22 abril 2010

Dança estranha

Teus olhos choveram forte
depois daquela ida a praia
onde as ondas levaram a tua fé
a tua esperança em um ombro
pra chorar
um peito pra guardar
o que de melhor você poderia dar

Tu te fizeste inverno perpétuo
porque o verão já não faz parte
das tuas estações
Tu te tornaste gelo que queima quem toca
e repele pra onde as mãos
não alcançam

Tu me conquistaste com tua
dificuldade
teu destempero tão convidativo
Tu me ganhaste com essa
mania de me tirar o chão dos
pés com as tuas verdades
tão fortes e consistentes
baseadas na tua mania de entender
o mundo
e criar ideolgias para tudo

Tu me chamas e me empurras
Tu não me queres mas eu te chamo
E nós dançamos uma dança estranha
Distante mas bela de se ver
de longe
aos olhos de um sonhador
que ainda não desacreditou no amor

(Erica Ferro)

* * *

Caríssimos!
Bom, eu fiquei muito feliz com os comentários da postagem passada, porque, cara, nada melhor do que ver vocês interpretando do modo de vocês, dizendo o que vocês pensam depois de ler o que eu escrevo, sem nenhuma interferência minha depois do post, no tal P.s, como antes acontecia. Não que eu ache que vocês não iam ter algo próprio a dizer, mas antes eu me explicava, eu já revelava o X da questão, o que eu pensava quando eu escrevi tal coisa. E isso de fato não é muito legal. Porque, querendo ou não, tira um pouco o espaço de quem lê, no que diz respeito a interpretação.
É muito bom mesmo ver isso. O que é mais legal em escrever é que você pode encarnar o personagem que quiser, viver diversas situações até com certa intimidade, verdade. E, assim, seus leitores entendem como querem, ficam se perguntando se tem um pouco de você no texto ou se é totalmente você, no que você pensou naquele momento, enfim... A imaginação se amplia e, tanto quem escreve como quem lê, viaja. É! Eu que viajei escrevendo isso agora, hein? Okay, chega de devaneios! Aliás, quem lê o Sacudindo Palavras, também está convidado a ler o Pensamentos Devaneantes, que é um blog de três devaneadas, uma delas sou eu.
E, poxa, eu sei. Estou em dívida com os blogs que acompanho; não tenho os lido ultimamente, apenas estou retribuindo as visitas que vocês tem me feito. Mas acho que logo coloco minha vida "bloguística" em dia.
Um abraço da @ericona, meus queridos blogueiros!


61 comentários:

  1. Ai, Dona Erica, como sinto falta de vir aqui. Minhas últimas visitas têm sido rápidas demais. Amo o que você escreve, e você sabe muito bem disso. E o segredo é que não sou muito fã de poesia, mas a sua é diferente, é boa e ponto. Acho que já falei isso.
    Continue dançando enquanto houver retorno.
    :*

    ResponderExcluir
  2. Nossa Erica, teu blog ta tudo de bom heim, amei...perfeitão


    O PALAVRAS DE BRINQUEDO está com post novo, passem lá, deêm uma olhadinha, vai...pelos velhos tempos...

    ResponderExcluir
  3. aliás...como coloca o negócinho do skoob?? kurti muito

    ResponderExcluir
  4. Se alguém me amasse, tal pessoa poderia escrever isso sobre mim.
    Exatamente assim.

    ResponderExcluir
  5. "E nós dançamos uma dança estranha"

    É como valsar por oras sozinha, oras com a imaginação e ele, mesmo que ele "não saiba". Duvido dessa parte, mas que linda maneira de expor essa paixão, Srta. Ferro. (:

    O layout ficou lindo. Jana é Jana, velho! :P

    Beijos
    ;*

    ResponderExcluir
  6. Oi querida,

    Passando pra dar oizinho.
    E dizer q não estava conseguindo acessar seu blog.
    Ufa! até enfim consegui agora rs...

    Bom findi...Beijocas!

    ResponderExcluir
  7. O gelo que queima. O inverno perpétuo. Teu blog está tão diferente, doce. Faz tempo que não passo por aqui. Agradeço a tua presença lá no meu blog, ele está muito abandonado. rs

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  8. Oi Érica!
    Caramba, vc arrassa demaais escrevendo isso mew!
    Escreve um livro, certeza q é publicado!
    Curti demais esse post. Profundidade de sentimentos, expressividade, detalhismo, realmente emocionante!
    Carry on girl! Inté!
    @lightbreeder

    ResponderExcluir
  9. Querida, desculpa não ter lido seus posts antes, eu realmente queria isso mas não tenho mto tempo, então quando sobra um tempinho eu vou me virando e fazendo o q dá. x) Mas acabei de ler os posts recentes q eu não tinha lido. Mais uma vez tenho que dizer: vc vai loooonge! Go ahead! Don't stop dancing, believe u can fly! xD
    Vamu ki vamu! Abraço!

    ResponderExcluir
  10. eu ando acreditando tanto no amor que chego até ficar com medo ;x

    beijas linda :*

    ResponderExcluir
  11. Esse poema me lembrou aqueles amores de filme, que o casal sempre passa por experiências dolorosas antes de ficarem, por fim, juntos. Também me fez lembrar daquela frase "Os opostos se atraem", mas, não sou muito de repetir coisas, ainda mais hoje em dia, que as coisas se tornam clichês na velocidade da luz.

    Outra coisa que já está ficando repetitivo é dizer que gostei muito do teu poema. Por isso sempre busco uma forma diferente de dizer isso.

    -- -- --

    Fiquei muito feliz com seu último comentário, e por ter citado Augusto Cury nele. Eu gosto muito do modo como ele escreve. Li apenas dois livros dele, que foram: Filhos Brilhantes Alunos Fascinantes; e O código da Inteligência. Ambos me agregaram um valor inestimável. Agora quero ler os outros...

    Se algum dia eu escrever como ele... ah, seria, com certeza, uma pessoa bastante conformada. Rs'

    O meu beijo! ;*

    ResponderExcluir
  12. simetricamente
    humano e suave demais.
    Gostei!

    BeijooO'

    ResponderExcluir
  13. Querida xará, estava em falta com os blogs que tanto me fazem bem, que sempre dizem tanta coisa. Os dias estavam meio pesados um tempo atrás, mas tudo está melhorando, voltando ao seu lugar. Um passo após o outro, alguém disse uma vez.

    Enquanto essa dança que descreves nessas tão bem traçadas linhas, faço parte dela, danço todos os dias.

    ps layout novo né? Lindão.
    Beeijos

    ResponderExcluir
  14. "Teus olhos choveram" foi um começo de matar.

    ResponderExcluir
  15. LÁGRIMAS
    Autor: Carlos Henrique Rangel

    Esse rio que goteja
    suas águas
    de alegria e tristeza
    segue pelos sulcos
    que o tempo talhou.
    Também essas águas
    de rio salgado
    moldam a máscara,
    Desenham o que sou...

    ResponderExcluir
  16. Na verdade pra quem acredita no amor como um todo,vê tudo relacionado a esse sentimento com um olhar maravilhado,até msm na dor ou falta de correspondência,encarando esses momentos como apenas uma transição para um final feliz...
    A maioria das pessoas preferem amar o inalcançável justamente pelo fato de não poder tocá-lo e tê-lo por perto,evitando futuras decepções.O imaginário é sempre melhor do que o real.

    Beijos Anjo,estarei sempre por aqui,afinal seu blog,eh minha biblogoteca semanal,hehe ^^

    ResponderExcluir
  17. Nossa, LINDO . Me lembrou (por mais que pareça estranho) um amigo que morreu afogado, não sei se você vai saber quem é, mas virou noticia , o 'surfista herói' Tony Vilella . Deu até um aperto no peito.
    Bom fds flor, até logo ;*

    ResponderExcluir
  18. Pra algumas pessoas, o inverno é charmoso...

    beijo!

    ResponderExcluir
  19. Parabéns blog ta muiito bom mermo
    VC ESCREVE MUIIITO BEM MESMO

    a propósito to te seguindo
    se der passa la..

    CAOS MUNDIAL - CLICA AQUI, SEGUE E COMENTA??

    ResponderExcluir
  20. Não sei se você se lembra que eu também tinha a mania de explicar o X da questão no OBS, ou P.S. mas parei com isso, descobri também quão bacana é deixar os leitores verem do jeito deles.

    Acho que quando alguém não me quer, mais vontade me dá de tê-lo pra mim.

    ResponderExcluir
  21. Tenho uma certa relutância a respeito da minha pessoa escrever observações profundas sobre aquilo que foi dito por mim, o que explica as interrogações alheias geradas. Enfim, que saudades doces estava deste teu cantinho, dona Erica! E achei super digno o novo layout, assim como esse azul bem sublime (sou suspeita para falar de azul). :3
    Bem... o que posso dizer sobre o poema... Poderia começar falando que o ser em questão já é inerente ao teu coração e te faz produzir tantas mais poesias sobre o amor, poetisa Erica? Ou que ele é o tempero que faltava às suas letrinhas? O enigma do teu viver? Ou então, poderia esquecer qualquer indivíduo que seja, pois poetas também fingem. Resumirei: nessa dança do amor, acompanhada ou não, é que nos encontramos - todos - por esta vida.
    Continue dissipando sentimento, Ericota!
    Um beijo, gabi. (:

    ResponderExcluir
  22. Erica!!! achei tão lindo teu poema... um ar nostálgico, convidativo, sereno... hum, me perco lendo vc!
    não comentei antes, mas o teu blog de cara nova ficou muito bacana!
    :)

    beijão!!!

    ResponderExcluir
  23. Fico a me perguntar, na potência deste sentimento: o amorr. Séculos e séculos se passam e ele parece estar cada vez mais inesgotável. E você, como poetando, dando tua parcela de poesia para este ser divino e presente.

    Carinho, Ferro.
    Continuemos...

    ResponderExcluir
  24. eu gosto mt dos seus poemas, pq são super bem escritos e tocantes... xD
    e tbm adoro ps PS.... tipo, marca registrada do seu blog! xD
    bjss

    ResponderExcluir
  25. nossa Erica que dança linda, creio que dançam num ritmo único *--*

    ResponderExcluir
  26. E eu estou completamente apaixonada pela menininha do layout. Eu sei, já comentei sobre ela aqui! Mas uma pequenininha com um livro na mão me encanta! =]

    Fico tão feliz em vim aqui, ler seus textos e ver que a cada texto vc se supera!

    Beijos Mil.

    ResponderExcluir
  27. Eu ainda não desacreditei do amor, Erica... por isso, posso ver vocês!

    E é uma bela paisagem!


    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Não é só a sua vida de blogueira que não anda em dia! hahaha!

    sua poesias dão margem a muitas interpretações mesmo, mas sabe que eu gosto de saber o porque das coisas? Você parece uma escritora famosa, eplicando seus motivos! :D

    Acho mesmo muito diícil comentar sobre poesias, porque são o tipo de texto que nos faz sentir e não pensar. Achei linda esta, serviria pra eu falar de uma tal pessoa... s2

    Abraço, Ericona!

    ResponderExcluir
  29. Mas a beleza na dança está no seu desconcerto, não está? Beijo!

    ResponderExcluir
  30. Flor...
    Hum...
    Sou suspeita pra falar de dança...
    Tudo em mim é uma dança... rsrs
    Ok...
    Nem tudo...
    Mas...
    Grande parte...
    Agora...
    Voltando ao foco do poema...
    Hum...
    Me pergunto como uma pessoa possa viver em um inverno perpétuo...
    Nem tudo deve ser tão frio, triste...
    Lindo poema!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  31. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através Um Lugar ao Sol Perto do Vento, da Ju Fuzetto. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Eu sei que é um abuso da minha parte te mandar essa propaganda control c control v, mas quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


    Abraços

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  32. fazia tempo que eu não aparecia por aqui e fico feliz de ver o blog indo para frente com posts tão legais!
    toda vez que leio alguma coisa que você escreve penso em várias possibiilidades... e isso torna as suas poesias maravilhosas! parabéns!
    www.nadatudotudonada.blogspot.com
    www.marcelareinhardt.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Nossa busca na vida é aprender sobre o amor...paz.

    ResponderExcluir
  34. Como sempre,seus textos arrasando! Haha Amo interpretar eles! *__*

    Bjs!

    ResponderExcluir
  35. Que lindo e que impactante? ao mesmo tempo!

    ResponderExcluir
  36. Acho lindas as tuas poesias. São suaves e bonitas e tristes, até quando tem um quê de leveza, de sutileza e de amor miúdo.

    Lindo o lay, querida.



    Reabri o PS. As palavras ainda não vieram fortes, mas te convido para uma prosa fácil e uma xícara de café quente.

    Beijo doce e um sábado lindo pra ti :*

    ResponderExcluir
  37. O mar é um cenário perfeito para começar um grande amor... e escrever poesias.

    Eu ainda acredito no amor, na poesia e nos p.s.

    : )

    Beijo!

    ResponderExcluir
  38. Ai tá bom né?
    você ja sabe que tem uma fã aqui!

    E esse novo parece ser bem legal, vou conferir! =)

    ResponderExcluir
  39. nada pior que
    após horas de algoritmo
    aparecer uma poesia na minha frente

    é óbvio que eu não consegui tirar uma ideia mínima da tua poesia
    bom
    eu tentei ler
    olhos, inverno, destempero ou algo do tipo

    mas nada fez sentido hoje

    desculpa
    mas só posso agradecer
    pelas visitas
    os comentários
    e os elogios de sempre
    obrigado

    :D

    ResponderExcluir
  40. E essa dança que não me canso de dançar. Uma valsa, um tango ...
    AH Èrica como é bom ler seus versos. Sempre saio daqui com uma leveza na alma .
    Beijo querida
    >3

    ResponderExcluir
  41. Dança estranha.

    Mas tão normal.
    Não é?

    E quem nunca esteve em pelo menos algum dos infinitos lados que essa dança tão constante na vida nos oferece?

    E o frio, quando não nosso, fere tanto.

    E o modo como descreve o amor, Erica,

    gostei,
    me indentifiquei demais.
    lindo.

    ResponderExcluir
  42. Me sinto tão em casa aqui. Já disse isso? Pois é, agora estou dizendo. Beijo, Eriquita.

    ResponderExcluir
  43. Tem certas danças que é melhor pensar 3 vezes antes de começar..
    pq talvez, no fim você pode acabar dançando sozinha...
    :S

    ResponderExcluir
  44. gosteei de sacudir ake
    asashash
    passa no meu blog ;*

    ResponderExcluir
  45. Pra mim, esse é o máximo de escrever. Porque depois que você mostra um texto seu pra alguém, ele passa a ser dessa pessoa também, porque cada um lê, entende e sente aquilo de um jeito, que são próprios dela, e ainda que não vá de encontro com aquilo que você pensou ao escrever, não pode estar errado.
    Beijos

    ResponderExcluir
  46. Quarta feira é pra levar uma poesia pra escola, qualquer uma, vou levar uma tua... Pode neh?! OAPSKASOPK'
    Beijos Erica

    ResponderExcluir
  47. E existe palavra ainda nesse mundo que não se encaixe em você?
    Voce sabe usá-las demais... rs
    HAHAHAHA

    amo amo amo amo amo amo amo teus poemas.

    ResponderExcluir
  48. E como desacreditar no amor né, Ericona?? Amor verdadeiro é um milagre na vida dos homens!

    E de milagres esse planeta tá cheio!!!

    tem outras coisas tbm... hehehe

    xD

    :P

    ResponderExcluir
  49. Ah, Ericona...esse parece ter sido feito pra mim.

    Obrigada, eu estava precisando.

    Beijos, docinho, e boa semana!

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  50. Érika... Super obrigada pela visita e pelo carinho viu? Volta la mais vezes ;)
    E a proposito... Posta mais pra gente se deliciar com as tuas linhas, vai! :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  51. Amiga!

    As ondas da praia pregam com cada partida às pessoas...

    Beijinho

    Boa semana

    ResponderExcluir
  52. E que dança você decidiu dançar com seu personagem criado pelo seu interior...
    Mas,toda dança precisa ter uma música né?
    Então, as músicas nos marcam de tal forma que sempre saberá os passos dessa dança.

    ResponderExcluir
  53. olhos que choram depois de um banho de mar, que saudade infinita...

    ResponderExcluir
  54. Acho muito engraçado a forma como você muda completamente o jeito de escrever dentro de um único post. Você é tão culta e certeira nos pemas e no "p.s." você solta o verbo!

    ResponderExcluir
  55. Acho lindo que teu texto expressa a tua não-realidade de forma tão real. Me sinto beijada na alma por tuas verdades inventadas, se é que as posso chamar assim.
    Absoluta em tuas reações, percebo teu texto tornando-se meu à medida que o leio e percebo tons da minha vivência imersos em marcas do teu compasso.

    Suave, como sempre.
    Beijo solitário.

    ResponderExcluir
  56. Ericota...

    Eu adoro quando você lança essas esse textos que tocam na alma, simplesmente porque eles são como "os olhos de um sonhador que não desacreditou no amor".
    Beijos grandee ;)

    ResponderExcluir
  57. A magia da leitura está em interpretar, imaginar cada cena, cada gesto, cada voz... E nada se compara a isso! *-*

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?