29 novembro 2012

Deixe-me!



Dê-me licença, quero passar, quero cantar, quero falar, quero chorar, quero viver.
Dê-me licença, você está bloqueando a passagem, eu preciso passar.
Por que você não me deixa passar? Por que impede o meu viver? Por quê?
Dê-me licença, tudo o que eu quero é o direito de chorar, de vomitar os meus sentimentos.
Não atravanque o meu caminho.
Não diga quem eu devo ou não devo ser.
Deixe-me ser, porque nunca te proibi de ser.
Deixe-me ser assim do jeito que eu sou.
Não invente regras para um jogo que sequer existe.
A vida não é um jogo, logo, dispensa regras.
A vida é só a vida, e cada um vive da maneira que acha conveniente.
Deixe-me viver de acordo com os meus métodos, da forma que me apraz, assim, intensamente, loucamente, inconsequentemente e até meio toscamente.
Deixo-te viver do modo que te agrada, assim, insosso e sem brilho, pois é assim que você escolheu viver.
Eu respeito, mesmo sem entender como alguém rejeita o deleite de mundo multicor, cheio de um tresloucado amor e uma dose generosa de insanidade, para viver num lugar sem emoções, com exacerbada lucidez e uma dosagem prejudicial de racionalidade.
Peço apenas que me deixe ser assim, desse modo torto e louco.
E seja você, seja lá você quem for.
Não obstrua a minha estrada.
Não diga por onde devo ir.
Eu sei muito bem por onde devo seguir.


Erica Ferro
* * *
Meus devaneios e eu. Eu e meus devaneios. Às vezes a gente precisa escrever coisas desconexas, coisas que aparentemente não fazem o menor sentido, mas que, se observarmos com cuidado, guardam significados imensos em suas entrelinhas.Um abraço da @ericona a todos que passam por aqui.Hasta!

20 novembro 2012

Meme + Tag

Hello, people!
Quem me segue há um tempo sabe que eu não sou muito dada a postar memes, selos e essas coisas, mas hoje irei postar um meme e uma tag que me indicaram. E por que decidi postar? Porque é um meme e uma tag sobre livros. E quando o assunto é livro, eu não tenho preguiça alguma. Muito pelo contrário, todo mundo aqui sabe que sou louquinha por livros, não é? Pois então, me divertirei respondendo-os.
Eh bien, vamos ao meme e a tag:

A Amanda Almeida, do blog Você é o que lê, me indicou o meme Laço de incentivo à leitura. Muito obrigada pela indicação, Amanda. Que meme legal!



O meme funciona assim: 

1 - Responder a pergunta: Qual livro você indicaria para uma pessoa começar a ler?
2 - Indicar 10 blogs para fazer o Meme. (É expressamente proibido oferecer o laço "a quem quiser pegar" sem indicar seus blogs primeiro. Quero dizer, depois que indicar quem quiser pegar fique á vontade, mas tem que indicar isso é regra obrigatória... Senão perde a graça, porque geralmente ninguém pega meme por pegar!)
3 - Avisar os blogs que você indicou e colocar a imagem no seu blog para apoiar a campanha.

1- O caso dos dez negrinhos (ou, em novo título, E não sobrou nenhum), da minha querida Agatha Christie. Por quê? Pelo fato de que romances policiais têm o poder de prender o leitor de uma maneira ímpar, fazendo com que ele devore o livro numa velocidade incrível. E os livros da Agatha são sensacionais, geniais. E esse que indiquei é, em especial, muito intrigante e instigante. Agatha é demais. Não é à toa que ela é conhecida como Rainha do Crime. Se a pessoa que ler O caso dos dez negrinhos não se encantar pelo mundo da leitura, só pode ter algo de muito errado com ela (risos).

2- Não indicarei nenhum blog em especial. Gostaram do meme? Então responda-o em seus blogs e me mandem o link pra eu ver as respostas de vocês, claro.

3- Resposta dada na pergunta 2. Imagem do meme já no post.


Já a minha conterrânea Jaqueline, do blog Nua e Crua, me indicou a Tag - Skoob: Minha estante virtual. Acho que nunca tinha a visto em nenhum blog. Adorei essa tag!


1- Quantos livros lidos você tem na sua aba LIDO no skoob?
103.

2- Qual livro você está lendo?
Estou lendo dois livros no momento: Destruidoras, sexto livro da série Pretty Little Liars escrita por Sara Shepard, e Qual seu número?, de Karyn Bosnak.

3- Quantos livros tem na sua aba VAI LER?
81. Só isso, Erica? Você só quer ler mais 81 livros na sua vida? Não, gente. Claro que não. O negócio é que não gosto de marcar muitos livros nessa aba, é que fico meio angustiada se a lista for grande. Eu sei, sou louca, mas eu realmente fico pensando se vou ter vida pra ler tudo que quero ler. Então, o melhor é ir marcando à medida que vou lendo, pra lista ficar sempre relativamente pequena e "sob controle". Essa resposta ficou meio enrolada, eu sinto. Mas espero que vocês entendam (risos).

4- Você está relendo algum livro? Qual é?
Não. Quase nunca releio livros, sempre tenho muita coisa pra ler (risos).

5- Quantos livros você já abandonou? Quais são eles?
Eu nunca abandonei nenhum, na verdade. O único que está no skoob como abandonado é Laços eternos, da Zíbia Gasparetto. Mas eu nunca nem tentei lê-lo (nem tentarei). Eu só o coloquei como abandonado no skoob, porque foi a única maneira de colocá-lo lá pra trocar. Eu o comprei achando que era um romance comum, mas descobri depois que era um livro espírita. Não que eu discrimine esse tipo de literatura. Eu só não me interesso. Mentira, é que eu tenho medo desse lance de coisas sobrenaturais, espíritos, etc. Pronto, revelei (risos).

6- Quantas resenhas você tem cadastradas no skoob?
5 resenhas, apenas. Sempre gostei de ler, mas nunca me sentia segura pra resenhar. Porém, mesmo sem saber fazer resenhas, faz um tempo que eu resolvi comentar sobre os livros que li. Nada de dar ouvidos a insegurança. Escreverei sobre o que eu quiser, e pronto.

7- Quantos livros avaliados você tem na sua lista?
103. Quando leio um livro, já o avalio no skoob.

8- Na aba FAVORITOS, quantos livros você tem registrados? Cite alguns.
5 livros. Só? Só. É que tenho a sorte de ler livros muito bons. Aliás, sorte não; na verdade, pesquiso antes de comprar, leio sinopses e compro os livros que eu realmente sinto que vou gostar. Cada livro que leio me ensina algo, me encanta em algum ponto, me conquista. Então é meio que impossível favoritar apenas alguns. Porém, há um que citarei agora aqui que é muito especial: A menina que roubava livros, de Markus Zusak. A história de Liesel Meminger é tocante. Tudo o que ela vivencia e da maneira como ela vivencia nos atinge de uma maneira singular. É uma história que encanta, que corta o coração, que emociona de um jeito muito especial e inesquecível. Aliás, o nome do blog é inspirado na sacudidora de palavras Liesel Meminger. Leiam o livro e entendam o porquê de sacudindo palavras.

9- Quantos livros você tem na aba TENHO?
87. Só 87 *chora*. Ainda terei uma biblioteca bem grande, repletinha de livros. Terei sim!

10- Quantos livros você tem nos DESEJADOS?
73 livros. Mas claro que eu não desejo apenas esses 73, né? Se eu pudesse, comprava todos os livros legais do mundo todo. Mas a pergunta que não quer calar: onde eu colocaria tudo isso? (risos)

11- Quantos livros emprestados no momento? Quais?
Nenhum. Vou ser sincera: não gosto de emprestar livros. Tenho ciúmes dos meus livros e tenho traumas com esse negócio de emprestar livros. Certa vez fiz a burrice de emprestar um livro novinho, tirei do plástico e emprestei a uma pessoa. Era um título que eu tinha lido por e-book e tinha me encantado pela história, tanto que saí contando pra todo mundo sobre o livro, até que a tal pessoa pediu o livro pra ler. Eu emprestei, meio sem querer, porque eu pretendia reler antes de emprestar a alguma pessoa. Porém, emprestei porque a pessoa me prometeu cuidar muito bem do livro. Eu fiz mil e uma recomendações, que a pessoa prometeu cumprir. Mas não foi o que aconteceu. A tal demorou horrores pra me devolver o livro e, quando devolveu, o livro estava completamente irreconhecível. Sujo, todo marcado, parecia que tinha caído na lama de tão sujo e feio que estava. Não consigo expressar aqui a minha tristeza diante do caos que se encontrava o livro. Não xinguei a pessoa nem disse que nunca mais emprestaria livros a ela. É que eu estava em choque. Depois de recobrar os sentidos e o fôlego, prometi a mim mesma a não emprestar livros a tal pessoa e quase ninguém nessa vida. É, conseguiram me traumatizar. Ah, e eu ainda comprarei um exemplar novinho desse tal livro. Não darei muitos detalhes sobre o livro, porque a tal pessoa pode ler o blog e vir puxar conversa comigo, quem sabe até arrumar uma briguinha (risos). Hoje em dia só empresto livros pra minha mãe.

12- Você quer trocar algum livro? Quais são?
Quero trocar Laços eternos. Não curto esse tipo de livro. Como expliquei anteriormente, comprei achando que era um romance comum, mas é espírita. Alguém quer trocar comigo?

13- Na aba META, quantos livros você tem marcados? Cumpriu essa meta?
30 (porque exclui vários da meta). Procrastinei demais esse ano. Houve meses em que li apenas um ou dois livros, o que é uma vergonha. Dos 30 da meta, só me falta ler dois livros e um livro vira-vira (dois em um); ou seja, quatro livros. O que eu queria mesmo era ter batido a meta de 60 livros lidos em 2012. Tentarei fazer isso em 2013.

14- Qual é o número no teu paginômetro?
40,807.

15- Qual o link do teu perfil do Skoob?

Indique 5 usuários do skoob para responder essa tag:
Digo o mesmo que disse sobre o meme. Se gostarem da tag, postem em seus blogs e me mandem os links pra eu ver suas respostas.


Tenho a impressão de que esse post ficou longo, né? Perdoem-me.
Well, that's it. Fico por aqui.
Um abraço da @ericona.
Até mais ver!

14 novembro 2012

Resenha: Cordeluna - Élia Barceló



Cordeluna
Élia Barceló

Editora Biruta
310 páginas 
Mil anos atrás, uma história de amor foi interrompida pela desgraça e uma maldição. Um poder tão maligno que tinha conseguido dominar seus espíritos geração após geração. E enquanto isso, os apaixonados esperam... condenados a se reencontrar e voltar a se perder por culpa do ciúme e do ódio. O cavaleiro e a dama. O guerreiro e a donzela. Até que talvez um dia, talvez em nossa época, séculos depois, um poder superior e benigno consiga pôr um fim ao malefício.
Apaixonante novela que combina história e fantasia, amor e maldade, bruxaria e religião, criada pela escritora Élia Barceló, conhecida como a “Dama Negra” da literatura espanhola, ganhadora em duas oportunidades do Prêmio Edebé de Romance Juvenil.
A história se passa na Idade Média e é muito bem retratada no livro, que destaca costumes e valores da época. As sangrentas guerras entre muçulmanos e cristãos pela expansão e posse de seus domínios. No posfácio, a editora explica os diferentes períodos da História e descreve a fascinante personalidade de El Cid.

Cordeluna foi um dos livros mais encantadores que tive a alegria de ler em 2012. É uma história de amor peculiar.
Século XI. Sancho, guerreiro de El Cid, e Guiomar, condessa de Peñalba, se conhecem sob um sorveira carregada de frutinhos rubros. Ali, se descobrem perdidamente apaixonados um pelo outro. O desejo de seus corações era o de viver juntos, para sempre, mas houve muitos empecilhos: o fato de fazerem parte de mundos diferentes (Sancho, apenas um guerreiro; Guiomar, uma condessa), mas, sobretudo, o maior obstáculo para a felicidade e realização dos dois foi o ciúme louco e doentio que Dona Brianda, madrasta de Guiomar, sentia de Sancho. E foi a obsessão de Dona Brianda que separou Sancho e Guiomar por mil anos. 
Século XXI. Um grupo de jovens se reúne para representar a vida de El Cid. Dois jovens se destacam pelo talento, mas principalmente pela naturalidade com que contracenam, como se estivessem vivendo aquilo de verdade. Sérgio e Glória. Há, também, Bárbara, uma professora de teatro e uma das responsáveis pelo projeto da peça e do documentário sobre a vida de El Cid, que, por motivos que ela mesma não compreende, antipatiza com Glória e se apaixona louca e obsessivamente por Sérgio. Ih, já vi esse filme antes! Sancho e Guiomar. Sérgio e Glória. Duas histórias que, na verdade, são uma só? Quase isso.
O livro é narrado em terceira pessoa. Os capítulos se alternam entre os relatos dos acontecimentos da vida de Sancho e Guiomar, na Idade Média, e dos eventos dos dias atuais, no século XXI, vividos por Sérgio, Glória e o grupo de teatro. E é no século XXI que o amor vivido por Sancho e Guiomar, na Idade Média, poderá ser libertado.
Nunca pensei que um livro de literatura fantástica conseguisse me prender tanto. De verdade. Eu sou meio avessa a esse tipo de livro que envolve magia, fantasia, etc. Porém, depois de ler a resenha da Gabi, do blog Fluffy, fiquei encantada e muito tentada a ler Cordeluna. Surpresa maior foi quando vi que ela, em parceria com a Editora Biruta, faria um book tour do livro. Inscrevi-me meio sem esperanças de ser selecionada, confesso, mas eu realmente queria dar uma chance a esse tipo de livro. Até porque, pensei com os meus botões, envolve História e amor. Não pode ser ruim, disse a mim mesma. E de fato não é. É um livro muito bonito, que fascina e cativa de uma maneira toda singular. Indico aos adoradores de uma boa história de amor, que apreciam História e curtem livros com uma pegada fantástica. 
E, ah, não se deixem desestimular pelo fato de ser um livro desconhecido de uma autora igualmente desconhecida. Élia Barceló escreve primorosamente. Seus livros foram premiados diversas vezes.  Enfim, vale a pena dar uma chance a Élia. E, principalmente, a Cordeluna, que é uma delícia de livro.
E uma coisa que eu realmente preciso comentar: que diagramação liiiiinda da Editora Biruta. Capa, contracapa, começo de capítulos e umas páginas com uns desenhos que apareciam no meio do livro. Tudo encantadoramente belo! Olha, sinceramente, eu pensei em dar uma de Liesel Meminger e ficar com o livro pra mim. Sério. Mas não, o bom senso me impede de fazer algo assim (risos). 
Obrigada, Gabi, pela oportunidade de conhecer Cordeluna. Foi uma das melhores leituras de 2012.


Erica Ferro

* * *

Eu sei, eu sei, demorei horrores pra postar. Again. Aconteceu um punhado de coisas nesses últimos tempos. Uma maré de azar se alastrou pela minha vida e eu espero que passe logo. Quero me sentir bem de novo, fisicamente e mentalmente. Quando o corpo não funciona bem, a mente sucumbe aos sofrimentos do corpo. Saúde minha, o que há com você? 
(...)
Quero dar uns avisos aqui. Houve algumas mudanças na Editora Martin Claret e eu não sei se o Sacudindo Palavras permanece parceiro da editora. Na verdade, não foi me explicado muitas coisas, mas basicamente o que aconteceu foi que os responsáveis pela editora resolveram fazer um recadastramento dos blogs parceiros. Eu prometi a vocês uma resenha e uma promoção do livro A abadia de Northanger, da linda Jane Austen. Era em parceria com a Martin Claret, por isso que, infelizmente, terei que adiar essa ideia. Se o blog for aceito como parceiro de novo, reavivarei a ideia. Caso contrário, talvez tentarei colocar a ideia em prática num futuro não tão distante pelos meus próprios meios. 
Ah, dia desses me perguntaram pelo Twitter quando que eu iria receber os kits da Novo Conceito. Bem, eu faço parte dos novos parceiros, parceiros estes que só passarão a receber os kits e as novidades de maneira geral a partir de janeiro de 2013. 
Recados dados, torçam por mim, pela minha saúde e pra que eu tire uma nota legal nesse ENEM 2012, pra que eu possa entrar em Biblioteconomia ano que vem, na UFAL.
Um abraço da @ericona.
Até mais!