29 novembro 2012

Deixe-me!



Dê-me licença, quero passar, quero cantar, quero falar, quero chorar, quero viver.
Dê-me licença, você está bloqueando a passagem, eu preciso passar.
Por que você não me deixa passar? Por que impede o meu viver? Por quê?
Dê-me licença, tudo o que eu quero é o direito de chorar, de vomitar os meus sentimentos.
Não atravanque o meu caminho.
Não diga quem eu devo ou não devo ser.
Deixe-me ser, porque nunca te proibi de ser.
Deixe-me ser assim do jeito que eu sou.
Não invente regras para um jogo que sequer existe.
A vida não é um jogo, logo, dispensa regras.
A vida é só a vida, e cada um vive da maneira que acha conveniente.
Deixe-me viver de acordo com os meus métodos, da forma que me apraz, assim, intensamente, loucamente, inconsequentemente e até meio toscamente.
Deixo-te viver do modo que te agrada, assim, insosso e sem brilho, pois é assim que você escolheu viver.
Eu respeito, mesmo sem entender como alguém rejeita o deleite de mundo multicor, cheio de um tresloucado amor e uma dose generosa de insanidade, para viver num lugar sem emoções, com exacerbada lucidez e uma dosagem prejudicial de racionalidade.
Peço apenas que me deixe ser assim, desse modo torto e louco.
E seja você, seja lá você quem for.
Não obstrua a minha estrada.
Não diga por onde devo ir.
Eu sei muito bem por onde devo seguir.


Erica Ferro
* * *
Meus devaneios e eu. Eu e meus devaneios. Às vezes a gente precisa escrever coisas desconexas, coisas que aparentemente não fazem o menor sentido, mas que, se observarmos com cuidado, guardam significados imensos em suas entrelinhas.Um abraço da @ericona a todos que passam por aqui.Hasta!

14 comentários:

  1. Me identifiquei acho que por que ultimamente a saudade anda acompanhando meus dias, minha vida se resumindo a isto, mas também a angustia, ansiedade, a tristeza, saudades acho que isso me define nos últimos dias, então está a identificação com o teu belo texto que por trás dele, consigo observar o que está escrito além das palavras, algo estilo profundo! (...)

    ResponderExcluir
  2. Minha flor!
    A gente sabe mesmo por onde ir, o que quer encontrar no caminho, e não há ninguém nesse mundo que tenha o direito de mudar isso. A felicidade da gente está no nosso coração, só a gente sabe onde encontrar. Segue e não descanse até achar (;

    ResponderExcluir
  3. A maioria dos meus posts são escritos meio que assim, exatamente porque não gosto de conselhos do tipo receita de bolo, e esse jeito de dizer as coisas, faz a gente desabafar sem que as pessoas entendam exatamente o que é... rs

    Beijocas

    ResponderExcluir
  4. Oi Erica! É bom podermos desabafar de vez em quando. mesmo que nada faça sentido, a gente, aqui do outro lado, sabe que isso é importante e faz sentido pra você. É isso que importa. Aliás, bonito texto. E faça isso: viva do jeito que lhe der mais prazer, independente do que os outros disserem.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Érica adorei o texto, escreveu muito bem, e entendo o que disse, as entrelinhas realmente é que conecta tudo, beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Suas palavras trazem um enorme significado, na verdade. Esse é um discurso sincero, um desabafo da alma que não consegue viver presa. Aliás, que não quer ser limitada.

    Ah, gosto muito das suas visitas lá no Ideias.*-* E O Poderoso Chefão é ótimo, muito bom mesmo. Se tiver a oportunidade, não deixe de ler. É um daqueles livros que quando se começa, é impossível parar.

    Beijos.

    P.S.: Não sei se você já ouviu uma música chamada Às vezes um clichê, da Maglore. É uma perfeita representação de viver a vida como se quer, do jeito que nos faz feliz. :)

    ResponderExcluir
  7. Oi Érica, tudo bem flor?
    As vezes eu me sinto mais ou menos assim. Sabe, eu acho que esses textos desconexos fazem mais sentido do que muito texto bem explicadinho por ai, porque nesse há a nossa essência, e quem consegue entender, consequentemente entende nossa alma.
    Abraços flor,
    Amanda Almeida

    ResponderExcluir
  8. Guria... Gostei, concordei, me identifiquei!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi Érica, muito legal exaltar o que se sente em palavras, ajuda a desabafar. Gostei do texto, acho que muitos se sentem assim, tanto em relação às pessoas especificamente quanto a essa coisa que chamamos de sociedade.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá Erica, adorei o texto, é bem profundo e reflexivo! Continue com eles :))

    beijos

    Jéssica - Strawberry de livros e filmes

    ResponderExcluir
  11. Erica :)
    Adorei o texto...isso mesmo,desabafe!
    Viver com isso dentro da gente não dá não >.<

    Beijos e cuide-se
    Rimas Do Preto

    ResponderExcluir
  12. Logo que abriu, admito que me assustei com a imagem ,e depois ri. Mas gostei, mesmo do texto. Um desabafo. *-*

    ☠ ‏Vitamina de Pimenta ☠

    ResponderExcluir
  13. Eu gosto de "bastas", eles liberam muita energia.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Gostaria de parabenizar vc pelo blog, eu tbm tenho meu espaço , feito recentemente, que é dedicado a literatura, música, arte etc, espero que goste!
    Gostei daqui por isso virei um seguidor!

    Bjos

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?