28 janeiro 2010

(Des)aperte o (s)into!

Aperte o sinto, entendes? Reprime o sentir, pois isso não está mais na moda, talvez nunca tenha estado. A tendência dessa estação, ou de todas, é apertar o sinto, colocar um sorriso nos lábios enquanto o coração está em frangalhos, estraçalhado, irreconhecível, pois já diria uma frase de um sábio-homem-burro, se é que isso possa existir, que diz que essa é a maior virtude de um ser humano.
Virtude? Hipocrisia!
Aperte o sinto, ora, todos gritam. Por que chorar? Para que fazer da sua dor algo público? Ora, te disseram "Bom dia. Tudo bem?!", diga que está um dia lindo, que está tudo bem, maravilhosamente bem e que, se melhorar, estraga.
Aperte o sinto. A sociedade gosta disso.
Olhe, olhe, consegue ver? Tem alguém no meio da sociedade, um membro desta mesma, mas... Olhe, olhe bem, ele quer se rebelar, se revoltar. Olhe, ele soltou o sinto, ele está chorando, ele está gritando, contando todos os seus problemas.
Agora ele tira uma mão de alguém ferozmente da boca dele, a intenção era calá-lo. Olhe, vês? Alguém mandou-o sorrir, deixar de cena dramática, pois eles só gostam de cenas felizes.
Cena. Aperte o sinto e faça cena. Porque, olha, é mais agradável ver sorrisos do que choro, não é verdade?
Aperte o sinto e não busque soluções para o que tu sentes. As coisas são mais fáceis assim, não é?
Não é melhor fechar os olhos e fingir que não há nada, que está tudo lindo e perfeito? É, é sim! É a teoria do aperte o sinto.
Ora, que teoria mais idiota! E mais idiota é quem adere à ela.
Solte o sinto, sinta e chore. Sorria, dance, cante, pule e faça poesia se isso for o que teu sentir pedir.
Sinta e faça questão de mostrar isso a quem quer que seja. Ande de cara limpa, sem blush, batom ou qualquer coisa do gênero. Limpa, pura e unicamente verdadeira, você, pessoa, que sente e que não faz questão de apertar o sinto.

(Erica Ferro)



P.s: Opa! O quê? Uma semana sem postar aqui? Parece mentira, mas não é. E o que há com a Erica Ferro? Não consegue mais sacudir palavras? Talvez. Mas o meu cérebro anda bastante inquieto, sacudido, por isso não tenho conseguido organizar minhas ideias e escrever o que se passa comigo ou o que eu gostaria que se passasse.
Bem, hoje, eu queria falar sobre muitas coisas, sobre várias e várias coisas. De estresse a alegria extrema. Da delícia do primeiro amor e do fim do mesmo. Eu poderia falar de várias, realmente; mas foi isso que saiu.
A ideia do texto devo ao Rafael Guimarães, não que ela tenha dito o que escrever, mas foi algo que ele disse no MSN, algo que me fez ter a ideia de escrever isso. Estava Rafael, Letícia Christmann (uma das moçoilas que escreve no Pensamentos Devaneantes comigo... Visitem lá, certo?) e eu no MSN; Letícia inicia a conversa com: "Atenção, senhoras e senhores, convoco quem está online." Rafael prossegue com a brincadeira: "O avião está prestes a decolar. Queiram sentar-se em seus assentos, apertar os sintos, de preferência com "C".
Nisso, eu disse que ele era um gênio e que eu o amava, o que é bem verdade, as duas afirmações.
Rafael é meu amigo querido, conselheiro amoroso, enfim... É o meu nerd cearense; adoro o sotaque dele.
Pois é, foi dessa frase do Rafael, dos "sintos", que eu tive a mirabolante ideia desse texto. Enfim, caiu como uma luva para o que já vinha me atormentando e pedindo aparição. Pode-se dizer que é um desabafo. É, pode-se sim.
(...)
Olha, eu estou muito feliz com uma coisinha: o Sacudindo Palavras chegou ao seguidor de número 200. Não sei quando foi, porque minha internet me deixou na mão sexta-feira passada e só voltou na segunda. Então, quando eu voltei, vi essa coisa linda. E quem é o meu seguidor de número 200? É o Henrique Montenegro, coisa linda, meu amigo querido, que quer tirar uma foto comigo, mas eu sempre fujo disso, hehe. Não gosto de fotos, receio em queimar a câmera, coisa assim, sabe? É, eu sou traumatizada e louca. E não, eu não vou mudar, porque eu sou rebelde, e eu não sigo os demais (piada infame, hein? não matem-me, obrigada).
E bem, amigos da rede blogueira, eu ando muito em dívida com vocês, sério. Não retribuo mais as visitas - e são muitas que eu devo, que vergonha. Mas, pelo menos quem eu sigo, eu não tenho abandonado. Mas olha, quando eu criar vergonha (ok, mais vergonha, porque, mesmo sendo pouca, eu ainda tenho, hehe), eu visitarei, pouco a pouco, quem tem me visitado, me deixado lindos comentários, alguns críticos, puxando-me as orelhas, mas que sempre me fazem muito bem. Eu queria agradecer, viu? A todos, aos velhos amigos, aos novos, a vocês que fazem a minha vida ficar mais sacudidamente feliz.
E olha (eu falo muito "olha" e "enfim", enfim... me desculpem por isso? hehe), não prometo não me afastar tanto daqui, porque eu ando louca e sem sentido, por isso tenho fugido da caneta, do papel, do word, do bloco de notas. Tenho fugido por medo de falar algo que eu não quero ler, ou descobrir. Tomara que isso passe logo, pois não é algo bom.
E isso não foi um P.s, isso foi um texto, maior do que o próprio post. Isto é uma vergonha (hahaha)!
Certo, chega de tanta coisa, de tanto sacudir palavrinhas, melhor ficar por aqui.
Um abraço da Erica Ferro, a doida, a traumatizada, mas que ama muito isso daqui.

41 comentários:

  1. Achei um pouco confuso no começo, mais adorei.
    Acho que uma das piores sensações é você querer fazer algo, e não poder ou simplesmente alguem disse pra você ser algo que você não é.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eriquilda, eu lhe disse e vou dizer de novo, o gênio não sou eu. Pode perguntar a qualquer um que lê seu blog. Tu é simplesmente fodástica!!! Consegue ver em um erro de português algo para colocar em um texto, belíssimo por sinal.

    A cada dia mais você ganha minha admiração, não só como pessoa, mas como escritora tamém e vice-versa

    ResponderExcluir
  3. Adorei! Pura verdade, não devemos manter o sorriso no rosto porque as pessoas impoem isso de certa forma. Devemos chorar quando for necessário, e mostrar o que sentimos, sendo dor ou amor.

    E é, esse ás vezes-sempre ;~ rs

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. ah, mas às vezes eu tbm fico um bom tempo sem postar.. qd vem a inspiração a gente digita, ne??
    bjssss

    ResponderExcluir
  5. Você sabe escrever muito bem, incrível, adorei o seu texto erica :)

    beijos

    ResponderExcluir
  6. Amei cada palavra!
    E concordo, nada de apertar o cinto!
    Se tiver que chorar, chora!
    Se quiser dançar, dança!

    É isso, texto excelente!

    Beijos pra ti, Erica!

    ResponderExcluir
  7. aaaaaaaaaa que bom que voltaste Erica!
    E gostei de ver ein?
    A verdade, é que colocamos mascaras para fingir o que sentimos. Mas eu me encaro como alguém que diz o que sente, às vezes tão pouco ligo para humilhação, ou desprezo. As pessoas não sabem nada sobre minha vida.
    E todos deviam ser assim.
    Se todos mostrassem seus sentimentos, seriam pessoas mais completas e realizadas.

    Esconder aquilo que sentimos nos faz tornarse pessoas em que não somos.


    Beijinhos Erica, otima semana a você!

    ResponderExcluir
  8. Não tem coisa pior do que querer fazer algo e não poder.

    Adorei o post.
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Aprendi a ler primeiro teus ps's, não sei porque, só sei que o faço...

    Nas palavras de Rafael: "Tu é simplesmente fodástica!!!" Não há mais nada o que dizer, Ericona.

    Afrouxemos o sinto!

    Beijos, flor.
    ;*

    ResponderExcluir
  10. aaah, odeio querer fazer algo e não poder! D:
    hahaha, adorei o texto!

    ResponderExcluir
  11. Eu não sei fingir, e mesmo quando eu o faço dizendo que "está tudo bem" quando, na verdade, não está, os meus olhos me entregam.
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Ericona, minha flor : se essa é a modinha da estação, como tu disse, informo que, comigo, não vai colar.

    Mostro na cara o que sinto, não me sinto "fraca" por ser assim, e por isso nunca vou apertar o "sinto" (com s).

    Ótimo texto! Eu também sou revolt! :p

    Beijo, beijo. ♥

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  13. Adorei!

    Cada vez mais as pessoas se escondem, com medo da profundidade...da exposição, de mostrar seus defeitos, suas fraquezas.

    Eu acho uma pena!

    Sou a favor de viver, mostrar claramente o que sentimos, qto mais verdadeiras, melhor para nós mesmas!

    sem mácaras e sem peso, fica mais fácil viver!

    bj

    ResponderExcluir
  14. Até que enfim, Erica! Tava na hora, já! SHUAHS, e ei, não esqueça que você vai entrar pro Tudo de Blog, Gata! Tá mais do que na hora de criar coragem e adquirir muita criatividade!

    Um beijo ;* E o texto, impecável *-* amei!

    ResponderExcluir
  15. Afrouxar os cintos...
    Acho que é isso que precisamos fazer...
    E como me divirto com seus P.S....
    Amei Erica!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Ora, Erica.
    Todo mundo passa por momentos ruins, e se você acredita que se afastar por um tempinho seja um solução, estou ao seu lado (y)
    Espero que se recupere e volte com seus lindos textos que encantam nossas vidas.

    Um beijo e um queijo (só para animar!)

    ;@@

    ResponderExcluir
  17. Coisa mais linda tudo por aqui

    eu já te visitei muitas vezes
    e não havia prestado atenção ainda

    mas agora sim...o que o tempo não faz com a gente,
    quando prestamos atenção nas coisas a nossa volta descobrimos coisas lindas...

    Você, as cores, o que escreves, como escreves...
    lindo
    e ri muito com teus P.s.
    uma graça...
    Você é tudodebom escrevendo
    é uma delícia mesmo...


    Abraço

    ResponderExcluir
  18. Porque vc é mara *-*

    E a inspiração vem onde e como menos esperamos neh?!

    ResponderExcluir
  19. Érica, acho que é a primeira vez que passo aqui. E já me deparo com um texto que eu TOTAL me identifico. O que lembrei é que tem gente que já não usa o "sinto" apenas, mas já aquela coisa toda de aperta barriga e sobe bumbum sabe como? Pois é.. e transpassa isso pro sentir.. triste, triste pois além da racionalidade o sentir (as emoções) também nos difereciam dos animais...
    Amei aqui.

    Bjo

    ResponderExcluir
  20. Querida amiga!!!

    Quando eu tinha mais ou menos vinte anos, resolvi que iria literalmente "soltar o sinto", e desde então, sabe? melhorei muito comigo mesma...

    Lembro de um post anterior seu, que falava sobre isso de fingir algo que não se sente para não desagradar a gregos e troianos (mais ou menos isso...) e me lembro tb que eu disse que em certas horas ou lugares (por absoluta conveniência!) algumas pessoas "apertam sim, o sinto"... porém, em contrapartida, sentem-se totalmente infelizes por terem que disfarçar, fingir, esconder sentimentos.

    A vida é assim...
    E cada um vai vivendo e escolhendo o que é de fato melhor para si, às vezes até em detrimento da sua própria felicidade...

    SEJA VOCÊ!
    Era tudo que eu ouvi na minha juventude. Então, resolvi ser EU!
    E te garanto que deu muito certo, princesa linda e 'traumatizada'...rs
    Tenho certeza de que daqui a algum tempo vc vai amar ler tudo isso aqui!!
    Quer apostar???
    Bjssss

    ResponderExcluir
  21. rsrs Ericona!!! Sempre você hehehe

    rsrs

    Muito legal o texto! a forma como abordou também...

    hum... no caso do "bom dia!" que é uma forma de cumprimentar, acho que devemos responder da mesma forma independente do nosso estado, pois na minha opinião é como se desejássemos isso... hehehe a não ser que você deseje um "mal dia" ao indivíduo... xD

    :P

    é o que eu penso.

    ResponderExcluir
  22. Bom dia, Érica.
    Essas dicas são maravilhosas, vez por outra eu consigo um tempo para vir aqui, são tantas as pessoas que acabo me perdendo.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  23. Sim, a sociedade só gosta de sorrisos. Não aperte o 'sinto', apenas desafroche. Ainda temos que tomar cuidado...

    Parabéns, pelos os 202!!

    ResponderExcluir
  24. É, a falta de criatividade e inspiração parece ser mesmo o mal do século, ou simplesmente o mal dos blogueiros nesses ultimos tempos, ou as duas coisas, hahaha. Mas ela volta Erica, pra mim e pra ti.

    ResponderExcluir
  25. Vou faalar só uma coisa pra você: VOCÊ ESCREVE MUITO SUPER BEM... parabéns;
    ZSEHAUISEHUIASHEUIAH

    beeijos ;*

    ResponderExcluir
  26. cara, simplesmente fiquei sem palavras quanto ao texto. Fingir que está tudo bem é sim a coisa fácil a fazer e não só isso, a que traria menos transtornos né? #aaaf!
    Ser quem realmente somos é dolorido, mostrar que somos fracos é ariscado e demostrar compaixão pelos demais e loucura dessa sociedade doente (isso que dá ler tantas obras de Augusto Cury, rs).

    Obg pelas felicitações dona ericona, bjão. Fica sem escrever aqui não, por mais que suas palavras não formem um texto coerente pros demais, mas ao menos escrever para nós mesmo já é uma saida. Se cuida!

    ResponderExcluir
  27. Não é seu primeiro sobre esse tama, neh, Ericona? Eu odeio hipocrisia também, odeio convenções falsas, ter que dizer Oi pra quem eu não gosto por educação. MAs, a vida em sociedade requer certas regras, ou então nos condenamos ao isolamneto. E isso não é bom, acredite. Além do mais um sorriso pode mudar o dia de alguém.

    **Que bom que gostou do lay... Fui eu mesma quem fiz. E não se preocupe, o ano não está bom pra quase ninguém. Se dê uma folga que logo vai pegar o jeito de sacudir palavras denovo. Todo mundo precisa de fériAS, LEMBRE-SE.

    ResponderExcluir
  28. E vou sair por aí... de cara limpa sem me importa com o que está por vir...

    beijãooooooooooooo

    ResponderExcluir
  29. COMENTANDO DE NOVO: Ai, nem em fale em paixão. Vou te contar tudinho quando entrar no MSN.
    Ai, leia GG nem que tenha que se atirar num poço. É supermaravilhoso, você tá esperando demais!

    Um beijo pra torcedora do Dourado ;*

    ResponderExcluir
  30. Aê, Ericona! Cara, tava com muita saudade de te ler. Se eu soubesse que teu blog tinha sido atualizado desde quinta, tinha passado aqui muito antes. Coisa estranha, não fui alertada da tua - logo da tua! - atualização...

    Enfim - aha, eu tb gosto de falar isso, tá até no nome do meu blog, Jesus! - esse texto está muuito bom, velho. Deixa eu repetir, pra ver se vc entende (rsrs): você é muuuito inteligente: tira um texto desses de uma conversa no msn. Acho que de nós duas é vc quem vai publicar um livro primeiro (do qual vou querer um exemplar autografado, claro).

    Cara, acho que soltei o meu sinto demais hoje. Te adoro, querida!
    Bjãoo, vê se não some, viu?

    ResponderExcluir
  31. Faça o que tu queres, pois é tudo da lei. Apertar o sinto é o mesmo que dizer que não é verade.
    Adorei!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  32. Com toda certeza! Melhor escrever agradando a si mesmo do que para obedecer as regras de uma pauta. Vai que eles gostem, ne? Tudo pode acontecer! IUAIOEUA
    E ganhar não é tudo.

    Beijinhos, ótima semana pra você Erica!

    ResponderExcluir
  33. Verdade, Poetisa.
    Soltem os sintos! :)
    Adorei, como sempre!

    ResponderExcluir
  34. Ah, que delicia!
    Livros novos é um imã para você devorá-los!

    HAHAHAHA, nao perca.
    É bom :)

    um beijo e um queijo ;@

    ResponderExcluir
  35. Legal seu texto... sufocar o que a gente sente é dose! Parece que o sentimento sufocado cresce e depois vem arrebatado... uma hora o copo transborda. Há momentos que não dá para expressar certos sentimenos, é meio perigoso se expor para qualque pessoa. Eu acho que o importante é a gente estar consciente deles, e mesmo que não tranpareça, senti-los em toda sua extensão, mesmo que ruins... um sentimento sentido assim aumenta nossa consciência emocional e fica recaldado, passa naturalmente, e se volta, volta mais fraco, e uma hora vai embora... Só voltam mais fortes os reprimidos. (obrigado pelo comentário no meu blog) Abraço t+

    ResponderExcluir
  36. Mais um... hehe.
    Eu sei como é essa vontade de desligar o computador e parar com tudo... haha. A nossa cabeça gira com milhares de ideias, vira bagunça... Tem hora que precisa de uma arrumada... (não sei se é bem isso que você quis dizer no seu post). Eu vou deixar uns links pra você... eles me ajudaram a arrumar mihas ideias... (não perfeitamente arrumadinhas, isso é impossível para as minhas ideias.. haha):

    http://www.olavodecarvalho.org/apostilas/intver.htm

    http://www.olavodecarvalho.org/apostilas/ideais.htm

    http://www.olavodecarvalho.org/apostilas/amorosa.htm

    t+

    ResponderExcluir
  37. Eu sinto que meu sentir é frouxo. Sinto que sinto demais, erica. É como se, eu exagerasse sentimentos dentro de mim e tranformasse em tempestade, pequenos copos d'água. Talvez por isso tenha me convencido as apertar o 'sinto' nem que seja so um pouco. Ser triste demais, nao é bom. Então, se eu estou triste demais, nao demonstro. É melhor. :)
    Mas, adorei adorei achei magnifico o texto.

    ResponderExcluir
  38. Acho que muita gente anda em falta com as escritas, mas se demora e vem com um bom texto como este já compensa.
    Adorei o texto e o desabafo(?)final.
    beijos!

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?