27 agosto 2012

Resenha: A linguagem das flores - Vanessa Diffenbaugh



A linguagem das flores, de Vanessa Diffenbaugh
(Editora Arqueiro; 304 páginas) 
Victoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda. Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção. Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas. Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar... até pôr tudo a perder. Agora, aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar. Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular. Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram. Em seu livro de estreia, Vanessa Diffenbaugh cria uma heroína intensa e inesquecível. Misturando passado e presente num intricado quebra-cabeça, A linguagem das flores é essencialmente uma história de amor – entre mãe e filha, entre homem e mulher e, sobretudo, de amor-próprio. 

Ouso dizer que, de todas as minhas leituras de 2012, A linguagem das flores foi o livro que mais me afetou no sentido de me tocar, ora positivamente, ora negativamente.
O livro é narrado por Victoria, o que nos deixa ainda mais próximos do que se passa em sua mente e em seu coração.
Os capítulos d'A linguagem das flores se alternam entre presente e passado. Acompanhamos o presente de Victoria: a sua emancipação, as dificuldades de estar sozinha no mundo, sem ninguém com quem contar, as suas noites dormindo em praça pública, cultivando seu jardim particular, até quando ela consegue um emprego em uma floricultura local. Sua vida melhora, ela ganha o suficiente pra não dormir mais na rua e poder se alimentar regularmente. Renata, dona da floricultura, logo percebe o talento incrível de Victoria com as flores. Com isso, Victoria ganha não só a admiração e a confiança de Renata como também a de seus clientes, que solicitam o trabalho de Victoria, por acreditar que, o talento dela aliado a linguagem das flores, tem o poder de mudar a vida deles.
Em meio a isso, Victoria nos transporta para o passado, nos contando a sua vida atribulada em diversos abrigos e lares adotivos, até que ela nos fala de Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única pessoa a quem Victoria amou e por quem foi amada em sua infância.
A verdade é que Victoria sempre teve um gênio muito difícil: avessa a carinhos e incapaz de sentir empatia por alguém. Isso mudou quando Elizabeth conquistou, pouco a pouco, o seu coração. Victoria descobriu que tinha a capacidade de amar e sentiu em si mesma o poder transformador do amor. Porém, Victoria fez algo grave, que culminou na separação das duas. Ela voltou a viver em abrigos até a sua emancipação.
O motivo da separação das duas é revelado gradativamente; e, aos poucos, compreendemos a razão de a Victoria ser quem é, reclusa, amargurada, atormentada por fantasmas do passado e cheia de culpa. O encontro com Grant, um rapaz que trabalha no mercado de flores, a faz encarar o passado e resolver questões que foram adiadas por tempo demais. Daí por diante, notamos uma bela e importante transformação na vida e na personalidade de Victoria.
Victoria é uma das protagonistas mais marcantes que já conheci em livros. Ela nos provoca sentimentos diversos, como pena, afeto, raiva, indignação e amor de novo. Não compreendemos inicialmente algumas de suas ações e decisões, mas aprendemos a enxergá-la e sentir amor por ela da maneira que ela é. Nossa afeição por ela cresce ainda mais quando, a certo ponto do livro, ela se encontra consigo mesma e consegue se perdoar por todo o mal que julgou causar a todos que conviveram com ela.
Um dos pontos mais bonitos do livro é o amor de Victoria pelas flores (amor esse herdado de Elizabeth, que é quem lhe ensina tudo sobre as flores e os seus significados). Eu não entendo nada de flores, por isso foi meio difícil no começo visualizar as flores que eram descritas no livro, mas nada que atrapalhasse a leitura ou tirasse o encanto do livro. Muito pelo contrário, se interessar pelas flores e se deslumbrar por seus significados é algo fácil e quase automático quando se lê A linguagem das flores.
A linguagem das flores é sobre arrependimento, crescimento, remissão e, sobretudo, sobre o poder transformador do amor. Indico a quem aprecia tramas com personagens marcantes e singulares, com histórias de vidas contundentes, que nos tiram da zona de conforto e nos impulsionam a enxergar a vida por novos ângulos.

Erica Ferro

* * *

Já escolheu qual livro da Editora Martin Claret você quer ver resenhado e sorteado aqui? Não? Pois vote na enquete ao lado!
Um abraço da @ericona.

19 comentários:

  1. Eu não estou em uma boa faze para ler coisas assim Erica!!! Confesso que hoje se pudesse sumia do mapa, do mundo, então mergulhar na cabeça de outra doida nem pensar!!! kkk... Mas confesso que uma das melhores coisas da literatura é quando ela nos confronta com coisas desconhecidas, sentimentos complexos e novos conhecimentos... Oposto que vc jamais pensou que conheceria tanto de flores!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Erica! Achei sua resenha maravilhosa,me deu muita vontade de conhecer o livro,parece ser tão tocante,adoro livros que mexem com os nossos sentimentos.
    beijos

    strawberrydelivrosefilmes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Erica, tudo bem?
    que livro lindo. Eu ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre ele e fiquei encantada. gosto muito de flores apesar de não ter nenhuma aptidão para cuidar delas. Gostei muito da dica e já vou colocá-lo na minha lista de leitura e futuras aquisições.

    ps: Obrigada pelo elogio quanto as minhas resenhas, na verdade já cheguei a pensar que escrevo extremamente pouco com relação aos livros que leio, mas acho algo terrível quando leio uma resenha de um livro que ainda não li e acabo descobrindo quase que toda a estória. Afinal, a resenha é pra despertar a curiosidade e não contar tudo rsrs.
    Abraços,
    Amanda Almeida

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha, parece uma história com drama, que seja tocante, é muito bom livros assim :* beijos Érica

    ResponderExcluir
  5. Erica, adorei a resenha, muito bem escrita e fundamentada. Não conhecia este livro, é o tipo de leitura que nos faz pensar e sentir as emoções juntamente com os personagens, gostei, mas depois do "A Culpa é das Estrelas" acho que vou dar um tempinho em livros mais "pesados" e ler algo descontraído. Vou ficar de olho nele, quem sabe consigo lê-lo até o fim do ano.

    ResponderExcluir
  6. Romance não é bem minha praia, mas gosto da capa deste...
    Quem sabe? Rs

    Um beijo,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
  7. Eu li esse livro no começo do ano e olha, não foi bem o meu tipo de leitura. Ele não é ruim, mas também não é aquilo tudo. D:
    O que eu mais gostei nele foi o dicionário das flores no final. <3

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Parece ser bem legal pela sua resenha, certamente leria se tivesse uma oportunidade. Acho que preciso fugir mais dos livros sobrenaturais e ler algo assim. Sua resenha ficou ótima.

    http://relembrandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Eriona! Não é a primeira resenha que leio este livro e só fez aumentar a vontade de conhecer a história. Principalmente porque amo o assunto 'flores', tenho a impressão que me identificaria muito com esta personagem. Não vejo a hora de uma boa alma disponibilizar em PDF! =p

    ResponderExcluir
  10. A resenha ficou muito boa, porém eu estou em um momento que pede um bom suspense, como sempre amei rs

    *Vitamina de Pimenta*

    ResponderExcluir
  11. Oi Erica, que lindeza de blog!
    Vim retribuir sua visita e adorei seu espaço e seus posts! Parabéns!
    obrigada pelo carinho em meu blog tb, venha sempre! bjs

    ResponderExcluir
  12. Desde que esse livro foi lançado estou à procura dele pra ler. Eu i vi na Bienal, só que não estava em promoção (né, eu só comprava livros de no máximo 10 reais, kk). Me interessei logo de cara pela capa e pela sinopse dele, mas a sua resenha me deixou encantada. Eu gosto de me sentir tocada pelos livros; gosto quando eles me incomodam e fazem pensar. Isso é bom. E eu amo flores, só que, como você, não as conheço. Acho que é uma ótima oportunidade pra aprender um pouco sobre elas. Tenho que ler!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Menina, como é bom vim ao teu blog sempre..Estou precisando de livros novos, vou guardar esse na listinha.

    ResponderExcluir
  14. Eu não conhecia esse livro e nunca tinha lido uma resenha dele antes, mas me interessei muito por ele, ele parece ser muito lindo, eu fiquei bem curiosa para lê-lo.
    Beijos.

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Parece ser uma história intrigante e envolvente! Que faz o leitor se ver no personagem e repensar os próprios valores...

    ResponderExcluir
  16. Hey Erica!
    Esse livro foi lançado faz um tempinho..
    Nem conhecia muito sobre, e fui me informando pelas resenhas.
    Ainda terei um tempo para conhecê-lo.
    Parece ser uma história para pensar e de um lado, bonita.

    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  17. Ou sua resenha foi muito boa ou o livro é que é bom mesmo, porque me deu uma vontade louca de ler.
    Eu gosto de livros assim.
    Falando em livros, já leu A Menina que não sabia ler? Depois que eu o li, fiquei semanas ainda vivendo a história, é um suspense gótico muito bom. Super recomendo.

    ResponderExcluir
  18. Ericona!
    Cá estou eu cheia de vergonha por só agora comentar a sua resenha.
    Pelo jeito você acabou o livro se sentindo exatamente como eu. Que história fantástica, não é? Posso dizer que A linguagem das flores foi um livro que superou todas as minhas altas expectativas! Do amor ao ódio, passando por pena, raiva, aceitação, entendimento... Uma gama de sentimentos que poucas vezes se vê em um livro.

    Um beijo enorme! ;**

    ResponderExcluir
  19. Gostei muito da resenha Erica!
    A história é linda. Apesar da Victoria ser rebelde parece que ela foi muito amada pela Elizabeth (mas ela estragou tudo, né!?) Quero saber como ela estragou a relação delas e que parte do passado dela é esse que veio atormenta-la e por que?
    Fiquei com vontade de ler... penso que vou começar por aqui, se alguém quiser acompanhar:
    http://portugues.free-ebooks.net/ebook/A-Linguagem-das-Flores

    ...a ver se vale a pena a compra!

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?