21 fevereiro 2010

Ele é demais

Ele fala demais porque teme nunca ser ouvido
Ele dança demais por medo de um dia não ter mais ritmo
Ele corre demais por medo de perder o trem das cinco
Ele ama demais porque nunca amou ninguém com verdadeiro
E puro afinco

Ele é demais porque não é nada demais
E a demasia dele é puro ultraje do vazio que nele habita
Ele pensa se preencher com as hipérboles fajutas
Compradas no meio da feira
Que besteira!

Ele foge dele mesmo porque nunca teve coragem de encarar-se no espelho
O espelho revela o mais profundo do ser
As magias mais inacreditáveis
As mágoas mais odiáveis
Os amores mais improváveis

Ele teme ele mesmo porque o mundo o chama
E ele teme o chamado do mundo
Ele teme ter ouvido errado
Teme a recepção áspera
Ele não sabe lidar com as consequências da própria existência
E por isso ele é demais

(Erica Ferro)



P.s: Gente boa! Olha só quem veio aqui de novo, haha.
Olha só, eu não voltei a ler as atualizações dos blogs que eu sigo; apenas tenho visitado quem tem passado por aqui. Na verdade, não sei o que há comigo; ando indisposta para muitas coisas.
É só um enfado passageiro, eu espero.
(...)
E o post? Totalmente poetizei a vida alheia... Esse 'ele' pode estar em muitos lugares; aliás, 'eles' existem, como 'elas' também. Sei que pegarão a ideia do poema, ou assim anseio.
(...)
Espero que estejam bem, blogueiros.
Um abraço e uma boa semana.

53 comentários:

  1. Érica, como sempre incrível.
    Mas a vida é assim mesmo...
    As pessoas que consideramos perfeitas, normalmente, são as mais imperfeitas.
    Porque cada defeito, cada qualidade se encaixa.
    E dois imperfeitos se somam em uma só perfeição, assim creio eu.
    Beijos querida.

    Lindo, as always.

    ResponderExcluir
  2. Sim, esse ele pode ser qualquer um e sisso fez seu texto ficar ainda mais divino! Estar tão no cotidianno mesmo sendo tão poético, adorei! Beijos, Mel

    ResponderExcluir
  3. Adorei. Incrível como você consegue pegar as coisas mais banais de deixar tudo tão 'cool' através das palavras. Inveja boa, oi. aushuahsuhashasu



    bjo.

    ResponderExcluir
  4. Eu, nós, tu, eles, elas... Rs'

    Eu consegui pegar o sentido do texto e, como sempre, abordou um lado muito engraçado da vida que é o medo que todos nós temos. Independente do tamanho, ele está lá, para nos atormentar, limitar ou encorajar...

    Perfeitas palavras, querida Érica!

    ResponderExcluir
  5. Gostei, acho que peguei a ideia do texto XD

    Todos temos medos de coisas que só dependem de nós mesmos, não é? .-.


    Bom, tentarei aparecer mais, vê se também não some ;D

    :*

    ResponderExcluir
  6. Mesmo escrevendo de uma maneira muito diferente da minha, penso que tentamos captar as mesmas ideias!

    beijos:*

    ResponderExcluir
  7. Sensações verdadeiras...
    Temores verdadeiros...
    Anseios verdadeiros...
    Pura verdade esse poema!!!
    Amei!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Ahhhh Menina! Tem tantos dELES por aí...
    Como sempre, você brinca com as palavras e com seus significados...
    Descreve, como vc mesma disse, a vida alheia, de maneira impecável mas que se pararmos para pensar nem é tão alheia assim... Tem um desses do nosso lado. E por vezes dentro de nós...
    Nossa, já me encaixei nesse perfil por vezes!
    Me reconheci em paragrafos inteiros...

    Quanto a indisposição sua... Relaxa... Isso passa... Uma coisa que descobri é que essa vida nossa é feita de fases...

    Muito bom voltar aqui!

    Um beijo enorme!
    Ótima semana! =)

    ResponderExcluir
  9. queria eu viver com uma paixão dessas, menina! fazer tudo que eu quero antes que não dê mais tempo. :)

    ResponderExcluir
  10. Incrível como nos vemos em muitos versos desse teu poema (vemos porque eu mostrei a uns amigos e eles concordaram comigo haha)

    Sabe o que me lembrou? De uma musica da Maísa: Demais.


    "Todos acham que eu falo demais
    E que eu ando bebendo demais
    Que essa vida agitada não serve pra nada
    Andar por aí, bar em bar, bar em bar

    Dizem até que ando rindo demais
    E que conto anedotas demais
    Que não largo o cigarro e dirijo o meu carro
    Correndo, chegando no mesmo lugar

    Ninguém sabe é que isso acontece por que
    Vou passar minha vida esquecendo você
    E a razão por que vivo esses dias banais
    É porque ando triste, ando triste demais

    E é por isso que eu falo demais
    É por isso que eu bebo demais
    E a razão porque vivo essa vida agitada demais
    É porque meu amor por você é imenso
    O meu amor por você é tão grande
    É porque meu amor por você é enorme demais"

    Lindão, né?
    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Às vezes temos tanto medo de perder as coisas, perder a vida, que tentamos viver tudo ao mesmo tempo. Não sei se pode dar certo desse jeito. Precisamos viver de forma intensa e, ao mesmo tempo, sábia, se for possível. Por isso que eu tento muito, ainda que isso me renda muitos erros. E sem me importar com a opinião dos outros.

    Ée, vou me mudar. :D
    Morar em república até que seria legal, mas acho que meu pai não confiaria nisso por algum motivo, rsrs. Vou pra uma pensão. Só vou ter que aprender a cozinhar até lá, husahsuah.

    Ô onda...

    ResponderExcluir
  12. Ah, obrigado por fazer seu texto inspirado em mim Erica, obrigado mesmo pelo elogio, rs!
    aushahusuhasha [TODDYBRIKS]

    Enfim, concordo com cada letra... e como a Jana falou, queria viver assim, mas a internet não deixa, rs!!
    Beijos, se cuide-se ^^

    ResponderExcluir
  13. Ele se chama Ferdi mendonça?
    Porque eu juro que esse texto poderia fazer parte de uma biografia minha :(

    ResponderExcluir
  14. Dona Erica. ^^
    Ótimo texto! Como sempre.

    Olha, sobre os livros do Pedro Bandeira. Leia os Karas, são excelentes! Se quiser passo os nomes pra ti.

    Beijos querida!

    ResponderExcluir
  15. "Ele não sabe lidar com as consequências da própria existência
    E por isso ele é demais"

    Poetisa, que verdade incrível.
    Você escreve de uma maneira tão simples que encanta!

    ResponderExcluir
  16. Sim, na verdade esse "ele" pode ser um "ela", posso até já ter sido eu, :/ Mas tudo passa, apesar de lenta e por vezes dolorosamente, e a gente aprende a lidar connosco mesmos : )

    A minha poetisa perferida, conhece? É Erica Ferro... xD

    ResponderExcluir
  17. ahhh, adorei!!! mt bom!!!
    é, às vezes fica difícil visitar todoooo mundo que seguimos, mas eu sempre tento, até pq já acostumei a viver lendo os textos de vocês... é bom pra descansar a mente.. xD
    bjussss

    ResponderExcluir
  18. Ahh tá virando uma poeta hein?
    Versos perfeitos.
    Amei.
    Bjo e um abraço pra estralar a costas

    ResponderExcluir
  19. Muito chic, bom demais seu texto.
    beijo t+

    ResponderExcluir
  20. e ele às vezes nem percebe o mal que faz para si mesmo, ...

    muuuuuuuuito massa o texto!
    ADOREI.

    ResponderExcluir
  21. ELE é exagerado...

    ELE é 'hiperbólico'...

    ELE é tão "demais de demais" que penso: será que ELE não tá correndo pra alcançar a própria Vida???

    Coitado!Está sempre atrasado, está sempre com medo, está sempre fugindo...todo embolado...rs

    Quem será esse ser misterioso, que chega a instigar...
    sim, pq ELE, que é sempre tão demais, chega a se parecer (um pouquinho que seja!) com a gente, Érica... que medo!!! rs

    Somos um pouco dessa mistura aí, amiga.
    Seu personagem é real!

    Beijos!
    Belo poema!!

    ResponderExcluir
  22. Troque o Ele por Ela e defina-me!
    ADOREI, muito, muito bom! ♥

    ResponderExcluir
  23. Incrível o seu texto com uma gama de temores humanos!

    bjos!

    ResponderExcluir
  24. Ele só prefere pecar pelo pecado do excesso do que o da omissão..rsrs

    Ah, essa indisposição,acontece!

    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Adorei o poema érica!
    Alias, nossa, a quanto tempo eu não vinha por aqui, mil perdões... e realmente sai perdendo de ler seus poemas cada dia melhores e mais perfeitos *-*
    Lindo, e te acalme querida, deve ser só um momento "pós-férias" em breve passa, acredite.
    Aguardo teu comentário no (antigo Meu próprio caminho) She's Insane ( http://sheisinsane.blogspot.com/ ), um beijo

    ResponderExcluir
  26. Ouvir o chamado do mundo ou realmente se olhar no espelho não é pra qualquer um, Erica! A maioria finge que não viu nem ouviu nada. Por precaução, sabe como é, né?
    Bjoooooo!!!!!!

    ResponderExcluir
  27. Oi amiga,

    Mto legal o poema...parece comigo rs...

    Adoro vir aqui,seus textos são exelentes.

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  28. olha, não é tão fácil achar um "ele (a)" assim não viu, rsrsrs
    bjsss e bons dias

    ResponderExcluir
  29. Nussa, Ericona!

    Que descrição legal em forma de poema! Muito legal a forma descrita, logo legal também o poema em si!

    :)

    sempre tu, Ericona! Sempre tu!

    Seus poemas são 10. A forma como você se expressa é 10 demais!

    xD

    :)

    :P

    ResponderExcluir
  30. Oi erica!
    Obrigada pela visita.
    POis é, sabe que esta indisposição também tem me atacado?
    Tenho deixado de visitar blogs maravilhosos por preguiça, cansaço... mas hoje decidi visitar o pessoal...
    E o seu blog eu gosto muito, como sempre!!!
    Parabens!

    ResponderExcluir
  31. Ótimo!

    Nem tem o que acrescentar depois disso.

    Nem sempre ser 'demais' é bom. Há muitas pessoas extremas por ai, há muitos 'eles' e muitos 'elas'...

    Não sei se eu tô com a opção certa de quem te inspirou esse poema (espero não ter sido eu), mas debatemos isso mais tarde....


    Beijoo

    *Demorei pra vir aqui... uns quantos comentaram antes =/

    ResponderExcluir
  32. *-* Seu comentário nunca é pobre.

    beijos, querida

    ResponderExcluir
  33. Nossa, você escreve maravilhosamente bem!
    Adorei, mesmo!!

    Um beijo

    ResponderExcluir
  34. "Ele" é todo força, né, flor?

    Obrigada pelo lindo comentário, lá no blog. Fiquei toda contente. ^^

    A Dorothy (adoro-te)

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  35. Eriquinha!!

    Que lindo!!

    "Ele não sabe lidar com as consequências da própria existência e por isso ele é demais"

    Perfeito!!
    ´Parabéns!!

    beijos

    ResponderExcluir
  36. muito interessante teus textos, já te disse? rs

    bj querida

    ResponderExcluir
  37. Como sempre ameii o sue texto.. E o seu "ele" pode ser euu em muitas estrofes..
    beijos. ;*

    ResponderExcluir
  38. Ser demais, nesse sentido é ser menos!

    ;D

    BeijOcas

    ResponderExcluir
  39. Te considero uma das pessoas mais criativas na hora de escrever que eu conheço, e por isso sempre gosto de passar por aqui, sei que vou sair com um sorriso nos lábios.

    Beijos

    ResponderExcluir
  40. Temor, espelho... faz pensar!
    Gosto da intensidade, quando consegue ser diferenciada do exagero.
    Muito bom!
    Beijos

    http://meninamisteriosa.wordpress.com/
    http://www.aceuabertodaboca.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  41. Ahhh..
    quem dera eu ter a sua criatividade, sua sensibilidade. Incrível isso!


    Achoq ue tô passando pelo mesmo momento que você. Ando meia indisposta...
    Tentando melhorar.

    :*

    ResponderExcluir
  42. Eu não quero pecar pelo excesso, quem dira, por aquilo que deixei de fazer. Essas certezas incertas e das contradições dessa louca vida, eu só quero sentir e que venham até mim atitudes rápidas ou perderei o "trem" para a próxima estação.

    Que poema... LINDO?! ;x HUIASHUIAS

    Beijos
    ;*

    ResponderExcluir
  43. Confesso que algumas coisas também faço em demasia. Adorei :)
    Estou passando também para te contar que fiz uma reforma no meu blog. O 'Não solta a minha mão nunca, ta?!' agora é 'Segredos de Travesseiro'. O conteúdo continua o mesmo, mas agora está um pouco mais com a minha cara. Passa lá para visitar a minha casa nova, ok?!
    Beijão

    ResponderExcluir
  44. que lindo!vc escreve muuito bem!
    bjos
    mah

    ResponderExcluir
  45. Psiu, você é genial, sabia?

    Existem textos que precisam ser lidos com entonação. Textos em que o sentimento, necessariamente, está na voz e no interprete. Acontece com os textos ruins, sem vida.

    Já outros podem ser lidos secos. Sem erguer a voz ou mudar o tom. E adivinha? Quando o texto é bom, ele faz com que o outro se arrepie.

    Esse seu poema é um deles.

    Muito inteligente, Erica. Muito! *o*

    ResponderExcluir
  46. muito inteligente 2


    vc é 10!

    ResponderExcluir
  47. acho que esse ele estar em todos nós mesmo, nuus nem me fez pensar esse texto por ://

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?