necessidade claro, só de onda!
    (;

    ResponderExcluir
  23. eu admito que sou egoísta,
    rejeito todas as outras mãos
    em minha direção.

    se resumi em mim =x

    beijo

    ResponderExcluir
  24. Eu gostaria de pensar assim também e de me bastar realmente. Mas comigo dá-se o contrário: preciso muito de outras pessoas ainda. E tento acreditar que a coletividade e a solidariedade valem a pena.

    Você escreveu um forte poema, Erica. Me fez pensar algumas coisas sérias. Gosto disso, mesmo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  25. No meu caso,sofri mt até aprender essa lição importantíssima,não é ser egoísta,mas pensar um pouco mais em si msm...muitas vzes pensamos mt nas pessoas ao redor e esquecemos de nós,além de mts vzes nos decepcionarmos com variadas coisas q n valiam a pena.

    Beijosss!!!

    ResponderExcluir
  26. Olá Érica!
    Depois de um tempo meio 'fora do ar', o Modelando Paradigmas voltou firme e forte!
    Passe sempre lá viu?
    E sobre o post, acho que por mais que tentemos ser independentes, a tendência do ser humano é sempre precisar de alguém. Afinal, somos humanos né?

    Beijos querida!

    ResponderExcluir
  27. Num sei se tu tem consciência disso, mas tu é poetisa.

    Larga teu nome no vento, não vai se arrepender.

    beijo!

    ResponderExcluir
  28. Adorei seu texto. São sempre tão cheio de sentimentos, que me encantam.

    Espero que você fique bem, e se pudermos fazer qualquer coisa para que se anime, contará com a nossa colaboração, com certeza! :)

    Um beijo e um queijo ;@

    ResponderExcluir
  29. Você escreveu sobre tudo o que eu sinto desde que me conheço por gente.
    Seu poema é a mais pura verdade.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  30. Uau! Me deixou sem palavras, Erica! Como sempre lógico, não me é de se estranhar vir aqui e me faltar coisas, nem que seja uma linha sequer, para contrapor ou apenas argumentar uma coisinha que você tenha esquecido. Porque SEMPRE você me surpreende de dizer tudo aquilo em que eu teria dito - não em mesmas palavras, claro.
    Obrigada pelo imeeeeenso carinho, eu que agradeço!

    Sabe, fico me coçando pra fazer um twitter. Mas acho que não devo por mais um vício... Acho que passaria dos limites. Quero me desapegar da net, quero só ler, escrever no blog, e o orkut para contato.


    Sobre meu modo de escrever... Sabe que não é a primeira que diz que tenho um jeitinho parecido com o de Machado de Assis. E acredite, para mim é uma honra ser comparada à um escritor de tanta classe. Adoro os contos dele! Meu autor predileto de literatura brasileira!
    Acho que por tanto lê-lo, devo ter adquirido algumas manias dele rss

    E eu fico por aqui.
    Meeeu beijo. Bom feriadão.

    ResponderExcluir
  31. isso me lembrou aquela música

    'se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo ♫

    beijas, flor :*

    ResponderExcluir
  32. Meu pensamento voou alto agora. E tudo se encaixou. Lendo seu texto...
    Uma solitária, que como eu a vida inteira se escondeu só há silêncio, nem mesmo o vento vem me tirar para dançar.

    BeijooO

    ResponderExcluir
  33. Noooossa menina!
    arrasou.
    Ai morro de inveja dessas suas poesias.
    Uma é sempre melhor que a outra.

    ResponderExcluir
  34. Muito bom, gosto da valorização de nós mesmo, afinal dificilmente os momentos tristes terão pessoas ao nosso lado, se acaso for são pessoas que se sentem responsáveis pela gente, pela situação ou que realmente nos amam e isso é recíproco com certeza.
    bjus

    ResponderExcluir
  35. Desculpe a invasão, mas eu tenho uma ótima notícia!

    O Blog Amor, Mistério e Sangue está estreando sua primeira promoção!!!

    O prêmio para o vencedor é o primeiro volume da Série "A guerra das Sombras"

    O Livro de Dinaer
    Para mais informações sobre o livro
    http://www.aguerradassombras.com/dinaer.html

    Você não pode perder essa super promoção!!!
    http://amormisterioesangue.blogspot.com/2010/04/primeira-promocao-do-amor-misterio-e.html

    Bjs e boa sorte!

    ResponderExcluir
  36. "Coloque-a na boca, mastigue e, se não conseguir engolir, cuspa"
    ADOREI esse final! :)

    ResponderExcluir
  37. Não, amiga, isso não é egoísmo. É amor próprio. É ser a si mesma, assim - inteira!

    Lindo, lindo.

    Beijoca

    ResponderExcluir
  38. eume basto,comoeu me amo, tantas razões e um só coração

    ResponderExcluir
  39. É. A singularidade é fato, existe em todos nós. A única diferença é a forma com que lidamos com ela.

    ResponderExcluir
  40. É o que temos que fazer

    muitas vezes:

    cuspir!

    Beijinho

    ResponderExcluir
  41. Como sempre, você continua escrevendo esses poemas e com esse jeito lindo de escrever.
    Não esqueci do blog tá?

    Beijoos!

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?