12 dezembro 2012

O nome dela é Natasha


Tumblr_luq6vhdvbc1r6vmqso1_400_large

Ela é vazia. Incapaz de sentir amor, compaixão... ou qualquer sentimento nobre, bom. Todos os dias ela veste pele de cordeiro, quando, na verdade, ela é uma loba. Ela é predadora e a próxima vítima pode ser eu ou você. Ela não tem escrúpulos. Ela jamais se arrepende de seus atos, a não ser que as reações desses atos a tenham deixado em desvantagem. Mas, preste atenção, ela sempre culpará alguém pelo fracasso dela. Ela se olha no espelho e se vê perfeita. Ela olha para o espelho e tem certeza de que nunca errou, nem nunca errará em toda a sua vida. Ela é um ser ideal.
Adora ser paparicada, afinal, na sua visão distorcida, ela é a melhor, seja qual for a área. Não há uma pessoa mais inteligente e conhecedora do que ela. Se houver alguém que se mostre um pouco mais esperto que ela, então resolve pintá-lo a todos que conhece como um ser indigno, que só quer se exibir para a sociedade; ou seja, aponta o dito cujo como um pernóstico.
A verdade é que ela gosta de estar rodeada de pessoas tolas, porque são facilmente manipuláveis. Ela sente um prazer imensurável em professorar. Ela sabe de tudo. Ela entende de tudo. Ela é uma expert em todos os assuntos. Se ela não puder se exibir, não puder se mostrar superior a alguém, ela simplesmente perde o interesse e vai embora, à procura de alguém suficientemente parvo pra servir de brinquedo pra ela. 
Ela nunca conheceu o amor, nem jamais conhecerá. Ela sente prazer em ser amada, mas não pelo fato de ter alguém que a ame, que a faça bem. Não, nada disso. Ela se entusiasma em ser amada apenas porque ela se diverte e adora que alguém seja dependente dela emocionalmente. Ela adora saber que alguém vira noites pensando nela, que chora por ela, que gostaria de compartilhar a vida com ela. Ela pensa nisso e gargalha gostosamente. Ela brinca com os homens que encontra por aí. Usa um pouco, depois descarta quando o brinquedinho perde a graça. Ela é assim, não pensa duas vezes em acabar com a vida alguém. Ela devasta uma vida em um tempo espantosamente rápido e vai embora, com um largo sorriso no rosto, como se nada tivesse acontecido. Ela é psicopata. O nome dela é Natasha.

Erica Ferro

* * *
Que saudade de postar esses contos mal contados! (risos)
O mundo está cheio de pessoas assim, vazias, incrivelmente insensíveis. Às vezes não nos damos conta, mas estamos mais rodeados de pessoas assim do que podemos imaginar.
Um abraço da @ericona.
Hasta la vista!

7 comentários:

  1. Ou às vezes elas levam um pouco de nossa alma com elas...

    ResponderExcluir
  2. Sou fã das vilãs. Adorei... rs

    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Vou querer depois esse texto pra mim. Ele é o retrato falado de quem eu conheci recentemente.

    BeioZzz

    ResponderExcluir
  4. Oi Érica, eu adoro ler contos, independente de ser mal ou bem contados! rsrs
    Adorei esse, me lembrou uma música do Capital Inicial.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Érica adorei o conto, essa Natasha é insensível, ambiciosa e relativamente má, mesmo sem perceber conhecemos pessoas assim e não damos conta, beijinhos

    ResponderExcluir
  6. A única Natasha que eu conheço é a Vodka. Hahaha

    Enfim, ela é egoísta. Beijos

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?