08 julho 2010

Ele nasceu para o nada

Foto retirada do Tumblr


"Tô cansado! Cansado de tudo. Vivo numa eterna agonia, um desespero sem nome e aparentemente sem solução. Vivia deslocado, pelos cantos, o excluído, o esquisito, sem vida sem social; que não falava o que pensava ou o que desejava, um covarde, que negava usar a vida que Deus lhe deu. Só não sei viver, não sei para quê vim ao mundo, não descobri o sentido da minha vida e talvez nunca descubra - esse é o meu inferno, o motivo de todas as minhas crises e todos os meus choros. Foi, então, que adotei um estilo de vida radical: skate na mão, rumando a praça perto de casa, sentindo a vida rodopiar e o sangue correr mais rápido por minhas veias. Foi o modo que eu encontrei de me sentir vivo, mesmo sem sentido, mesmo desse modo perigoso. Radical. É tudo que a minha vida não é. Não adianta negar, cansei do skate, cansei todas as manobras que eu já fiz, desde as simples até as mais perigosas. Desisti de viver assim. Eu não sou um cara que vê sentido em viver radicalmente; talvez eu só entrei nessa vida louca porque já estava cansado de ser o idiota da família, o cara que terminou o colegial e vivia enfiado nos livros, mas sem nenhum desejo de seguir uma carreira específica, sem nenhum caminho certo a seguir. Na verdade, eu queria provar que eu era alguém interessante ou que eu poderia ser alguém interessante, porque, na verdade, nem sei o que sou, se sou interessante ou não. Só sei que a minha vida foi um grande nada. E acredite quando digo nada. Acho que nasci para isso mesmo: para o nada. E isso é o que me agonia desde o meu primeiro choro."

(Erica Ferro)

* * *

"Mini-conto" para a 18ª edição do projeto "Mil palavras", idealizado pela Bárbara Farias, do blog Ella en palabras.
Espero que não relacionem o texto comigo; é sempre frustrante constatar que algumas pessoas acham que tudo que se escreve é autobiográfico.
Só mais uma coisa: em toda a minha vida bloguística, já recebi inúmeros selos, memes e essas coisas fofinhas que os blogueiros repassam e tudo mais, mas nunca tive paciência para postar os que ganho (peço desculpas por isso, mas é coisa minha...). O que eu quero dizer é que me sinto feliz quando vocês lembram de mim na hora indicar os "blogueiros ganhadores" de tais mimos, mas infelizmente eu não tenho disposição para postá-los aqui. Vocês hão de me entender ou, no mínimo, respeitar essa minha chatice (risos). Sim, sou bastante chata.
Um abraço da @ericona.

34 comentários:

  1. Aê! Quanto tempo não te vejo participar de um projeto, garota! Uma bela participação. Tem gente que é assim: procura se distrair com outras coisas pra escapar da realidade. Eu não acho que funcione, porque os problemas sempre ficam parados batendo o pé esperando que a gente dê um 'sacode' neles, né.

    Não sei quanto a você, mas tem muito de mim nos meus textos, as vezes até demais! rs

    Beijão, Ericona twitteira. =*

    ResponderExcluir
  2. Que bom te ler novamente!!
    Hoje acordei com vontade de colocar meu blog para funcionar, assim como visitar os demais. Sei q essa não será uma tarefa fácil, sobretudo agora, mas vou tentar para ver noq eu dar.

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Não relacionar.
    Não relacionar.
    Não relacionar.
    Não relacionar.
    Tô tentando heim hehe.
    Microbeijo.

    ResponderExcluir
  4. Com perdão da palavra: Cacete Erica!

    Fazia um século de vida que eu não sacudia com as tuas palavras e eu passei pra retribuir uma visita e me deparo com mudanças que, Cacete Erica!

    Você manda muito bem nesses textos-não-poemas. Ameeeeeeeeeei.

    Abraço, boneca. *:

    ResponderExcluir
  5. Olha, ela está animando de novo com o blog? Nada pior mesmo, as pessoas insistem em achar que tudo o que lê é sobre quem escreve. Mas vamos ao texto, que desilusão, ocupar a vida é uma das coisas que todos deveriam fazer para não sentir-se assim, ter um hobby, não entendo muito bem com elas caem em depressão e se acham tão sem importãncia na vida das pessoas.

    ResponderExcluir
  6. Se encontrasse esse garoto pela frente, seguraria seus ombros, o olharia nos olhos e diria: não é bom Deus ter te dado pelo menos a oportunidade de chorar?Depois o chacoalharia e diria pra ir em busca do que lhe faz feliz, porque sempre a algo do qual a gente não enjoa, não é passageiro, é lá que encontramos a felicidade eterna (:

    ResponderExcluir
  7. Gostei do texto, bem real.

    E os Ps.s são os melhores. Sabe q tbm nao posto tudo que ganho, apesar de adorar. Não tenho paciencia. ;x

    E detesto quando afirmam q o que escrevo é sempre autobiografico. rs
    As vezes simplesmente eu invento.

    BeijO

    ResponderExcluir
  8. gostei demais *.*
    nasci pro nada também, a única coisa que faço bem :) tá zoei, mas o texto tá mt bom. Já tive fazes que me senti assim

    ResponderExcluir
  9. Não é meu não flor, eu nem sei de quem é. rs

    ResponderExcluir
  10. Ah...
    Dona Erica...
    Tristeza a flor da pele...
    Hehehe...
    Mandou super bem nesse texto...
    Apesar da dose extra de depre...
    Amei!!!
    Hehehe...

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Logo quando comecei á ler,percebi que não era autobigráfico,rs.
    Belo conto,confesso que me intriga histórias assim,de pessoas que,ou têm um vida super agitada e no final dizem que nada valeu á pena,ou tiveram uma vida que foi um "nada" pra elas.Não sei,tenho gostos estranhos mesmo,rs.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Nossa... deve ser triste viver uma vida assim, sem motivo, é como não viver...
    beijos.

    ResponderExcluir
  13. Muitos se sentem assim..esse nada , oco, vazio... há os que preferem transbordar de tão cheios, e te digo , tudo é uma questão de escolher, ou melhor de saber olhar ...
    Nas raras vezes que me sinto vazia , encho-me de palavras, essa é a minha terapia, a forma que encontro de me ver transbordar...

    Um beijo a menina

    Erikah

    ResponderExcluir
  14. Tentar provando coisas para os outros para uma possivel aprovação social não é a melhor coisa. Bj

    ResponderExcluir
  15. Relaxa, Ericona : troca de selos é uma demonstração de carinho. Saber aceitar é bacana, não precisa fazer mais nada. ;)

    Beijo, beijo, e gostei do texto.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  16. Gostei do impacto da imagem para o texto. Foi uma ótima combinação (:
    e olha, ando e achando meio desanimada.
    sei que não é um comentario de uma bloggeira que ta voltando agr que vai mudar seu dia,
    mas seja lá o que for, espero que voce melhore. Voce tem um dom, te acho mto especial, e espero que voce tenha forças para realizar e superar o que voce quiser.
    Te admiro muito erica ♥
    beijos <3

    ResponderExcluir
  17. Adorei seu texto.
    acho,que você deve escrever, nem que seja, uma vez por semana, para algum desses projetos, ja que são tantos.
    Er,boa sorte no Palavras Mil :D
    e nem,sempre os nossos textos, tem algo relacionado a nossa vida pessoal, só que nem sempre as pessoas lêm tudo, e acabam interpretando de maneira errada.
    :]

    ResponderExcluir
  18. verdade, sempre acabam associando os textos conosco, mas vale lembrar sempre no fim que é fictício, pq alguns leitores simplesmente se preocupam e querem logo dar o apoio, sem antes perguntar se é real. .gosto disso.. xD hehe
    bjusss

    ResponderExcluir
  19. O que você falou no começo do texto, nossa! Me identifiquei tanto em certas partes. Às vezes simplesmente não consigo entender o motivo de certas coisas ou mesmo me encontrar nos lugares e penso que tô aqui no mundo só pra passar o tempo, mas a verdade é que a gente sempre acaba se achando sim.

    Lindo texto, Erica. =*

    ResponderExcluir
  20. Curiosidade literária:

    Pra você, linda, textos autobiográficos são mais fáceis ou mais difíceis de escrever que os não autobiográficos???

    rs rs rs

    Tem umas coisas da blogosfera que eu também não consigo absorver...

    Bons sonhos, linda!

    ResponderExcluir
  21. E quem disse que a vida de alguém tem algum sentido, não é mesmo?
    Acho que quando eu estiver à beira da morte, ainda assim, não encontrarei sentido na minha vida.
    A vida é viver mesmo. Só isso.

    Fazer histórias, contar histórias e presenciar histórias.
    É construir e cultivar.

    Você escreve MUITO bem. Gostei daqui. Beijo

    ResponderExcluir
  22. Jura que você só inventou essa historia? Incrível, parece mesmo verdadeira, tirada de um jornal, sei lá.

    Às veze me dá mesmo vontade de arranjar um 'skate' pra minha vida ser radical. Um dia ainda arranjo...

    :) Estava lendo o texto debaixo e o seu desabafo. Pessoas que não dão o valor que a gente espera aos nosso escritos relamente desmotivam, mas exitem aquelas que valém à pena, mesmo que poucas.

    ^^ Bjos, continue aí.

    ResponderExcluir
  23. É sempre meio chato ter que ressaltar que nem sempre o que sai da gente é a gente mesmo.

    Ps.: que bom que tu falou! calma que eu não tenho nada contra ti ahahhaha eu só tenho duas éricas no meu twitter, e a outra é insuportável. confundi o nome de vcs, só. mas já tá consertado o equívoco.

    beijo!

    ResponderExcluir
  24. Acho impressionante essa coisa de não se colocar no conto, um dia eu aprendo. Muito bom.

    ResponderExcluir
  25. Nossa coitado do menino. Eu conheço alguém assim e acho que isso não é algo verdadeiro. Não sei se é porque sou sonhadora demais, mas ainda acho que para tudo tem uma solução e uma vida feliz.

    Ah flor, claro que te respeitamos ._.
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Quanto teeeempo :X
    Desculpa por sumir,AHAHAHAH.
    -
    Mas eu amei o texto; alguém que está perdido na estrada da vida.Isso é terrível,né? Mas sempre há aquela luz no final do túnel (:



    Beeijinhos!@

    ResponderExcluir
  27. Amei o conto! Com certeza já me senti assim, inútil. Ah, e sobre as pessoas acharem que tudo é autobiográfico - irrita, né? Não sei se chegou a ler, mas quando eu postei sobre bulimia, quase me chamaram um psicólogo! Beijos.

    ResponderExcluir
  28. Será que somos dois, então? Tem tempo que namoro pensamentos estranhos como este seu, Ferro. Vai saber...


    Continuemos...

    ResponderExcluir
  29. Quando uma pessoa chega à esse estado, o ato de suicidár-se, ou cometer algo pior com a vida de outra pessoa, fica "logo alí".

    Mas, uma coisa é certa: Você sabe descrever muito bem diversas coisas. ( = Uma delas é uma alma que precisa de um amor maior e um motivo ainda maior para viver.

    -- --

    Parece que temos a mesma ideologia sobre memes e selos. Para alguns que olham, isso pode chegar a ser um insulto, mas não precisamos nos preocupar com quem pensa assim. Preocupa-nos os maduros, e os que nos fazem sentir importantes e especiais.

    Saudades também!
    Fique com Deus, pequena Erica! ;*

    ResponderExcluir
  30. Oi Erica, Mais uma vez as tuas palavras tocaram-me profundamente, pelo seu significado. Tudo o que escreves é muito bonito e carregado daquilo que a mim realmente importa, o sentimento. É verdade, por vezes vamos-nos a baixo e a sensação de vazio apodera-se de nós.
    Quero também te avisar que Olá, estou de casa nova e espero sua visita, meu endereço agora é

    http://rasurassobreviventes.blogspot.com

    BeijooO* te aguardo!

    ResponderExcluir
  31. sempre quis participar do mil palavras.
    mas nunca tive saco.

    sei lá =/

    adorei o miniconto!
    hauahauahaushsua

    ResponderExcluir
  32. Valei-me! (É uma expressão nordestina, rs).

    No início até achei que você estava falando de mim. Essa semana comecei a tentar me exercitar com mais frequência. Motivo? Gostar mais de mim mesmo. Mas ao contrário desse cara ae, eu não desiti de viver, pelo contrário.

    Eu senti a dor desse cara ao ler o texto. Parabéns e, mesmo concorrendo comigo, boa sorte no palavras mil.

    Beijos Erikita!

    ResponderExcluir
  33. Erikita
    Parabéns pelo texto, pela forma que se expressa, por ser autêntica e finalmente pelo pódio que foi mais do que merecido.
    Bjs

    ResponderExcluir
  34. Simplesmente lindo.Muitas vezes não precisamos de mil palavras para expressar o que sentimos e pensamos.
    Parabéns. Tbém estou participando com a interação de amigos. Vou te esperar por lá.
    Sandra
    http://sandrarandrade7.blogspot.com

    Carinhoamente,
    Sandra

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?