05 outubro 2009

Não analisa não...

Não analisa não.
Era a palavra de ordem, espécie de lema que comandava o destino dos três, diante do qual nenhum obstáculo se sustinha. Acordo tácito, compromisso de honra: não analisar, porque do contrário surgiriam problemas, todos tinham seus problemas: esmiuçando motivos, prevendo conseqüências, nenhuma atitude seria possível, a vida perderia a graça.

(Trecho do livro O Encontro Marcado, Fernando Sabino)



Esse trecho do livro ficou guardado em minha memória. "Não analisa não."
É a pura verdade que, quando analisamos, refletimos, se vale a pena passar por uma situação ou não, se é arriscada, se irá nos prejudicar, o mais provável é que achemos milhões de empecilhos e de riscos.
Há coisas, obviamente, que precisamos analisar. Não dá pra fazer tudo no ímpeto, na sorte.
Porém não dá pra ficar analisando e planejando tudo, pois, como diz no livro, a vida perde a graça, as surpresas.

Por exemplo:
É feriado, o dia raiou e um lindo sol surgiu no céu. A sua casa está a maior bagunça, tudo para fazer. Seus amigos te ligam. "Vamos à praia?". Você não pode. E a casa, a bagunça, as louças na pia, a prova do vestibular que você irá fazer em breve? "Não analisa não".
A casa, a bagunça, as louças e tudo isso (o vestibular, dependendo da data dele e do quanto você tenha estudado, pode esperar...) podem esperar. Até porque são trabalhos que nunca se acabam, nunca terminam - e, convenhamos, não são muito prazerosos, não é?
Agora a nossa vida é única. Um dia não vivido com prazer e proveito, é um dia morto, um dia perdido.
Não digo que devemos viver desvairadamente e não fazer o que tem de ser feito também, mas abdicar de um dia de "convenções" para viver um dia de emoções vale a pena e não vai matar ninguém, certo?
É disso que falo.

"Não analisa não."
Não analisa os perigos ao ser cercado pelo amor. Invista, não resista, dê uma chance a ele. Se formos analisar, poderemos chegar a conclusão de que parte da humanidade não sabe amar, que só sabem iludir e enganar. Acabaremos não nos entregando e, talvez, perdendo uma chance de sermos felizes e amados (as).


Viver é um risco, mas não é uma predestinação aos acidentes. São apenas riscos.
Então, arrisque mais, viva com gosto e prazer!
Adicione doses de loucura à sua vida.

"Controlando a minha maluquez, misturada com minha lucidez."
Que exista um equilíbrio entre a nossa loucura e a nossa lucidez.
Que possamos sentir a brisa, ver o pôr-do-sol na beira da praia sem nos preocuparmos tanto com certas atividades infindáveis e que podem esperar.
Que possamos enlouquecer às vezes. Por que não?
Que entendamos que não analisar às vezes é bom.
Que podemos ver a graça da vida e sorrir de seus gracejos.

Só temos uma vida para viver e por que não aproveitar isso da melhor forma possível? Por que não esquecer das convenções, obrigações por algumas vezes?
Quebre as regras, de vez em quando.
Seja feliz sem medo!

"Não analisa não, coração!"

(Erica Ferro)



P.s: Oi, pessoas!
Tudo bem com vocês?
Olha só, hoje eu tinha muito, mas muito mesmo, pra falar aqui. Entretanto o dia foi muito corrido, não fiz nada que prestasse, mas voou e eu, simplesmente, me lamento por mais um dia deixado na memória (isso soou deprimente, eu sei...).
Enfim, não consigo organizar as ideias hoje.
Estou agoniada, revoltada, desesperada, estressada, atrapalhada...
É, não estou muito bem não. Não é tristeza, não é dor, é aquela fase que toda a mocinha-mulher passa. Os dias vermelhos, o choro sem razão, a agonia sem fundamento. Entenderam?
Quando eu estiver mais lúcida, venho aqui escrever coisas mais decentes.
O texto acima foi postado no Divã cor de rosa (blog coletivo que participo, como alguns sabem...), no dia 12/09/2009 (faz um tempinho...).
Enfim, espero que gostem do texto (que não é lá essas coisas, admito... é que não sei escrever direito mesmo, me perdoem...).
Ai, queria tanto ter falado algumas coisas que estão aqui pulando e se contorcendo dentro de mim, mas eu não consigo organizar...
A minha esperança é de, na próxima postagem, conseguir escrever e descrever parte do que se passa na minh'alma, na minha mente e no meu coração.
Fico por aqui, gente...
Grande abraço pra vocês.

33 comentários:

  1. aaah, eu adorei o texto, sim, deveríamos VIVER pelo menos por alguns dias, né?

    aah, e eu com certeza entendi os teu dias vermelhos. tbm tô assim, comofaz? aehuaeh

    beijão pra ti, e obrigada pelo carinho ;*

    ResponderExcluir
  2. Já li este livro.
    E toda palavra é existência...

    Continuemos, Erica.

    ResponderExcluir
  3. Quanta modéstia...
    O texto está ótimo!

    Adoro Fernando Sabino e concordo em partes com essa frase. Pra mim funcionaria mais se fosse "Não analisa MUITO não". É bom analisar pelo menos um poquinho, neh?

    Ahmm... Vc falou sobre as minhas atualizações. Eu não estava permitindo feeds. Não sei se o problema era esse, se não for me avisa.
    *Obrigada por se importar!

    ResponderExcluir
  4. Blog sensivel, inteligente e bem conceitual, parabéns, já te sigo!

    ResponderExcluir
  5. O texto está bom SIM.

    Espero que consiga essa organização mental que deseja, e volte, e escreva.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. oi amr,
    tem selinho pra ti no blog passa pra pegar ;)
    beijos ;*

    ResponderExcluir
  7. O texto é bom sim!*.*
    E devo imaginar o que você está passando,espero mesmo que tudo se organize,se resolva,e você venha poder desabafar tudo que está em seu coração,te incomodando!*.*
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. É tudo verdade, enquanto mais fica analisando as coisas tudo se enrosca mais, gosto da qui, muito fofa a observação ee o texto

    *-*

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Eu aprendi a quebrar certas regras,a correr certos riscos e viver loucamente de vez em quando.E descobri que é muito bom.E também parei de analisar certas coisas,como as coisas do amor.Concordo com você totalmente quando diz:"invista,não resista,dê uma chance a ele".Cansei de resistir.Vou deixar rolar e ver no que dá.

    ResponderExcluir
  10. Heeey...
    Bom, reealmente, ás vezes passmamos tanto tempo analisamos e deixamos de fazer o que de fato nos agrada.
    Analisar é sadio, mas em excesso faz mal.
    =*

    ResponderExcluir
  11. Eu gostei hunf.
    Espero que voce fique bem logo, UAI.

    e, nao posso continuar a história ali do blog, por enquanto.. UHAUAHUAHAUH deu merda. D:

    ResponderExcluir
  12. Li esse texto no Divã, muito bom! Só vc que não achou, né? uahsuhasua
    Sei bem como são esses dias vermelhos, horrível mesmo, a gente muda da água pro vinho, literalmente. aushuhauhuahsa
    Bjooss

    ResponderExcluir
  13. adorei o filme 'encontro marcado', mas não sabia que existia o livro. Talvez eu esteja boiando.. mas o livro conta a mesma historia que o filme, ou o nome é parecido? qoiuwoqiuwq
    adorei o texto, parabéns pelas conquistas do blorkutando! Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Hoje, depois de anos, não analisei.
    Um ponto para coração, zero para a razão! ;X
    Adorei o texto e vou procurar ler esse livro;
    Beijo (;

    ResponderExcluir
  15. Ah isso é a mais pura verdade.
    Pois tem coisa que se formos entender, é de enlouquecer.

    Um beijO

    ResponderExcluir
  16. adorei erica ;)
    as vezes precisamos deixar a razão um pouco de lado e enlouquecer né
    bgs

    ResponderExcluir
  17. Perfeito, se você me perguntar. Não gosto de ficar analisando muito certas situações.

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Primeira vez aqui e me disparo com este texto, sabe eu mesmo passo varios tempos analisando certas coisas, mas ai percebir que isto me faz mal, além do mais nada é perfeito!

    Mas espero que tudo isto seja apenas uma faze, que logo passa

    Se der passa lá no blog to esperando sua visita!
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Salve, Erica. Aqui é o Nivaldo Pereira, aprendendo a postar comentários, hehehe. Fiquei nostálgico com o post sobre O Encontro Marcado, livro que muito me marcou quando eu tinha uns 18, 19 anos. Um dia, o Fernando Sabino estava autografando outro livro dele em Salvador e eu levei meu Encontro Marcado. Ele ficou surpreso. Fez um desenho lindo no livro pra mim, fiquei todo besta. Pena que o livro se perdeu, mas ficou a emoção. Bem, emocionado fico eu de saber que você está curtindo meu Mapa-múndi. Beijão

    ResponderExcluir
  20. Aqui também é tão bom.
    Gostei. Muito.
    Esse não analisa não é tão eu. rsss
    Beijas

    ResponderExcluir
  21. eu leembro dessa postagem,gosto muito dela *--*
    e parece que a falta de inspiração e a correria tomaram conta dos blogueiros!!
    HSAUIEUIA'
    Mas amei o post mesmo já tendo lido *--*

    Bjs:**

    ResponderExcluir
  22. Aii que saudade daquiii. Gosto da maneira como você expõe o seu ponto de vista. Parabéns!
    beijos

    ResponderExcluir
  23. Fernando Sabino --> *-* owwn, preciso dizer que amo =)

    ResponderExcluir
  24. Sacudidora de palavras!
    Que saudade daqui! Sumi, mas agora voltei com tudo, viu?
    Obrigada pelo carinho de sempre!

    E ó! Vc continua brincando com as palavras como uma criança brinca com seus brinquedos! Vc é ótima! Parabéns...

    Vou tentar não analisar, não... É difícil... Já tenho a mania.... Mas vamos concordar: O mais importante é viver sem medo! Encarar as coisas de frente e aprender com o que a vida coloca no caminho, não é?!

    Ameiiii voltar aqui!

    Um beijo enooooooooorme!

    ResponderExcluir
  25. Valeu emsmo pelo comentário, Erica! Você é mara ;) a pessoa mais atenciosa quanto aos comentários de seus leitores de toda a blogosfera! Arrasou!
    Pois é, linda: aqui não tem ginástica artística. Que raiva. Mas já até me acostumei, mas no começo foi meio chato, porque não podia fazer nada e era só o que eu fazia. E eu me arrependo de não ter continuado, foi uma pena.
    E você? Não sabia que você tinha alguma deficiência, você me parece tão normal! Tão incrível! Mas as paraolimpíadas vão te aguardar ´lá em 2016, quer ver? E eu vou estar lá, torcendo por você na natação ;)
    Quanto ao seu post: minha nossa, eu já quebreri tantas vezes as regras... Uma vez eu deixei a minha casa sozinha pra ir jogar vôlei com a galera na praia. Não dispensei. Mas chegou em casa, levei uma surra daquelas da mamãe! Rs'/ isso me mostrou que não basta só ser rebelde, quebrar as normas. Mas sim fazer a sua parte pra depois desrespeitá-las e não ter o menor pingo de preocupação, pois não há dúvidas de que a sensação do proibido é uma das melhores da vida! Quando não o é analisado, claro.

    Amei o post, Erica! Falei demais? Ops! Desculpa!
    Beijonas ;* [você gosta de trocar cartas? Eu vou amar me corresponder com você!]

    ResponderExcluir
  26. Posso confessar?
    Eu já analisei muito, demais mesmo. Mas parei. Quando eu paro para pensar eu perco o contole da situação e fico sem saber muito o que fazer...

    adorei a reflexão, moça.

    ,,
    *

    ResponderExcluir
  27. Passando novamente e recifrandos os signos...

    Confessor que não foi das melhores leituras que já fiz o livro do Sabino, Erica. Mas é um livro essencial, sem sombra de dúvidas.

    Meu carinho.
    Continuemos...

    ResponderExcluir
  28. Eu também adoro o que voce escreve, érica. Acho mesmo que somos parecidas. hahaha =)

    Ham, eu li de novo o ''não analisa não'' e ele me deu uma luz! HAHA
    eu fui chamada pra a praia... mas recusei por conta da bagunça, dos estudos do blablablá.. depois me olhei no espelho e pensei ''Porque eu tô analisando? Vou sim e foda-c'' -q-q-q UHAUAHAUHA


    beijos.

    ResponderExcluir
  29. muito bom Érica,
    concordo plenamente, já escrevi algo nessa linha mas não recordo, rs
    bons dias

    ResponderExcluir
  30. olá, tudo bem? tenho visto o conteúdo do seu blog e achei muito criativo, é uma liberdade de expressão que está dentro de vc mesmo, gosto disso, as pessoas podiam se expressar mais em palavras, muito bem elaborado seu blog, desde já faço-lhe o convite para ser seguidora do meu, tem muitas coisas e eu ainda estou iniciando, tem música, entretenimento, coisas sobre mim mesmo, e assuntos esclarecedores escritos por mim que estarão sempre abertos à comentários, é legalzinho, entra lá e dá uma olhadinha, se quiser deixar sugestões tb fique á vontade, super abraço, juliano.

    ResponderExcluir
  31. adorei o texto e não melhor maneira de viver s enão essa despreocupasse essa é ordem ^^

    ResponderExcluir
  32. Brilhante isso! Eu mesmo nunca tinha parado pra pensar o quanto eu analiso as coisas (apesar de ser sempre uma análise infrutífera). Preciso ler esse livro.
    E você, pelo jeito, tá naquela fase em que nada do que a gente escreve nos parece digno, mas por mais que a gente ache que é um texto ridículo, as pessoas insistem em nos elogiar. Eu também tô nessa, não sei se acredito neles ou não... quer saber? Não analisa não ;)

    beijos

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?