Resenha: A culpa é das estrelas - John Green



A culpa é das estrelas
John Green
Intrínseca
288 páginas 
☺☺☺☺☺  

A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.




O que dizer de A culpa é das estrelas? O que dizer, sinceramente? Eu não sei. Sério, não sei. Não sei mesmo. Porque eu queria dizer muitas, mas muitas coisas. Talvez essa será a resenha em que menos falarei do enredo (até porque as boas resenhas não revelam muito - ou até mesmo nada - do enredo).
Eu quero falar do que senti ao ler o livro. É um livro lindo. Sim, lindo. Não estou ignorando a parte que ambos, Hazel e Augustus, têm câncer e passam por maus bocados no livro. Quando digo lindo, nem sempre quero dizer feliz, colorido, alegre. Mas o livro é lindo porque tem uma beleza toda única, porque desperta inúmeras sensações em quem o lê, porque faz refletir sobre uma porção de coisas, porque nos faz rir. Porque Hazel e Gus riem de sua própria "desgraça", por assim dizer. Fazem piada sobre o câncer, e isso para algumas pessoas pode soar estranho ou até mesmo de mau tom. Porém, honestamente, levar a vida com bom humor é uma das melhores maneiras, porque, de algum modo, isso alivia o peso das dificuldades, deixam as coisas mais leves. Deixa a vida mais leve.
Hazel, à princípio, me pareceu um pouco chatinha (não sei explicar ao certo o porquê) - aliás, o livro é narrado em primeira pessoa, por Hazel. Mas só no começo mesmo, porque depois notei o quanto genial ela é, o quanto suas tiradas são fantásticas e sua ironia, finíssima. 
— Vai chegar um dia — eu disse — em que todos vamos estar mortos. Todos nós. Vai chegar um dia em que não vai sobrar nenhum ser humano sequer para lembrar que alguém já existiu ou que nossa espécie fez qualquer coisa nesse mundo. Não vai sobrar ninguém para se lembrar de Aristóteles ou de Cleópatra, quanto mais de você. Tudo o que fizemos, construímos, escrevemos, pensamos e descobrimos vai ser esquecido e tudo isso aqui — fiz um gesto abrangente — vai ter sido inútil. Pode ser que esse dia chegue logo e pode ser que demore milhões de anos, mas, mesmo que o mundo sobreviva a uma explosão do Sol, não vamos viver para sempre. Houve um tempo antes do surgimento da consciência nos organismos vivos, e vai haver outro depois. E se a inevitabilidade do esquecimento humano preocupa você, sugiro que deixe esse assunto para lá.
- Hazel
E o que falar do Gus? Não sei. Sinceramente, eu não sei. Porque, cara, como vou falar de um personagem por quem eu me apaixonei perdidamente e desejo insanamente que seja real pelo menos por um momento e que vivamos um puro romance fugaz? É assim que o vejo. Lindo. Sonhador. Doce. Romântico. Gentil. Um doce de coco. Um amor para toda a vida. O personagem mais lindo de todos os personagens do universo. Sim, eu realmente me apaixonei pelo Gus. Adorava quando ele chamava a sua amada por seu nome composto: Hazel Grace. Meu nome não é composto, mas eu realmente ficaria toda derretida se ele me chamasse de "Erica Ferro, minha amada adorada". Sim, sim, eu realmente não bato bem da cabeça.
Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você.
- Augustus
O amor dos dois: ai, que coisa linda! Ai, que coisa encantadora! É um amor que não acontece loucamente, rapidamente e torridamente. O amor dos dois se dá paulatinamente. E isso que é o mais lindo de tudo. É um amor daqueles bem doces, sutis e singelos, sabe? Não, você, caro leitor, só saberá se ler o livro, porque você não faz ideia da lindeza que é o amor desses dois jovens.
Me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra.
- Hazel
Preciso falar do Isaac também, um mocinho muito gente fina. Sim, ele cai em algumas crises de angústia, de tristeza, de questionamentos, o que é normal, mas também é igualmente bem-humorado e encantador. Hazel, Augustus e Isaac formavam um belo trio.
Houve um momento do livro que me entristeceu bastante. Não posso contar pra não dar nenhuma informação que não deve ser dada, mas é algo que, de alguma forma, eu já esperava. Esse acontecimento triste, apesar de ser mesmo muito triste e rasgar o coração dos leitores, não diminui a beleza do livro. Sei que muita gente esperava um final diferente, mas, sinceramente, não me decepcionei com o final, porque achei realista e sincero. Afinal, alguns infinitos são maiores que outros.
Fiquei muito feliz com a notícia de que vão fazer uma adaptação cinematográfica do livro. Quer dizer, contente, mas também apreensiva, porque raramente filmes baseados em livros satisfazem totalmente aos leitores. Porém, se for uma adaptação bem feita, vai ser algo lindo de se ver. Que escolham um Augustus Waters bem coisa fofa, bem apaixonante, porque eu quero suspirar muito vendo o filme. 
Enfim, A culpa é das estrelas é um livro que provoca emoções das mais diversas, mas, sobretudo, que encanta. John Green ganhou meu coração para todo o sempre.
Indico o livro a quem gosta de romance e quem gosta de se emocionar verdadeiramente com uma estória que, sim, é um tanto sofrida e tem um tema "pesado". Indico o livro àqueles que vêm uma certa beleza na tristeza. Àquelas que acreditam no amor. Àquelas que amam. Àqueles que... Ai, leiam o livro, porque é belíssimo!

• • • 
Há muito tempo que eu deveria ter comentado aqui sobre A culpa é das estrelas, mas não estava conseguindo me concentrar direito por esses dias e fui procrastinando até hoje.
Espero que curtam a postagem de hoje e que resolvam ler o livro. Quando lerem, me procurem e me digam o que acharam. Vou adorar ler a opinião de vocês sobre o livro.
Curtam a página do Sacudindo Palavras e siga o blog no Twitter.
Um abraço da @ericona.
Hasta la vista!

26 sacudiram palavras:

Dany Loureiro disse...

Ooi Erica,
tudo bem?

Estou lendo esse livro atualmente. Já chorei nas primeiras páginas! rsrs

A sua resenha foi uma das melhores(senão a melhor) que eu li até agora! :)

Ótima semana!

Beijos Mil.

Amanda Almeida disse...

Flor, você disse que não sabia o que dizer mas disse tudo aquilo que eu senti lendo esse livro. Amei, amei, amei. Esse livro é mais do que especial e eu chorei muito com o fim, mas ao mesmo tempo senti aquela sensação de que infelizmente nem tudo é um conto de fadas e nem toda estória é perfeitinha. As vezes vale mais apena ter essa espécie de infinito, que tem a intensidade de uma vida, e sinceramente, acredito que tais coisas são dádivas. Também me apaixonei pelo Gus, queria um cara assim, na verdade me apaixonei pelo John Green, mas ele já é casado então esquece kkkk.
Um abraço flor,
Amanda Almeida

Juliana Marques disse...

Acho que sou uma das únicas pessoas do mundo que ainda não leu esse livro. Quero muito ler, está na minha lista de desejados, mas não sei quando vou comprar. Enfim, ótima resenha.

Beijos :)
http://doses-de-desapego.blogspot.com.br/

Malú Oliveira disse...

Já estava querendo muito ler este livro, agora mais ainda! Obrigada pela resenha! Quando tiver algum tempo, coloco este na longa fila de espera de livros para serem lidos! Ahaha :)

Beijo!

Malú I am.

Julia G disse...

Uau, que resenha! rsrs
Eu quero muito poder ler esse livro, por parecer tão lindo e tocante, e ao mesmo tempo divertido, singelo. Adoro isso :D

Beijos

Dani disse...

Esse livro é muito, muito, muito bom. É difícil tentar descrevê-lo e é impossível não se apaixonar por Augustus. *-*
A Culpa é das Estrelas se tornou meu livro favorito. rs

Beijos

Aline Diedrich disse...

Guria, fiquei com muita vontade de ler! É tocante!

Paloma Viricio disse...

Ah...nem me fale sobre esse livro. Sério...estou louca para ler e não vi até agora nenhuma resenha falando desse livro de forma negativa. Louca para ler e me emocionar bastante.
Beijos!
Paloma Viricio- Jornalismo na Alma

Pandora disse...

Erica eu acabei de comprar esse livro para presentear minha cunhada e a cada resenha que leio fico na duvida se fiz algo bom ou ruim! Espero sinceramente que ela goste!

Luiza disse...

Todos falam super bem desse livro, só não leio pois sei que vou chorar MUITO, já perdi alguém por causa de câncer.
Bjs
http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

Antônio LaCarne disse...

ótima a tua resenha sobre o livro. gostei bastante, sem contar o conteúdo interessantíssimo daqui.

Allyne Araújo disse...

Achei lindo!!! Vou procurar pra ler. Bjooooo

Ariana disse...

Terminei de ler o livro ontem a noite, já posso comentar.
Estou "estasiada" ainda, chocada, encantada com o livro.
Que história maravilhosa e triste.
Que amor bonito mas que acho que só existe em filmes e livros.
Sem muito a dizer, só que o livro é maravilhoso, o segundo melhor que li esse ano.
Muito boa a sua resenha!

Beijos

Déborah-alana disse...

Livro lindo, amo esse livro, minha irmã comprou e fiquei lutando para ela terminar para poder ler, já imaginei sendo triste pela sinopse, mas amei o livro, me emocionei, mas incrível Érica, beijinhos

VaneZa disse...

Eu tu ainda me passa em segundo lugar! Que orgulho!

Parabéns minha linda. Eu lembro da tua tristeza do ano passado, e nada melhor do que um ano depois do outro, né? É clichê, mas é a pura verdade.

BeijoZzz

Dayane Pereira disse...

Mas se vc que é culta e lê bastante está dizendo que este é o personagem mais apaixonante do universo, quem sou eu para duvidar!!!
Voc~^e sabe, estou lendo (ou talvez não saiba), mas sim, estou lendo. Aos poucos mesmo, acho que li uns 10% do livro pois o TCC está tentando me matar aos poucos. Mas gostei muito do que li, principalmente do humor.
Vou te mandar um link que talvez te interesse.
Bjss

Dayane Pereira disse...

É este o link que falei, talvez te interesse:
http://cafeecookies.blogspot.com.br/2013/02/sobre-esther-john-green-e-hazel-grace.html


Bjoos

Suzi disse...

OMG! tô no meio da minha leitura desse livro! Não li todo o post por causa disso, desculpe. até porque todos se mostram impressionados e emocionados com a história. quero sentir isso sem pressão [e se tiver que sentir].
~~ Emilie Escreve ~

Alexandre Melo disse...

Quando fui a Livraria Cultura vi o livro e fiquei muito curioso!! agora estou ainda mais!. Assim que sobrar uma graninha, vou adquirir um exemplar. Valeu pela resenha. Abraço!

Aline Teles disse...

Foi o melhor livro que li no ano passado. Simplesmente lindo. É triste, mas deixa uma mensagem bonita sobre o amor. Bela resenha. Beijos.

Por que você faz poema? disse...

As estrelas é o melhor cúmplice,
e o pior álibi.

Minne disse...

É um amor de estória, apenas isso, trata do câncer de uma forma totalmente diferente, e como eu já tinha ouvido falar demais nesse livro, sabia que alguém na estória iria morrer, e tem coisa mais angustiante do que entrar numa estória onde todos os personagens são legais e saber que algum deles vai morrer daqui a algumas páginas?
o Gus, ai, Erica, você não é a única que deseja um desses, o amor só aumentava a cada cena em que ele aparecia. E o Isaac?????? Lembro que ri horrores e também fiquei triste com ele, é basicamente o que esse livro proporciona: uma montanha russa de sentimentos, numa hora você está rindo, na outra está sofrendo loucamente.

Gabriela Castro disse...

Oi, Ericona!
Estava curiosa sobre o livro, mas em dúvida se comprava ou não. Depois de ler a sua resenha decidi comprá-lo.
Beijos

Aline Jéssica disse...

oi Erica , meu nome é Aline e eu terminei de ler esse livro hoje , realmente lindo , o Gus é apaixonante , fiquei tão triste com a reviravolta que o livro deu .. todo aquele sofrimento , mas ele também abriu meus olhos pra vida , me fez enxergar que tem pessoas passando por coisas terríveis e eu aqui reclamando por besteiras . O livro é tão tocante e tão triste que chegou um momento em que eu pensei em parar de ler , mas eu não resisti , também gostei do amor deles ir crescendo com o tempo , foi um amor lindo ... enfim muito bom e a sua resenha foi a melhor que eu li . Bjs

Beth Santos disse...

Olá Erica!

Linda a sua resenha! Eu estava decidindo se leria este livro, e sua resenha serviu para acabar com essa dúvida. Preciso ler este livro! ;D

Muito bom o seu blog! Abraço!

Beth Santos
www.gavetadecoisinhas.blogspot.com.br/

Luciana Meningue disse...

Quem acha o Augustus fofo levanta a mão rsrsrsrs

Muito bom!!! Se alguém tiver interesse, temos alguns modelos de imãs, caixinhas e chaveiros com trechos do livro. Vejam http://www.minhavoquedeu.com.br/index.php?route=product/product&product_id=84