10 outubro 2011

Arroste, invariavelmente

O que fazer quando a sua massa cinzenta insiste na inércia no momento em que mais deve trabalhar efervescentemente?
O que fazer quando nothing makes sense e a morosidade, impiedosamente, toma conta de seu corpo, lhe impedindo de buscar significados nas coisas aparentemente doidas desse mundo?
O que fazer quando se tem um caminho colossal a ser percorrido, no entanto tudo o que se consegue fazer é manter-se deitado, obdecendo, fielmente, à Srª Preguiça?
O que fazer quando há uma batalha de sentimentos dentro de seu coração e um exército de pensamentos insanamente desordenados dentro de sua cabeça?
Você sabe que não quer ficar, mas também não sabe muito bem para onde ir, por onde ir, como ir ou por quê ir. Você só quer ir para um lugar tranquilo, uma ilha deserta, quem sabe. Algo assim tropical e fresco. Só você e mais ninguém. Você se frustra porque sabe que isso é apenas uma fantasia gostosa, porém improvável na prática. Você sabe que não pode fugir agora. Não pode, não pode e não pode. Você sabe, ora.
O que sobra, então? Encarar o que quer que venha, seja lá algo bom ou ruim, complicado ou fácil, monstruoso ou belo.
Encarar: é isso que se deve fazer em todos os momentos da vida. A covardia nunca foi bom negócio, já diziam os antigos.

(Erica Ferro)

* * *

♪♫Não pense que a cabeça aguenta se você parar...♫♪
Tá certo, Raul. Não posso e não vou parar agora.
Continuarei, firme e ferro.
(...)
Ah! Quem quiser ler o meu pseudo-conto
melodramático publicado sábado no
Gurias Arretadas, é só clicar aqui.
Um abraço da Erica,
a desvairada.

9 comentários:

  1. Oi,passando aqui pra avisar que o link do meu blog mudou,agora é http://mon-autre.blogspot.com/ :} Caso tenha em algum gadget seu o link antigo: jenifferyara.blogspot.com, peço que exclua por que ele pode apresentar um aviso de malware, caso não tenha, desconsidere esse pedido.

    Desculpe pelo comentário 'automático'

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. esse é um momento muito difícil da vida, cheio de dúvidas e questionamentos.. mas vc vai passar bem por isso... hehehe.. ^^
    bons estudos! bjus

    ResponderExcluir
  3. Tem gente com problema mental mesmo. =P

    Bobeira, o negócio é que deve-se por a cara a tapa e enlouquecer, do contrário não se consegue nada além de tédio.

    ResponderExcluir
  4. É exatamente isso. A certeza de querer ir embora, mas não saber pra onde. E aí o que se faz?
    Essa nossa inércia ainda nos mata um dia.. Só o movimento vence.

    =*

    ResponderExcluir
  5. Lembrei de uns versinhos do Drummond enquanto li o seu texto, Ferro:
    "Mas você não morre,
    você é duro, José!"

    Porque não importa o nível de preguiça, de cansaço, de sem vontade que estejamos... há sempre um pingo de coragem - um milímetrozinho! - que surge, assim, do nada e nos deixa duros, fortes, ferros! Preparados pra luta, mesmo sem saber pra onde ir...
    "você marcha, José!
    José, para onde?"

    Beeijos da vizinhona, Ericota! E encare o ENEM com toda a garra do mundo que eu sei que você transborda! :D

    ResponderExcluir
  6. "Você sabe que não pode fugir agora"
    Não, não é agora. Você não pode fugir NUNCA!


    Tá acabando essa fase, Ericona!
    Logo menos você vai tá lá toda pimpona com o rosto cheio de tinta no trote da facu, haha.
    Enem é esse fim de semana, né? Boa prova!!! (não desejo sorte, porque isso é pros fracos e você é ferro! hahaha)

    ResponderExcluir
  7. Enfrentar o problema.
    Porque se não fizermos isso, ninguém fará no nosso lugar.

    ResponderExcluir
  8. Hey ^^

    Sinto-me da mesma forma, querendo algo qual nem mesmo sei o quê?!...

    Xxx Erica...

    :: Loma (www.night-angel.org)

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?