30 agosto 2009

A perfeição pode surpreender...

Noite de festa. Vinte anos de casamento da senhora Lúcia e do senhor Josué Montenegro.
Uma festa muito luxuosa, para honrar a condição financeira da família. Mulheres vestidas com longos vestidos de seda, jóias reluzentes, saltos altíssimos, cabelos com penteados elegantemente bonitos. Homens devidamente penteados, sapatos lustrosos e vestimentas dentro dos padrões de uma festa black tie.
A casa, devidamente decorada, bem iluminada, garçons bem trajados com bandejas de vinhos, docinhos e outras maravilhas, andavam de um lado a outro, quase correndo, para atender bem a todos os convidados. Uma das características forte do senhor Josué era o perfeccionismo. Nada podia dar errado, tudo tinha que estar impecável. Então todos os encarregados do desenrolar da festa estavam fazendo além do máximo para que tudo ocorresse perfeitamente.
Lúcia estava vestida com um longo vestido verde musgo de seda. Um colar de brilhantes lindíssimo e um salto razoavelmente alto. Tinha o cabelo num coque com alguns adereços como enfeite. Mas adereços sutis e muito belos, nada muito extravagante. Lúcia era, acima de tudo, discreta. Não achava que uma mulher de 47 anos deveria se mostrar de uma forma exacerbada. Tinha como lei que "menos é mais".
Já Josué estava trajando um smoking muito bem apresentável, cabelos penteados lambidamente para trás. Um senhor que aparentava ter menos do que 50, que era o que tinha.
A festa corria muito bem. Todos pareciam satisfeitos com a música, a comida e bebida e a toda recepção dos Montenegro.
Josué aparentava estar feliz; orgulhoso também. Uma festa memorável. Digna de coluna social. Ele adorava ser notícia. Ah, como adorava. Lúcia, por sua vez, não gostava de exibicionismo. Ela gostava mesmo era de ficar atrás das câmeras.
Mesmo em meio a todo o luxo, a sorrisos e a abraços, notava-se um clima tenso e diria triste no ar. Lúcia se esforçava para esboçar um sorriso, mas Josué era todo sorrisos realmente.
Lúcia há tempos andava preocupada com o seu casamento. Josué, de uns tempos pra cá, não era mais o mesmo. O homem que era calorosamente amável, agora se assemelhava a uma pedra de gelo. O amor que Lúcia sentiu que Josué um dia lhe teve, parecia ter morrido ou desaparecido. Definitivamente, ele tinha mudado. Mesmo desconfiada e preocupada, se manteve em silêncio. Pensou: "É só uma fase, irá passar!". Mas não passou, as coisas só tinham piorado. Ela não sabia mais o que fazer. Pensou em conversar com ele, perguntar o que estava acontecendo com ele, onde estava o casal apaixonado que um dia eles foram.
Porém não conversou. Apesar de Lúcia ser uma mulher conhecida por ser paciente e discreta, ela teve uma ideia, uma ideia um tanto quanto ousada e talvez desnecessária. Mas só saberia se era desnecessária se colocasse em prática. Resolveu, então, colocar um detetive para vigiar o marido, para saber o que estava se passando de fato com ele. As investigações iam bem. O detetive já tinha o visto várias vezes entrar em um prédio num bairro nobre da cidade, mas nunca viu com quem exatamente.
No dia da festa, o detetive Marcus ligou para ela, disse que tinha notícias definitivas sobre o
caso. Só que, nesse exato momento, Josué chegou na sala dizendo que ela tinha que se aprontar para a festa. Ela não teve escolha, desligou o telefone e todo o seu ser tremeu de ansiedade e uma certa raiva pela falta de sorte que teve naquele momento. Se arrumou e, com um descuido do marido, conseguiu ligar para Marcus. Ela lhe disse da festa e de toda a correria que estava na casa, disse também que não podia falar muito, contudo no dia seguinte gostaria de vê-lo para saber tudo o que ele tinha descoberto. Marcus concordou.
Por isso Lúcia andava naquele desconforto e tensão toda durante a festa. Josué não teve essa sensibilidade para perceber, pois estava muito ocupado com os flashs e seu falatório em público.

Algumas amigas perceberam que Lúcia não estava tão bem quanto deveria estar.

- Você está bem? - Disse Judith
- Muito bem. Tudo está tão lindo.
- Sim, sim. Devidamente lindo. Diria perfeito. Mas sinto que há um nervosismo em você, um desconforto.
- Ah, engano seu. Por que estaria?
- É, deve ser as tantas taças de vinho que já tomei. Estão me fazendo ver coisas onde não tem. Até porque você é uma mulher linda, tem filhos lindos e um marido exemplar. Uma mulher de sorte, não? Então não há porque você estar triste ou tensa. É, com certeza foram as taças de vinho que me deixaram assim.
- Com certeza, minha amiga. Com certeza...- Lúcia falou pensativa e sem muita certeza e segurança do que falava.

(...)

A festa correu maravilhosamente bem. Josué aprovou o bufê e orquestra. Sim, para espanto de Lúcia, que conhecia o perfeccionismo do marido, Josué tinha adorado a festa e todo o seu desenrolar.
Foram deitar exaustos. Josué feliz da vida, no dia seguinte sua festa de aniversário de casamento seria notícia na coluna social do jornal mais bem conceituado da cidade. Lúcia estava muito ansiosa, não via a hora de raiar o novo dia. Ela precisava encontrar Marcus e saber o por que de seu casamento ter desandado e se tornado aquela coisa fria e de aparências. Um casal que era tido como exemplo de perfeição e felicidade. Lúcia não sabia se ria disso ou se chorava, já que tudo só aparentava estar bem.
Lúcia demorou para dormir, mas felizmente conseguiu, o cansaço a ajudou adormecer.

(...)

Um novo dia se anunciou. Lúcia foi acarinhada pelos raios de sol do novo dia. Josué já tinha ido para a empresa Montenegro, onde era o presidente. Lúcia procurou o relógio mais próximo e se espantou com a hora. 10:00 horas. Pensou "tenho que ligar para Marcus.
Preciso me encontrar com ele o mais rápido possível." Ligou para ele e marcou de se encontrar às 12:00, almoçariam juntos.

(...)

- Olá, Lúcia. - Disse Marcus num tom educado e gentil.
- Olá, Marcus. Como está? Espero que bem. Olha, eu estou muito ansiosa, gostaria de saber o que você descobriu imediatamente.
- Calma, senhora. Sente-se um pouco, respire fundo.
- Oh, me desculpe pela a minha afobação e quase falta de educação.
- Tudo bem, não tem problemas. Bem, eu descobri coisas que terríveis, senhora Lúcia. Coisas que irão chocar a senhora.
- Oh céus! Me diga logo, antes que eu morra de ansiedade antes.
- Seu marido...
- Sim, diga...
- Seu marido tem outra família, senhora. Outra família. Andei investigando e descobri que ele tem dois filhos com uma mulher de 32 anos chamada Rute Videl. E o mais cruel. Ela sabe que ele é casado com você, sabe de tudo. Dos filhos que você tem com Josué, de tudo.
Mas, mesmo assim, o aceita.
- Oh meu Deus - Lúcia falou entre soluços e lágrimas - Isso é terrível, é inacreditável... Como ele pôde fazer isso comigo? Nunca pensei que isso fosse realmente acontecer. Quer dizer, logo eu? Eu que sempre fui uma esposa atenciosa, amável, sensata e fiel. Por que, meu Deus? Por quê?
Ai, eu sabia que havia algo de errado. Eu cheguei a pensar em um caso sem importância, uma aventura com uma mocinha mais jovem. Apesar de que algo em mim não queria acreditar nessa hipótese. Porém eu me deparo com essa realidade, outra família? É demais pra mim, eu não posso crer.

Marcus mostrou fotos e vídeos que tinha conseguido de passeios que Josué teve com a sua família oculta. Nos vídeos ele aparecia sorridente, abraçando e beijando apaixonadamente a sua jovem esposa. Em outros, aparecia brincando alegremente com os seus filhos. Crianças lindas, uma família perfeita se não fosse o fato de ser clandestina.
Lúcia não quis mais almoçar. Pegou todas as provas do crime de seu marido e saiu do restaurante chocada e profundamente triste. Queria buscar forças para esfregar todos os vídeos e fotos na face de Josué. Queria gritar o quanto ele era canalha e indigno de amor verdadeiro.

(...)

Foi dura a conversa, Josué desconversou e negou. Mas, quando Lúcia exibiu todas as provas, ele não teve o que fazer a não ser confessar o seu adultério. E foi cruel no que disse. Disse que há muito tempo tinha perdido a paixão e o desejo por Lúcia, que Rute sim era digna dele, uma mulher atraente, inteligente e extrovertida. Coisa que coisa nunca tinha sido. Em meio a todo tipo de absurdos que disse, falou que Lúcia era uma mulher desinteressante e sem sal. Sempre tinha sido, o único atrativo dela era o dinheiro. Sim, o dinheiro que tinha herdado do pai. Foi isso que Josué viu de interessante em Lúcia. Só isso. Fingiu uma paixão desmedida e arrebatadora. A pediu rapidamente em casamento, pois, segundo ele, a paixão que tinha no peito ardia e pedia incessantemente a presença eterna de Lúcia ao lado dele. Passou anos fingindo, até que resolveu não fingir mais, já tinha conseguido o que queria. Fez Lúcia assinar certos papéis que dava metade da fortuna para ele. Ele se gabava de ter sido bom com ela. Jogou-lhe na cara como era ingênua e que, se ele quisesse, teria feito ela passar todos os seus bens para o nome dele. Disse ainda que ela deveria o agradecer. Lúcia quis matá-lo, esbofeteá-lo, mas não fez, só sabia chorar e se lamentar por ter sido tão burra e ter se deixado enganar durante tanto tempo.

(...)

Lúcia passou bastante tempo mergulhada na solidão e no rancor até que cruzou em seu caminho um homem maduro, aparentemente íntegro, olhar encantador e, bem, lhe fazendo juras de amor eterno.

(...)

Será que Lúcia deixou a paixão tomar conta de seu coração novamente?

•••


(Erica Ferro)

•••

Conto para o Once Upon a Time.

•••

P.s: Ficou enorme esse conto, não é? Duvido que alguém leia todo e que eu ganhe. Ficou enorme e mal escrito. Mas foi tudo o que eu consegui escrever. Isso é que vale, não é? Boa semana pra vocês, gente.
Grande abraço.

14 comentários:

  1. Own niña,o conto ficou grande pela sua descrição minuciosa e os detalhes que não deixou de escrever,confesso não ter lido tuudo,só as partes mais importantes,e deu pra entender perfeitamente! Quantas famílias não são destruídas pela traição do marido,por ele não sentir mais desejo pela mulher e procurar outra né?! Seu conto ficou muito bom,tipo bem detalhista,mas muito bom, me fez ficar imaginando as cenas e talz..Rs

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Amei o conto. Nem percebi que era muito grande, de tão entretida que fiquei. Também amei seu blog. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. ai cara, eu li todo!

    eu fiquei presa, louca pra saber o final da história da Lúcia. tadinha, o marido dela era um calhorda, filho da mãe!
    tomara que o novo homem que ela encontrou seja realmente apaixonada por ela. :D

    ficou bem legal.

    ResponderExcluir
  4. Nossa!!
    A sua história me prendeu palavra a palavra!!

    e SIM! Lúcia vai deixar a paixão bater novamente a sua porta! =)

    beijão menina!!;***

    ResponderExcluir
  5. Tu ta sempre nessas que ta mau escrito e tudo mais, mas no fundo no fundo tu sabe que escreve tri bem , independente do tema proposto e do tamanho dos textos. beijos

    ResponderExcluir
  6. Tu ta sempre nessas que ta mau escrito e tudo mais, mas no fundo no fundo tu sabe que escreve tri bem , independente do tema proposto e do tamanho dos textos. beijos [2]
    desculpa, mas acho que ela disse tudo *-*
    beijos, blues e poesia pra você *:

    [http://colunadacary.zip.net]

    ResponderExcluir
  7. Aww, grande nada!
    Ai Erica, sempre a dizeres que está mal escrito, não deves reler o que escreves pois não? xD
    Ficou bom miúda x)

    Beijinhoo :*

    ResponderExcluir
  8. Ericonaaaaa !!!!! Oieeee!!!
    Seus contos sempre ficam maravilhosos. Guardo todos os persongens com muito carinho, desde de Marieta até a Lúcia.
    =D
    A fã aqui sou eu \õ
    beijosss

    ResponderExcluir
  9. Ola Linda, obrigada pelos parabéns!
    Ah, e ta mal escrito não! Adorei !!

    Beijoos

    ResponderExcluir
  10. pior é saber que tem gente que faz isso mesmo... nhai, tadinha da lúcia... =[
    bjusss
    ótimo texto!

    ResponderExcluir
  11. tadinha da lúúcia ;~
    tomara que ela tenha dado a chance pra um novo amor :D

    Bjs:**

    ResponderExcluir
  12. Traição é a pior coisa que pode acontecer num casal, é. :/ E magina! Você escreve bem! Mesmo estando enooorme, haha :B

    ResponderExcluir
  13. Eu não achei nada grande... Uma leitura super gostoza, quando terminei eu fiquei com uma curiosidade imensa para saber se Lúcia iria novamente se entregar...
    Realmente, tem pessoas que olham o tamanho do texto e nem leêm, bobagem, acabam perdendo belas histórias!

    O texto foi descrito muuito bem, consegui imaginar todas as cenas em minha mente, desde a festa até a discusão final entre Lúcia e o Josué. ><

    Parabéns!

    -- -- --

    Obrigado pela visita e pelo comentário, tenho certeza que o Danilo leu o seu comentário e ficou muuuito feliz!

    Tenha uma ótima semana!

    Beijo Doce!

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?