07 outubro 2011

Viver é findar

Ah, quão angustiantemente doloroso é o fim de algo! Como, pois, lidar com os remates inevitáveis da vida? Dói-me informar, caro leitor, que não há um paliativo extremamente eficaz pré-definido. Porém, há teorias e ideias. Contar-lhes-ei, em síntese, parte das minhas. Detesto obviedades e clichês, ainda que por vezes flagre-me fazendo uso desses. Não conseguirei debandar da maior evidência de toda a humanidade e, por isso, lugar-comum: tudo que nasce, um dia há de morrer.
Amores se desfazem; algumas vezes, ao sabor do tempo; outras, por ciúme desvairado, que desgasta a relação e finaliza o que era algo bonito e aparentemente eterno; e em outras ocasiões, o amor encerra-se sem motivo específico.
Amizades desmancham-se em decorrência de deslealdades e hipocrisias. Contudo, amigos também se afastam pelo simples fato de suas vidas terem tomados rumos distintos. Como habitualmente proferem as pessoas dessa inteligível sociedade: "é a vida...". Não posso rebater isso, pois acredito nesse axioma.
Ah, como foi aprazível a minha infância! Sinto enorme saudade daqueles tempos! Por que o Senhor Tempo não estacionou naquela época? Ah! Entretanto, se a minha vida tivesse parado ali, eu jamais teria transmutado-me no que sou hoje. Tantas experiências adquiri até aqui, tantos eus abandonei pela estrada da vida.
Amigos, se tudo finda, componha a sua vida com graciosidade, verdade e voracidade. Aproveite todos os momentos de sua existência com insana paixão. Lembre-se sempre: o conjunto das suas vivências molda o seu caráter, fortificando-lhe e dando significado à sua vida.

(Erica Ferro)

*Pauta para o Blorkutando

* * *
Ainda que a postagem de hoje não seja nem de longe considerada uma dissertação, exercitar a escrita é sempre válido. Nesses poucos dias antes do ENEM, concentrarei-me também em escrever. Afinal, metade da pontuação é da redação. Se conseguir repetir, ou melhorar, o feito do ano passado (tirei 850 na redação do ENEM 2010), será imensamente satisfatório para mim.
Um abraço da Erica, a desvairada.

3 comentários:

  1. O fim das coisas. Amores, amizades. Sabe, por mais que não me conforme com alguns fins tenho que dizer que uma vida sem fim não seria nada bom. Nos seres humanos tão cheios de falha precisa sofrer com fins de vez em quando para não nos colocarmos acima de tudo e de todos. Mesmo com tantas coisas ruins que nos abalam ainda existem seres arrogantes e prepotentes, imagina se a vida fosse sempre boa?
    Já não existiria humanidade.

    P.s: Assiste Doctor Who? Falando em Senhor do Tempo... estacionar :D

    P.s: Sucesso no ENEM! Vai melhorar a nota sim! Meu irmão tirou algo entre 800 e 900 na redação, não lembro quanto só sei que foi muito. Fico toda boba falando dele. haha, mas ele escreve tão bem quanto você :)

    Passa no meu novo blog: :D (Cara de pau não é?)
    http://cultivandoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Tudo têm um fim, inevitável isso, como escrevi em outro blog. Mas ás vezes esse fim é bom :}

    Ah,boa sorte no Enem,e me deseje também uma boa prova,por que não tirei tudo isso na prova do ano passado como você :{ rs

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. o fim doí, mas se faz necessário.. é como vc diz, para no tempo me impossibilitaria de ser quem eu sou agora.. beijooo arretada e boa sorte no ENEM!!!!!!

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?