20 janeiro 2013

Filme: Now Is Good


Título Original: Now Is Good
Ano: 2012
Sinopse: Tessa, é uma adolescente de 17 anos apaixonada pela vida. Diagnosticada com uma doença terminal, ela decide fazer bom uso de cada momento fazendo uma lista de coisas que uma adolescente normal iria experimentar. Com a ajuda de uma amiga, ela começa a pôr em prática os itens da lista e, enquanto seus pais e seu irmão lidam com o medo de perdê-la de suas próprias maneiras, Tessa passa a explorar um mundo novo e viver cada dia o mais intensamente possível. No entremeio, a garota se apaixona por Adam, seu novo vizinho, item que não estava na lista mas que se prova a mais revigorante experiência de todas.

Well, o quão difícil é falar de um filme que te arrancou alguns litros de lágrimas? Muito, hein? Eu sei, litros de lágrimas foi um tremendo exagero. Mas, sabe como é, eu gosto de ser hiperbólica. 
Estarei mentindo se eu disser que Now is good retrata algo diferente de uma forma inovadora. Quando li a sinopse desse filme, lembrei quase que imediatamente de Um amor para recordar. Mas veja, quando falo que não é uma trama inovadora, não quero dizer que é um filme ruim. Não chorei porque o filme era ruim, e sim porque me tocou e porque é um ótimo filme, na minha humilde opinião de pessoa que não entende bulhufas de cinema. Eu sei que entendo do que vejo. E, se um filme me toca, é porque tem qualidade.
Now is good, como a sinopse revela, conta a história de Tessa, uma adolescente de 17 anos com câncer terminal. Ela está consciente de que vai morrer e de que não vai demorar pra isso acontecer, então ela resolve fazer uma lista das coisas que ela gostaria de fazer antes de morrer. Sua amiga, Zoey, tenta ajudá-la a realizar algumas coisas da lista. Mas a vida de Tessa ganha uma nova cor mesmo é quando ela se aproxima de Adam, seu vizinho. E a cor é azul, azul dos lindos olhos de Adam. Tudo bem, isso é piração minha. É que adoro olhos azuis, ainda mais se forem de um lindo como Jeremy Irvine.
Uma das coisas que Tessa queria fazer antes de morrer era se drogar. Sim, coisa super legal e inocente que essa moçoila queria fazer. Então a sua amiga louquinha Zoey conseguiu uns cogumelos alucinógenos pra elas. Elas encontraram Adam pelo caminho, depois de ingerirem os tais cogumelos, e Adam, pra que ninguém as visse piradonas, resolveu levá-las para um passeio. 
E é nesse passeio que eles vão numa floresta e Tessa sobe numa árvore e diz a primeira frase do filme que me arrancou algumas lágrimas.

Aqui não estou doente. Não estou mais doente. Só preciso ficar nessa floresta. Ficar longe do mundo moderno e das engenhocas, e aí não ficarei mais doente. Pode ficar comigo, se quiser. Eu gostaria se você ficasse. Construiremos coisas, abrigos e trilhas. Vamos cultivar vegetais. Estaremos seguros.

Enquanto o amor de Tessa e Adam cresce e ela consegue vivenciar coisas maravilhosas ao lado dele, seu pai, sua mãe e seu irmão tentam se preparar para o dia que ela partirá. Seu pai a ama profundamente, tem um medo enorme de perdê-la e por isso é super protetor. Sua mãe é uma mulher avessa à hospitais e não entende absolutamente nada da doença de Tessa, mas, do jeito dela, ela sofre e teme perder a filha. Já o seu irmão, que é um garoto muito sapeca, não tem muita noção do que a irmã tem e como será perdê-la, mas nota-se que ele ama a irmã e se importa com ela. O que pensa Tessa da super proteção do pai e do quase descaso da mãe? Ela simplesmente não suporta ambas as coisas. Ela sabe que não há mais tempo para uma super proteção, para cuidados extremos. O que ela quer é viver o máximo que ela puder enquanto ela ainda respira.
E Adam a ajuda a viver. Adam passa a estar com ela em todos os momentos, cuidando dela quando ela precisa, quando ela sente medo. Adam a ama e, mesmo que a certeza de perdê-la em breve doa, ele não se afasta dela. E isso é algo tão bonito. Poucos se habilitam a ficar ao lado de uma pessoa que está prestes a morrer. É doloroso. É desconcertante. Mas, quando há amor, é possível suportar a dor e aproveitar o momento presente e fazê-lo lindo da melhor forma que se pode.

Outra cena que mexeu muito comigo foi quando, num de seus passeios, Adam questionou Tessa se ela sentia medo, medo da doença, medo da morte, medo do que estava por vir. Ela disse a segunda frase do filme que me fez chorar.

- Você está com medo? - pergunta Adam.
- Ele vem e vai. As pessoas pensam que quando fica doente, você não tem medo, mas não é verdade. Na maioria das vezes é como estar sendo perseguida por um psicopata. Como se eu fosse levar um tiro a qualquer momento. Às vezes, esqueço isso por horas. - responde Tessa.
- O que te faz esquecer? - quer saber Adam.
- Quando estava com você na floresta, não pensei nisso pela tarde toda. (...) Não estou pensando nisso agora. 

Adam fazia bem a Tessa. Ele a fazia esquecer que ela estava doente. O amor dele dava sentido à vida dela. Percebe como amor é algo que cura, que acalenta? É nessas horas que a gente tem a prova maior do poder do amor.


O amor nos faz ultrapassar barreiras, nos faz suportar coisas que, sem ele, o amor, seriam insuportáveis. 
É uma pena que o amor não cure o câncer. Tessa morreu, como era previsto. Mas o amor de Tessa e Adam ficou marcado. Não curou o câncer de Tessa, mas a fez passar por esses dias difíceis de uma forma melhor, menos sofrida. E para Adam, o amor vivido por ele e Tessa o fez abrir os olhos para vida, para os sonhos que ele tinha deixado na gaveta após a morte do seu pai um ano atrás. O amor transformou a vida dos dois, de uma forma singular.

A frase que mais me fez chorar foi dita por Tessa no final do filme. A imagem que ilustrará a frase não se dá no final do filme, mas ela é perfeita para mostrar o amor de Tessa e Adam.

Momentos... Nossa vida é uma série de momentos. Cada um... Uma viagem para o fim. Desapegue. Desapegue-se de tudo.

Essa é a mensagem do filme. Viver. Simplesmente viver plenamente, da melhor forma que pudermos. Amar, sem medo algum. Aproveitar a vida enquanto é possível. Porque um dia tudo isso acaba e o inevitável chega: a morte.

Tenho que falar sobre os personagens. Adorei a Dakota Fanning como Tessa. Ela conseguiu me emocionar em praticamente todas as cenas. Passou verdade nas cenas dramáticas e nas cenas românticas. Jeremy Irvine como Adam não poderia ser mais perfeito. Personagem doce, o namorado que toda garota quer. Simplesmente encantador. Paddy Considine, o pai de Tessa, me arrancou lágrimas imensas num dos momentos em que a doença de Tessa estava avançadíssima e ela estava prestes a morrer. A cena foi tão bem feita, tão convincente, que é impossível não derramar lágrimas. E o irmão de Tessa é uma criança adorável, inocente, sapequinha. Amei esse menininho! A mãe de Tessa, no fim do filme, se mostra muito emocionada e sente muito a morte da filha. O choro dela foi sincero, conseguiu mexer comigo.

Para quem indico o filme? Se você gostar de drama, do tipo bem doloroso, com uma dose de romance, daqueles bem puros e bem lindos, Now is good é uma ótima pedida.

Trailer:


○ • ○
Vi esse filme hoje. Gostei tanto, que precisei escrever sobre ele aqui. Vocês já viram? Interessaram-se pelo filme? Não esqueçam de me contar o que acharam caso tenham assistido ou pretendem assistir. (...) Curtam a fan page do blog e sigam no Twitter. (...) Ah, ontem eu estava no Gurias Arretadas! Leiam e comentem o meu quase desabafo sobre ironia e deboche. (...) Um abraço da @ericona. Hasta la vista!

28 comentários:

  1. Sábado eu estava procurando algum filme para assistir a li a sinopse desse. Como amo ver dramas acabei baixando, mas ainda não assisti.
    Depois de ler sua resenha me deu ainda mais vontade de ver, já vou dar um play nele. hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei muito do filme "Um Amor para Recordar". Chorei litros com ele. Com certeza, com o filme "Now is good" não será muito diferente. Anotei na minha listinha. Eu gosto de filmes que retratam um amor sincero. E, também, que trazem no bojo da história uma reflexão. Só não vou assisti-lo agora, porque a fase está pedindo um pouco de alegria. Beijinhos e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  3. Ah, bateu vontade de baixar (ops) este filme! Mas vou esperar um pouco, porque ontem eu assisti um filme que também envolvia câncer e morte, conclusão: olhos vermelhos de tanto chorar e uma tristeza que perdurou a tarde inteira. Acho que sou sensível para os filmes.

    Beijo,
    Malú (:

    ResponderExcluir
  4. Nahim...o filme parece ser muitooo lindo! Pode parecer clichê, mas adoro filmes assim que emocionam. Não sei porque...mas me lembrou o livro A culpa é das estrelas.Beijos.
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma

    ResponderExcluir
  5. Que lindo! Não sabia do filme, mas fiquei curiosa, Acho que tem um livro sobre essa história, até o nome é o mesmo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. É o tipo de filme que eu não assistiria. Muito triste, um assunto deprimente e um romance... Não é dos meus prediletos, prefiro algo mais cômico ou apenas romântico.

    Gislaine Alves
    atualizado, comenta?
    Jeito Inédito
    {ah, eu tô seguindo. Se quiser retribuir ficarei muito agradecida :D}

    ResponderExcluir
  7. Linda resenha, linda reflexão sobre o amor!!! Eu quase choro lendo, sim estou muito emotiva nos últimos dias... Amar é algo maravilhoso!!!

    Cheros Dona Erica!!!

    ResponderExcluir
  8. É óbvio que vou gostar. Pra quem é fã de Um amor pra Recordar. E eu adoro a Dakota também.

    BeijoZzz

    ResponderExcluir
  9. Oláá, tudo bem?

    Belíssimo post!

    Passei pra apreciar um pouquinho das suas ideias e do seu cantinho =D
    E pra deixar um 'oi' também!

    Espero que você tenha uma ótima semana, e que tenha dias maravilhosos.

    Um grande beijo

    Inté mais

    ;**

    ResponderExcluir
  10. Oi Érica, tudo bem flor?
    Nossa, se eu te disser que me deu vontade de chorar só lendo a resenha. As vezes eu acho que sou masoquista porque esse tipo de filme é um dos meus favoritos, porque de alguma forma meche comigo e me faz refletir uma série de coisas.
    Com relação aos personagens fiquei encantado e quero muito conhecê-los, demais e vou correndo baixar esse filme ( alugar não dá, visto que não há mais locadoras na minha cidade o.O)
    Abraços,
    Amanda Almeida

    ResponderExcluir
  11. Ah, que fofo. É necessária MUITA sensibilidade para falar de pessoas em uma situação tão frágil de uma maneira legal, e esse filme parece fazer isso. Vou baixar, e preparar o carregamento de lencinhos ahha

    ResponderExcluir
  12. Anotada a recomendação do filme! E como vc mesma disse, o enredo lembra muito um amor para recordar.

    ResponderExcluir
  13. Ah, eu amei esse filme! Eu assisti esse filme essa semana e adorei, é um filme tão lindo! Adorei a sua resenha, ela ficou linda e retratou belamente o filme.
    Beijos

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Adorei a sugestão!
    Sou uma verdadeira manteiga derretida, mas não vejo a hora de assistir e lavar minha alma de tanto chorar. Adoro filmes assim!
    Faz bem de vez enquando descontar toda aquela agonia e sentimentalismo acumulado em um filme triste e depressivo! Um pouquinho de drama não faz mal a ninguém! Principalmente com um assunto tão bonito e ao mesmo tempo tão triste.
    E pensar que milhares de pessoas passam por isso o tempo todo, hein?

    Obrigada pela sugestão!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  15. Nossa, arrepiei com esse trailer! E eu sou manteigona, Erica, quando você tava falando que chorou, pensei: "imagine eu". Vou tratar de assistir! Valeu pela dica, querida.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  16. Érica que filme emocionante, eu adorei, quero ver ele! Fiquei com muita vontade, vou ver sim:* beeijinhos e amei a dica!

    ResponderExcluir
  17. ai que lindo... super emocionante neh...
    eu ainda não li, nem assisti... mas com certeza vou atras pra assisti, achei muito lindo a história.
    : )
    linda tenha uma maravilhosa sexta feira...
    beijinhos

    ResponderExcluir
  18. Acabei de assisti-lo e até agora estou chorando. Normal? Não. Apenas é um filme que faz você acordar e ver como as pequenas coisas são as que tem o maior valor. Como que cada momento deveria ser aproveitado ao lado das pessoas que você realmente ama.. Obrigada pela dica!
    bjo

    ResponderExcluir
  19. Olá Erica, me emocionei só de ler a resenha deste lindo filme! É impossível não compara-lo com "Um amor para recordar", gosto de filmes nesse estilo que nos levam a refletir, pensar, imaginar... ótima dica! Vou vê-lo!

    beijos,
    Jéssica - strawberrydelivrosefilmes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Realmente, eu achei MUITO parecido com Um amor para recordar! Mas ao mesmo tempo diferente, será que dá pra entender?
    Fiquei com uma super vontade de ver, vou procurá-lo. :)

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  21. Oi Erica! Voltei só pra dizer que te indiquei pra um meme lá no blog. Achei ele super legal, é uma Campanha de Incentivo à Leitura! *-*

    ResponderExcluir
  22. Sinceramente eu evito ver filmes que falam sobre doenças terminais. Já sofri muito com isso, uma grande perda, mas estou ficando mais forte. quem sabe depois de uma comédia boa, eu não consiga? :)

    ResponderExcluir
  23. Assisti esse filme,realmente muito lindo e emocionante,não chorei por que não consigo chorar com filmes(e olha que eu tento,tento muito!),mas minha irmã passou meia hora se acabando em lagrimas...

    Não lembrei de Um amor pra recordar em nenhum momento,me parece muito distante uma coisa da outra,só é parecido o fato delas morrerem no final...

    Agora pra quem gosta de sofrer e chorar,é só espera a adaptação pro cinema do livro A culpa é das estrelas de John Green,ai amiga é lagrimas com certeza,quando terminei de ler o livro(coisa que fiz em um dia,impossivel larga-lo)chorava tanto que doia.

    ResponderExcluir
  24. Ih, esse é o tipo de filme que me derruba. Até lembrei de ACEDE aqui. Nunca tinha ouvido falar dele. Foi uma boa dica. Agora to nervosa pra procurar hahaha
    Dakota tá super diferente aí!!!

    (www.caixinhadeopinioes.zip.net)

    ResponderExcluir
  25. Nossaa amei o post, eu chorei muito assistindo o filme e chorei lendo esse post!!! Filme lindoo!!

    www.donameniina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Eu assisti o filme, é muito lindo e chorei rios de lagrimas com ele, achei muito lindo esse filme

    ResponderExcluir
  27. Eu chorei muito com o filme, mas com o livro. Meu Deus eu nunca chorei tanto na minha vida, solucei até horas e a dor de cabeça depois foi tensa! É tão lindo os dois tanto o filme como o livro! Já assisti outros filmes com o mesmo assunto câncer e todos sempre prometem lagrimas. Pois em nenhum a personagem vive.

    Obs: O nome do livro desse filme é: Antes de morrer - Jenny Downham

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?