10 julho 2010

Eis a graça

Não, eu não quero ouvir o que eles dizem. O que eles dizem? Eles dizem tantas coisas, mas tantas coisas, que eu não posso sequer pensar e dizer qualquer coisa que seja.
Eles pensam e dizem por mim. E eu não quero mais isso. Eu quero me isolar e descobrir quem eu sou, o que eu penso e sinto: sem influências ou qualquer outro contato com alguém "pronto".
Há alguém pronto, aliás? Não! Eu estou falando besteiras. Não existe ninguém pronto. Já diria Raul: somos uma metamorfose ambulante. Estamos sempre em formação, em mutação de ideias e comportamentos. Mas, entenda, eu não quero ver, ouvir ou sentir o mundo. Eu quero me ver, me ouvir e me sentir. Sentir a minha essência. A minha! O mundo me confunde e me tira de mim. As pessoas bagunçam o meu cérebro, expulsam minhas ideias, me impregnam com as delas. Não! Não me chame de fraca ou de influenciável. Olhe pra você e me diga o que é você, só você, em você. Me diga! Você não é original. Você é uma mistura de tudo o que já foram. Você é uma mistura de tudo o que vê e ouve. Eu sou assim também.
E essa é agonia: é saber que você não é você; que você se perdeu de você desde que passou a conhecer o mundo.
Somos o mundo? Espere! Somos o mundo?! Somos o que vemos e ouvimos? Não há problemas em sermos um pouco de tudo que há e do que houve um dia? Não há como se formar sozinho, sem deixar se influenciar e ser tocado pelas coisas existentes nessa vida?
O problema é que não há problema? Isso é realmente um problema. É preciso ter um problema a ser resolvido. Não ter problemas na vida é algo que verdadeiramente frustra. O que resolverei se já está tudo resolvido? Não haveria motivos para chorar ou mover um músculo do meu corpo.
Baguncemos tudo! Coloquemos o mundo de cabeça para baixo. Desgovernemos o trem das onze e meia. Tentemos entender essa loucura, ainda que nunca concluamos nada em definitivo. Tentar é o que vale. Tentar qualquer coisa que seja prova a nós mesmos que estamos vivos, que podemos nos mexer; e, nesse movimento, podemos chegar a algum lugar.
E é por isso que eu ando. E é por isso que eu enlouqueço. E é por isso que eu devaneio. E, enquanto vou vivendo, vou tentando entender a complexidade da vida. Eis a graça de se estar vivo.

(Erica Ferro)

* * *

Cacilda! Que texto devaneado, louco, doidão! Bem no estilo do Pensamentos Devaneantes (visitem, visitem!). Mas enfim, são pensamentos agoniados, meio dramáticos e insanos, porém são meus, e eu não me envergonho deles.
O negócio é o seguinte: hoje é o meu último post no Divã Cor de Rosa. Sim, é o meu "adeus". Lá explico tudo direitinho, vejam aqui.
Um abraço.
Hasta!

53 comentários:

  1. sou nova neste espaço dos blogs, mas adorei teus escritos, e virei seguidora!
    :)

    ResponderExcluir
  2. és louca na tua condição de humana. exatamente como eu. e adoro isso!
    estava com saudades de vir aqui, ericona, de verdade.

    sabes que sou tua fã, e teu texto de hoje só me fa ser mais ainda.

    beijo grande.

    ResponderExcluir
  3. Se tem uma coisa que me enlouquece é quando alguém fala, pensa, age por mim. Odeio isso. Eu tenho a minha identidade.
    Não precisamos disso. Já somos bastante influenciados. Isso não quer dizer somos influenciaveis. Nós ouvimos as outras opiniões e formamos as nossas através de outras.
    E fazemos esse mundo louco.

    ResponderExcluir
  4. Sim, somos o mundo ou melhor o que entendemos dele. Porque se fôssemos somente o mundo, todos nós seríamos iguais, ou seja, uma chatice...


    Estou correndo para o Divã...

    beijos

    ResponderExcluir
  5. Hehehe!!Eis aqui um post que faria a alegria de gente boa, como Platão, Aristóteles, Schopenhauer, Nietzsche e, claro, Raul, o da metamorfose ambulante!
    Modestamente, me incluo entre eles!
    Bjoo!!!

    ResponderExcluir
  6. Ahh que confuso mesmo! haha
    Mas sabe,ainda bem que não se envergonha do seu pensamento,por que ele é seu!
    Eu já penso que não há como nos formarmos sem ninguém,sem influências,acho que o problema chega quando somos influenciados demais e acabamos não tendo nossos próprios conceitos e pensamentos,o que percebi que não é o seu caso,hehe
    Amei o texto,por mais que tenha algumas coisas em que não penso,no final disse exatamente o que acredito ;)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Texto perfeito Erica. Concordou com cada palavra que você escreveu nesse texto. Acho que ninguém pertence a si mesmo, somos realmente mistura de gostos e idéias de todos a nossa volta. Sem se dar conta nós vamos nos deixando levar por essas idéias, essas influências. Não sei como se faz para bloquear esse tipo de coisa, acho que é quase impossível.

    Saudades de vir aqui.
    XX

    ResponderExcluir
  8. São coisas das quais, nunca, nenhum ser humano poderá escapar. Somos mesmo aquilo que ouvimos, lemos e vemos. E após tudo isso, formamos opiniões, sentimentos e fomas de enxergar o mundo. E é essa diversidade de visões e opiniões que torna o mundo um lugar mágico. Infeliz e com muita coisa errada... Mas, tente imaginar um mundo onde só existissem pessoas que pensam como o Wilian, ou como a Erica do blog ericaferro.blogspot.com. Seria algo monótono e "sem gosto".

    É uma complexibilidade que nunca saberemos discernir.

    Um beijo na testa! ;*

    ResponderExcluir
  9. VOCÊ NASCEU PARA ESCREVER!
    Erica, como é lindo o jeito que escreve!
    Como é lindo o que você consegue nos passar em algumas palavraS!
    é tudo muito lindo!

    Parabéns.

    beijos

    ResponderExcluir
  10. Viver é uma loucura, como disse Caio F. "loucura, penso, é sempre um extremo de lucidez". Somos influenciados por tudo mesmo e isso aflinge as vezes por tanto tentarmos ser diferentes e superar os limites. A verdade é que todos somos iguais, uma mistura de tudo que há, o que importa é viver e tentar ser feliz.

    :*

    ResponderExcluir
  11. HAHA GOSTEI
    Teve uma parte do texto que ri comigo, porque entrei no texto do começo ao fim. Concordei no começo e depois reparei que realmente, o problema não é um problema, é na verdade o único jeito de sermos algo e...enfim, você sabe haha :)

    Beijãao

    ResponderExcluir
  12. Mudamos continuamente, a cada instante, diariamente. Viver sem dar bola para a opinião alheia é o que há! bj

    ResponderExcluir
  13. Tô indo lá no Divã, então...

    Beijocas!

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  14. A vida é feita para aprender. E AMO meus erros, pois eu aprendi com eles. Preciso de um tempo para mim, na verdade estou nesse tempo. Vou descobri quem sou eu...

    Você tem o dom das palavras *-*

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. É difícil pensar em alguém 'puro' como água destilada. Nós somos um amoutoado de experiências, de ideias, de histórias. Quase loucura, é certo. Mas, viver é uma loucura e dizem que os loucos são so amis felizes :)

    Bjão!

    ResponderExcluir
  16. mas post assim são mt bons... a gente desabafa, tira boa parte daquilo que tá machucando ou incomodando.. xD
    bjusss

    ResponderExcluir
  17. Refletindo com tudo que escreveu.
    Digo que é meio difícil mesmo uma pessoa se formar sozinha. Mas então cabe somente a ela encontrar a influencia correta. Saber peneirar, ser... Vejamos, seletiva.

    Erica, vá em busca de tua essência, sim. Que não tenho dúvida que é bela.


    Beijo doce.

    ResponderExcluir
  18. Somos tudo e tanto... às vezes aperta o peito, gera ansiedade, nos enchemos de frustrações. Mas que graça existe em ser a si e jamais poder alterar o rumo da rota? Sejamos mais, sejamos vários! :)

    Vou lá no outro canto pra entender o porquê da aposentadoria do divã.

    Beijoca, flor!

    ResponderExcluir
  19. Isso é coisa que acontece: não importa aonde a gente vá, sempre vai ter um pra dar pitaco. O importante é saber quando levar em conta e quando ignorar. As vezes as pessoas que estão 'fora' veem algumas coisas que nós não vemos, mas isso não dá o direito delas agirem por nós, né? A gente tem que pular e quebrar a cara se for preciso. E como dói! hauahushauh

    Beijos, Erica!!!

    ResponderExcluir
  20. Quantas perguntas, não é mesmo? Tenho andado ausente de mim e quem está perdendo sou eu.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  21. É muito melhor mudar à cada minuto do que ter uma velha opinião formada sobre tudo. Eu até gosto.

    ResponderExcluir
  22. Não tem coisa mais chata do que ficar ouvindo opiniões nada construtivas dos outros , te dizendo o que fazer ou deixar de fazer , como se fosse o certo pra essas pessoas fosse o certo pra você , nem sempre o certo pra uma pessoa é o certo pra outra .
    Acho que ficou meio confuso , ou não ? Acho que dá pra entender , rs :D
    Eu merecia apanhar , porque sempre leio seus textos nos seus blogs mas não sei bem o motivo mas nunca comentei , sou meio louca , talvez isso explique , rs .
    Enfim , é isso , beijos :*

    ResponderExcluir
  23. Lindas palavras, Érica, lindas! São seus próprios pensamentos e opiniões e, tenho que dizer textos assim são os melhores. É como se o dono de tal mente abrisse espaço para que vissemos seu interior e eu acho isso lindo. Pena que não consigo escrever muito assim.
    xxx

    ResponderExcluir
  24. Eriica :)
    Quanto tempo em?
    Este texto explica de tal forma como me sinto atualmente em questão de crescer, devemos tomar nossas próprias decisões e tentar errando ou acertando mas tentando sempre.
    Adorei te encontrar por aqui.

    ResponderExcluir
  25. Ser humano é isso, confusão, desordem e ordem. Tolos aqueles que pregam com certeza que são isso ou aquilo, ninguém é constante, a lógica de ser uma pessoa é a mutação, impossível de prever ou entender. :)

    ResponderExcluir
  26. Hum... acredito que justamente por possuirmos misturas de várias idéias somos diferentes, e pensamos diferentes... fazendo com que sejamos sempre originais quando somos nós mesmos...

    Hum... acho que cada um deve viver da forma que se sente melhor...

    é como eu penso.

    ResponderExcluir
  27. Erica...
    Confusão de idéias maravilhosa...
    Hum...
    Tu me fez pensar em determinadas coisas...
    Obrigada!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  28. Adoro seus textos, tão delicados.Sempre tem incógnitas, mas ainda assim você consegue desvenda-los no final :D
    AAAAAAH, mas é verdade, somos TOTALMENTE influenciados pelo mundo D: , e isso,bom, desde seeeempre!
    -


    Beeijinhos carinhosos :)

    ResponderExcluir
  29. Acho natural esse sentimento de incompatibilidade com o mundo. Ou pelo menos normal em mim. Há dias que nada parece bom o suficiente e a confusão só cresce, acontece.
    Senti o teu atual caos mental, soubeste descrever perfeitamente. Parabéns =*

    ResponderExcluir
  30. eita, que agonia! parece meu caos particular rs
    beijo grande ♥

    ResponderExcluir
  31. Se fosse não estivesse confusa que iria ser estranho!
    Tdos nós ficamos tentando enteder toda a complexidade da vida, mas acredito que ninguém realmente chega a entender.
    :*

    ResponderExcluir
  32. Birutiou bem, hein?
    Mas aí está, o mundo é louco, impossível tentar descrevê-lo sem pirar junto.
    O mundo precisa de movimento, precisa de problemas, precisa de soluções, precisa evoluir, precisa regredir...

    Muito bom, Ferro!

    =]

    ResponderExcluir
  33. Sem comentários..
    Texto perfeito, profundo e perturbador..
    Amei 100%
    Bjok, Flor...

    ResponderExcluir
  34. e descobrir esse tanto de coisas a nosso respeito é o que faz tudo valer a pena !!!

    nunca perca esse seu lindo "eu" !!!

    beijo no coração !!!

    ResponderExcluir
  35. Somos uma cópia, algo que já foi, não podemos ser originais. Acho que a nossa essência é camuflada com o passar dos anos, com o conhece do mundo, com a malícia. Mas não ha como mudar isso.

    ResponderExcluir
  36. nossa, q legal! Bom pra refletir! rsrs

    ResponderExcluir
  37. Erica,a Ingrid do Encanto Cinderela foi plagiada, vamos dar uma força pra nossa amiga blogueira mandando nossa mensagem no blog porcaria da plagiadora?

    http://diuliaraujo.blogspot.com/2010/07/palavras-jogadas-fora.html#comments

    Deixe seu aviso, lembre-se que poderia ser com vc.
    bjo;**

    ResponderExcluir
  38. Olá Érica, venho acompanhando seu blog desde algum tempo mas acho que não havia comentado né! Parabéns pelo blog, beijos

    ResponderExcluir
  39. Mas que GRAÇA de texto hein?
    Expressivo, rico, envolvente, e revoltante também! Como entender algo que não era pra existir? Talvez um dia você entenda. Abraços!!

    ResponderExcluir
  40. Erica, eu vi seu comentário lá no meu blog, e estou tendo a sensação de que essa menina é louca, só pode! Tenho medo que ela resolva se vingar e plagie um texto meu tbm. Temos que tomar alguma medida, pq plágio é algo muito grave, concorda?

    Bjos flor, adorei seu cantinho todo blue;**

    ResponderExcluir
  41. estamos seguindo aqui, amamos o blog *-*
    passa lá no nosso também:
    www.thetrashyfame.blogspot.com
    se gostar, segue a gente lá

    ResponderExcluir
  42. Sao nesses devaneios, nessas loucuras de palavras soltas, que muitas vezes nos encontramos por completo!

    bj

    ResponderExcluir
  43. mto bom essa idéia de bagunçamor tudo para depois refaze-lo! mto bom mesmo!

    ResponderExcluir
  44. Salve, Erica. Besta é quem não aprende com as novas gerações, então, aprendi contigo e com a Ana o valor de um blog, e criei o meu: http://terceiracasa.blogspot.com . Vou postar textos novos e antigos. Pinte lá. Abração.

    ResponderExcluir
  45. "O problema é que não há problema" (...) "Somos ums mistura daqueles que já foram"... ahhhh, quantas questões, heim Érica?

    Coisas que não-sabemos, mas lançamos luz e tentamos racionar. ;D

    Textos doidos lovers.

    Bom final de semana,

    abraços

    ResponderExcluir
  46. não leio blog algum seguidamente
    logo o teu não é exceção
    mas
    lembro que um dos últimos textos que li
    continha indignação
    inconformismo
    ou algo do tipo
    assim como esse

    assim como vários textos meus já tiveram, em um período curto

    você não precisa ficar presa às amarras da mente
    mesmo que ela insista em te prender
    o que os outros dizem não importa
    mas o que a sua mente quer dizer nem sempre importa
    e para alguém que pode mais
    limitar-se aos pensamentos impulsivos é limitar-se e impedir-se de crescer
    de evoluir
    de se soltar dessas amarras

    ResponderExcluir
  47. Oii tudo bem? Adoreei seu blog *-*
    tô passando pra deixar nossa marquinha e lhe convidar para conhecer o nosso.. (:
    beeijOs

    Deluxe

    ResponderExcluir
  48. ah cara tá muito bom esse texto... a confusão não é calculada, eu sei... mas é sempre na medida e transmite uma idéia central... o que não é próprio da confusão em si.. enfim, n sei se deu pra entender rs..
    somos frutos do meio e permeáveis a certos valores, cada qual segundo sua cultura... o que é interessante pra um, não o é para o outro.. ñ sou fã de idéias impostas... ou acredita-se e vai fundo ou nada de ir na onda dos outros... não quero que sintam por mim, vejam por mim, falem por mim.. acho que todos seres livres e pensamentos desejariam o mesmo... assim seríamos genuinamente autênticos, saca... bom, é minha opinião :S
    beijosss

    ResponderExcluir
  49. Amiga, quero um novo post *-* KKKKKKKKKKKKKKKKKK cobrança pra sempre.

    xx

    ResponderExcluir
  50. Gosto das palavras intensas, dessas aí que desafiam o termômetro, que sugerem febre, calor, vigor ebulição. Ou será revolução?
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  51. Tem muitos momentos, que não sabemos quem nós somos.
    Mas faz parte da vida, duvidarmos, esquecermos e ir nós descobrindo a cada dia.

    Acho que sempre estaremos em busca do nosso próprio EU.

    Beijos

    ResponderExcluir
  52. Oiii Érica!!

    Menina, que texto louco..rsrs..Mas, eu gostei dos questionamentos feito no texto. Somo assim: uma mistura de tudo e assim formamos o nosso complexo jeito de ser :)

    Ah, acabei de estreiar um quadro lá no blog. Se puder dar uma conferida e deixar seu Pitaco, eu agradeço.

    Beijos

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?