21 março 2013

Resenha: Uma questão de confiança - Louise Millar


Uma questão de confiança
Louise Millar
Editora Novo Conceito
384 páginas
☺☺☺

Em um subúrbio tranquilo de Londres, algumas mães se ajudam através de amizade, favores e fofocas. No entanto, algumas delas não parecem confiáveis e outras têm segredos obscuros. Quando Callie se mudou para seu novo bairro, pensou que seria fácil adaptar-se. Contudo, os outros pais e mães têm sido estranhamente hostis com ela e com sua filha, Rae, que também descobriu como é difícil fazer novas amizades.Suzy, seu marido rico e seus três filhos parecem ser a única família disposta a fazer amigos, mas, recentemente, a amizade com Suzy anda tensa. Ainda mais com a atmosfera pesada que pairou sobre o bairro após a chegada da polícia e o relato de um possível suspeito morando no bairro.
O que Callie e sua pequena Rae podem esperar? Em quem confiar? E, sobretudo, como imaginar que certas atitudes rotineiras podem colocar em risco a vida de sua pequena filha? Verdades e mentiras parecem se esconder nestas pequenas casas.

Suspeito que a sinopse de Uma questão de confiança não atraia os leitores com facilidade. Afinal, o que pode existir de tão interessante nas vidas de mães de um subúrbio de Londres? Nada? Errado. Há muitas coisas ocultam por debaixo do tapete (não literalmente falando).
Quando a sinopse de Uma questão de confiança, fiquei curiosa. Pensei: "Cara, nesse mato tem coelho. Quero ler esse livro e descobrir o que ele me reserva.". E não me arrependi.
Uma questão de confiança prende o leitor paulatinamente, e, a cada capítulo, nos intriga um pouco mais a respeito de cada personagem. Quem eles foram um dia e no que se tornaram hoje?
O foco da estória é, basicamente, três mulheres: Callie, Suzy e Debs. Callie e Suzy desde o começo do livro têm um vínculo, uma ligação de amizade; já Debs surge depois na vizinhança, e é então que as coisas começam a mudar. As estórias, então, se misturam, se confundem e se entrelaçam. Perguntas surgem ao leitor. Respostas são dadas de forma gradual. Nem tudo é o que parece ser. Nem todo mundo parece ser o que é. E, com o passar das páginas e mistérios sendo gradativamente revelados, o leitor tem uma bela surpresa: no suspense de Louise Millar todo mundo tem sua parcela de culpa. Ninguém é cem por cento bonzinho e/ou perfeito. E eu gosto de livros assim, que mostram o ser humano como de fato ele é: errante.
Porém, o que mais me surpreendeu foi que, no fim das contas, quem parecia mais culpado é o que menos de fato tinha culpa em toda a trama. Claro que eu não vou dizer quem é, porque isso seria dar um spoiler gigantesco.
Dei três estrelas ao livro, porque é um livro bom. Não sei se eu sou exigente demais ou sei lá, mas senti que a Louise Millar poderia ter explorado mais alguns personagens, algumas situações, porque, dessa forma, o livro seria ainda melhor e mais cativante. Entretanto, mesmo dizendo que a Louise não atentou para algumas questões, tenho que dizer que ela é boa escrevendo. Não, ela não é do tipo que prende o leitor logo na primeira página. Ela prende devagarzinho, com jeitinho e, em certo momento do livro, você não consegue largá-lo, porque você quer saber mais e mais o que acontece a seguir. 
Não encontrei nenhum erro de digitação ou de ortografia na edição da Novo Conceito. A diagramação é simples, mas é legal. A capa também é bonita, nada muito ultra empolgante, mas ainda assim bonita. Gostei do balãozinho voando. Não sei por que, mas acho bonito balões voando pelo céu.
Se você gosta de suspense, esse é um bom livro. Mas não leia esperando grandes revelações ou coisas inimagináveis. Porque o livro trata apenas de seres humanos sendo humanos, ou seja, cometendo falhas. O que, pra mim, sempre é algo interessante, pois tenho essa coisa de querer explorar a mente humana e saber até aonde ela pode ir.


Book trailer:


• • •
Bem, essa é a primeira resenha que faço de um livro que recebo de parceria da Editora Novo Conceito, por isso é uma resenha especial. Acho que deveria ter feito um post com algumas fotos que eu tirei tanto da primeira caixa que recebi da editora quanto dos livros, mas, enfim, adiei e acabei não fazendo. Mas, quem quiser ver essas fotos, clique aqui e aqui.
curtiram a fan page do blog e seguiram no Twitter? Não? Pois curtam e sigam-me os bons!
Um abraço da @ericona.
Hasta la vista!

13 comentários:

  1. Gosto de livros com essa pegada, reflexiva e sem heróis ou vilões, apenas com pessoas... Depois que a gente cresce é fácil perceber que todos estamos aqui errando e acertando.

    Também gostei do balão dona Erica, ele me lembra coisas boas como o azul do céu.

    ResponderExcluir
  2. Eu entrei no sorteio que teve desse livro no skoob e não ganhei ;/
    Quero muito lê-lo, já está na minha lista.

    ResponderExcluir
  3. Olá flor! Amei sua primeira resenha e espero muitas outras! A Novo Conceito é demais,né?^^ Estou louca para ler esse livro, amo suspense!
    Beijos!
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
  4. Érica fascinei com sua resenha. Fiquei com muita vontade de ler, é aquele tipo de livro que você não dá nada por ele e te surpreende, adorei, beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Oi Erica, tudo bem flor?
    Comecei a ler esse livro esses dias e acredito que vou gostar, espero pelo menos. Mas o enredo em si chamou a minha atenção, e depois de ler sua resenha acredito que irei gostar com certeza. Flor adorei suas fotos e você já sabe o quanto fiquei animada quando sua caixa chegou. Até parecia que eu foi quem recebeu a caixa rsrs. Agora é esperar a super caixa que vai chegar agora né? Mal posso esperar pela minha.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

    ResponderExcluir
  6. Este livro é uma das minhas metas de leituras de 2013. Gostei muito da resenha. Fiquei com mais vontade de ler. Porém, eu estou começando fazer o TCC da minha pós. Logo, vou demorar um pouco para concluir a minha lista de leituras, risos. Obrigada pela sua visita. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Nossa, esse foi o livro da NC que deixei para ler depois, o último que falta de janeiro, e acho que vai ser um dos que mais vou gostar. Espero não estar criando grandes expectativas, mas sabe que eu nem achava que fosse um suspense? rsrs
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Ei Érica,

    Fofo seu blog =]
    Eu tenho este livro, mas ainda não li. Adorei a resenha, pensava que era mais drama do que suspense rs. Agora fiquei curiosa. ^^

    bjs
    Nanda

    ResponderExcluir
  9. Eu quero ler esse livro, adoro esses livros cheios de conflitos e intrigas, esse promete ter de tudo um pouco.
    Bem vinda ao time de parceiros da NC.

    Beijos
    www.leitoraincomum.com

    ResponderExcluir
  10. Vejo esse romance, pela sua resenha, como se a vida de todo mundo pudesse dar uma bom livro... E então mostra suas particularidades e nos mostra situações que não imaginamos que seriam possíveis... Não com aquelas pessoas...
    Parece ser muito bom...

    ResponderExcluir
  11. Oi flor! Adorei sua resenha, e essa estória do livro meio que suspense, mas nada de fora da realidade *-*
    com certeza vou dar uma chance a ele :)

    beijos,

    strawberrydelivrosefilmes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Que resenha boa, bem feita, de qualidade... Gostei, Ferro.

    Confesso que quanto à capa tive certo pré.conceito, pareceu-me coisa de auto-ajuda, sabe? Às vezes eu pareço (pera, só neste sentido) a Clarice Lispector e acabo julgando o livro (literalmente, hein) pela capa. A capa deve me atrair de alguma forma especial, diferente, chamar a atenção, haha... Mas mesmo com esse julgamento antecipado e errôneo do livro, senti uma vontade de ler. Gosto de escritores assim, que nos prendem aos poucos, como a Jane Linda Austen.

    Saudades de você, Ferro!
    E amei demais por demais o poema do post abaixo, você é lin-da!!

    Beijiitos,

    da vizinha!

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?