19 janeiro 2016

Resenha: A garota do penhasco - Lucinda Riley

A garota do penhasco
Lucinda Riley
Novo Conceito
528 páginas
☺☺☺☺
Sinopse: A Garota do Penhasco é um romance que enreda o leitor através de vários fios: a história de Grania Ryan e sua querida Aurora Devonshire, a garota do penhasco, nos fala sobre mudança de vida. A história das famílias Ryan e Lisle é um lindo conto sobre um século de mal-entendidos e rancor entre inimigos que se acreditam enganados por falcatruas financeiras. O caso de amor entre Grania Ryan e Lawrence Lisle comove por sua delicadeza e força vertiginosa que culmina em imensa tristeza. Mas, sobretudo, A Garota do Penhasco é um livro que mostra como é possível encontrar uma finalidade, um propósito, quando todas as esperanças parecem perdidas. “De ritmo tenso e original, este é um romance envolvente sobre recuperação, resgate, novas oportunidades e amor perdido.” -- Booklist

A garota do penhasco foi o meu primeiro contato com a escrita de Lucinda Riley, e posso dizer que foi uma feliz experiência. De acordo com informações do Skoob, a escritora é natural da Irlanda, mas mudou-se para Londres ainda jovem, e lá tornou-se atriz, trabalhando em teatro, cinema e televisão. Depois de adquirir uma bagagem considerável concernente ao ramo da dramaturgia, Lucinda, aos 24 anos, lançou o seu primeiro romance. Atualmente, a autora tem fãs pelo mundo inteiro. Inclusive, de acordo com uma matéria postada pela Saraiva Conteúdo, em 2013, Lucinda diz ter sido aqui, no Brasil, mais especificamente na 22ª Bienal Internacional do Livro, em São Paulo, que viveu um dos momentos mais ímpares da sua vida. Quando chegou ao estande da Editora Novo Conceito, Lucinda Riley era esperada por aproximadamente duas mil pessoas, que, quando a viram, a aplaudiram com fervor, à espera de um autógrafo.

Por essa singela apresentação, dá para ter uma noção de que Lucinda manda muito bem enquanto escritora e, em decorrência de seu talento, conquistou muitos fãs, certo? Sou apaixonada por livros de época e foi ótimo conhecer uma escritora contemporânea que sabe costurar tão bem passado e presente quanto essa adorável irlandesa. Em A garota do penhasco, Lucinda consegue ligar pessoas de duas famílias, os Ryan e os Lisle, em diferentes épocas. É incrível como, de algum modo, as histórias dessa gente se cruzam e quase sempre o resultado desses encontros não é nada agradável ou bom de se recordar.

Grania Ryan, escultora renomada, depois de anos morando em Nova York, volta a sua cidade de origem após vivenciar uma experiência dolorosa, e isso muda a vida dela para sempre. Sem nem perceber, ela se envolve com a família Lisle de uma forma singular. A garotinha do penhasco, Aurora Devonshire, uma menininha de oito anos com uma energia aparentemente interminável e uma maturidade de um ancião, rouba o coração de Grania e é a grande responsável por transformar o futuro dessa mulher, que até então se encontrava desencantada da vida, sem ânimos e sem perspectivas.

Com o decorrer da trama, com Aurora como narradora da estória, sabemos de todos os problemas e sofrimentos que os Lisle fizeram com que os Ryan passassem. O encontro dessas duas famílias quase sempre resultou em ódio, tristeza e muita dor. Kathleen, mãe de Grania, temendo que a ligação da filha Grania com os Lisle também resultasse em algo trágico, passou a contar todos os acontecimentos lamentáveis do passado envolvendo as duas famílias, com o intuito de convencer a filha a se afastar da menina Aurora e de seu pai, Alexander Devonshire. Aos poucos, Grania descobria um pouco mais sobre seus antepassados e por quantos perrengues eles tiveram de passar por conta dos Lisle, mas, o carinho maternal que nutria por Aurora e o encanto pela pessoa de Alexander, não permitiu que ela se desligasse dos Lisle.

Mary Ryan, bisavó de Grania, uma das personagens que mais me comoveram na estória que Lucinda construiu com esmero, foi uma das que mais sofreram por conta da escolha de se ligar ao Lisle. Após tornar-se adulta e transformar-se numa bailarina famosa, Anna, a quem Mary adotou com tanto amor, não soube ser grata a tanto afeto que essa primeira a dedicou. Lily Lisle, filha de Anna, mãe de Aurora e esposa de Alexander, vivenciou momentos terríveis em sua adolescência, que provavelmente deixaram sua alma perturbada. O irmão de Kathleen, mãe de Grania, esteve envolvido nesses momentos terríveis e, infelizmente, por conta da covardia de uns, mais de Anna do que propriamente de Lily, teve a sua vida arruinada. O ressentimento por parte dos Ryan para com os Lisle foi inevitável - e compreensível. Gerações prejudicadas e vidas destruídas pelos Lisle desregulados e passionais.

Aurora, talvez um ser angelical disfarçado de criança, e seu pai Alexander, um homem encantador, surgem na vida dos Ryan aparentemente com a missão de curar as feridas do passado. Grania, Kathleen e família ganharam a oportunidade de relembrar por todas as coisas que seus familiares passaram e, assim, puderam repensar os seus ódios e remorsos. Há pessoas que são mais anjos do que seres humanos. Materializam-se em nossas vidas para nos ensinar algo, para nos tirar da zona de conforto e, desse modo, nos impulsionar para sermos criaturas melhores, pautadas na positividade e na leveza.

A garota do penhasco é um livro sobre duas famílias que se amaram e se odiaram, que guardaram rancores e ódios, que alimentaram ressentimentos, mas, que, ao fim, a geração mais recente pôde alcançar o amor e o perdão, elementos que são capazes de neutralizar grande parte da negatividade que teima em existir dentro de cada um de nós.

Gosta de livros com uma boa dose de História, drama, romance e doçura? Então, acredito que esse pode ser uma agradável leitura.

Erica Ferro


• • 
Fan Page Sacudindo PalavrasTwitter Sacudindo PalavrasFan Page Atleta Erica FerroTwitter Erica Ferro

21 comentários:

  1. Oi Erica,
    A Lucinda é um amor e nossa deve dar uma emoção grande na Bienal, quando é autor. Sempre fico observando a reação dos fãs e é incrível mesmo.
    Ainda não li esse livro dela, mas acho que a maioria tem esse toque emocional, envolvendo familiares. Acho bacana, porque acaba sendo bem real e a gente se identifica um pouco com os dramas. Sua resenha está linda.

    P.S.: HAHA eu adoro Um Olhar do Paraíso, é um dos meus filmes favoritos. Quando finalmente fiz meus pais assistirem, choveu e o sinal do canal saiu do ar kkkkkkkk nunca mais passou e eles até hoje não viram o final.
    A cena final é de arrepiar mesmo, também acho.

    Tenha uma linda quarta. =D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sim, ela é um amorzinho e já quero ler outros livros dela! <3

      Excluir
  2. Oi, Erica!
    Ahhh, eu adoro a Lucinda Riley, e gostei muito da sua resenha.
    Acho que quero ler esse livro rsrsrs

    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem como não gostar da Lucinda, né? ;)

      Excluir
  3. Oi Erica!
    Nunca li nada da Lucinda, mas já vi muitas resenhas elogiosas. Gosto dessas histórias que conseguem mesclar passado e presente e parece que a autora faz isso muito bem, né?
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariana, até então eu era assim como você, apenas conhecia a Lucinda das resenhas positivas que lia por aí, mas acredite: vale a pena conhecer a escrita dessa escritora talentosa.
      Beijo.

      Excluir
  4. Gostei da resenha. Já li vários comentários positivos dessa escritora. Acho que vou procurar esse livro por aqui. Gosto dessa união do presente com o passado. Erica, muito obrigada pelo doce comentário no meu blog. O mundo do blog tem isso de bom: trazer amizades inesperadas e incríveis. Muito obrigada pela sua. Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia, poetisa. Você vai amar!
      Eu que agradeço pela sua doce amizade blogueira.

      Excluir
  5. Olá, Erica!
    Eu fui à Bienal em que Lucinda estava presente e estava dentro do stand da Novo Conceito quando ela chegou, e as informações são verificas hahahah Todos deliraram! Na época eu não conhecia a autora, mas tenho uma amiga que extremamente fã da autora, leu a maioria dos livros publicados aqui, porém nunca dei muita bola, por não saber dos temas de seus livros. Porém depois dessa resenha, vou procurar saber um pouco mais! Adoro livros que mesclam passado e futuro. Inclusive estou lendo um agora (Outlander).
    Beijos, Bruna
    http://calmajedi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que delícia! Como diz Auggie, em "Extraordinário", acho que "todas as pessoas deveriam ser aplaudidas de pé pelo menos uma vez na vida". É uma sensação incrível mesmo.
      Procure mesmo, acho que não tem como não gostar da Lucinda.
      Beijo.

      Excluir
  6. Olá, Érica!

    Adorei sua resenha, aliás, impressionante!
    O modo como você relatou o amor que ela sentiu ao visitar a Bienal do Livro, foi TOP!
    Gosto de livros com dramas familiar, faz com que venhamos a questionar nossas atitudes.
    Preciso ler este livro! :)

    Estou seguindo seu blog. Siga nosso site Irmãos Livreiros também, ficarei super feliz!

    Beijos!
    Danny
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia mesmo, Danny! Depois me conte o que achou.
      Sucesso a você e ao seu irmão!

      Excluir
  7. Olá, Erica.
    Eu já li dois livros da autora e gosto muito da escrita dela. Os dois que eu li e esse que você resenhou, que por sinal eu tenho em casa mas ainda não li, são bem parecidos. Assim que der eu vou ler ele.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhul! Você vai gostar, Sil. E eu vou ler os outros dela que eu tenho aqui.

      Excluir
  8. oi, oi.

    infelizmente eu não conheço a escritora e nem o trabalho dela, mas pelos comentários do post, percebi que ela é uma querida. pudera, né?! a história que ela contou é super original e me chamou bastante a atenção.

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Adriel! Ela é uma queridíssima! Procure algum livro dela e se delicie.
      Beijo!

      Excluir
  9. Oie!
    Eu AMO a Lucinda! A minha primeira experiência com ela foi A casa das orquídeas, que eu amei de todo o coração. Aí, é claro, eu quis mais dos livros dela. Pena que os preços não colaboram muito hahaha
    Adorei a proposta desse livro e tenho certeza que vou gostar tanto quanto você, a Lucinda arrasa, apenas.
    Beijoss
    www.vidaemmarte.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Kathleen. A Lucinda é "lacradora" demais. Já quero todos os livros dela! Quero ser ryca, só pra poder comprar todos os livros que eu quiser! hahaha :P
      Beijo!

      Excluir
  10. Olá,

    Tenho muita vontade de ler algum livro da Lucinda e não sei por qual começar, vou pesquisar este pois aparentemente ele é muito bom rs.
    Adorei a resenha <

    Beijos,
    ingridmedeiros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?