22 maio 2015

Filme: Poder Além da Vida


Título: Peaceful Warrior (Original) / Poder Além da Vida (Brasil)
Ano de produção: 2006
Direção: Victor Salva
Gênero: Drama; Esporte
País: Estados Unidos
Sinopse: Dan Millman é um talentoso ginasta com sonhos Olímpicos. Ele tem tudo: troféus, amigos, motos velozes, belas garotas e festas “animais”. Seu mundo vira de cabeça para baixo quando conhece Sócrates (Nick Nolte), um homem estranho e misterioso capaz de entrar em contato com novos mundos de força e compreensão.
Após um grave acidente, Sócrates e a jovem Joy (Amy Smart) ajudam Dan a descobrir que ainda há muito a aprender, e muito mais para deixar para trás, antes de se tornar um “Guerreiro da Paz” e encontrar seu destino. Uma comovente história sobre o poder do espírito humano.
Site Oficial: http://www.thepeacefulwarriormovie.com.


Depois de mil anos, cá estou eu para atualizar esse blog. Como podem ver, continuo hiperbólica e procrastinadora. Mas eu sei que vocês me amam (ou me aturam) mesmo assim, seus lindos! Há um bom tempo – e quando digo um bom tempo, é muito tempo mesmo – que li a sinopse desse filme num post da minha cara amiga gaúcha Ana Seerig. Desde então, pensei “Que fabuloso, quero ver esse filme!”. Adicionei-o, então, à lista de “Quero ver” da minha conta do Filmow. Porém, não sei por que, demorei esse tempo todo pra ver. Na verdade, sou meio hiperativa, sendo custoso me fazer ficar parada por mais de uma hora assistindo a um filme. O filme tem que ser muito bom para que eu consiga ficar quieta, totalmente mergulhada nas cenas da película. E, caramba, Poder Além da Vida conseguiu me fisgar! É um filme dramático, mas com uma porção exata de comicidade e fantasia – elementos esses que só tornaram o filme ainda mais envolvente. Aliás, é um filme meio que autobiográfico. Isso colaborou para que eu me encantasse mais ainda com a história!
Poder Além da Vida, sobretudo, nos faz pensar e refletir sobre vários aspectos da vida. É um filme que nos convida a uma reflexão profunda sobre nós mesmos e sobre os outros. Dan Millman é um grande cara da ginástica, com chances reais de conseguir chegar às Olimpíadas. Isso é ótimo, certo? Certo, de fato é algo ótimo. A vida de Dan é aparentemente perfeita em todos os aspectos. Até que... Dan sofre um acidente e os médicos consideram improvável que ele volte ao esporte. Dan fica inconsolável, obviamente. Coisa que eu entendo e pude sentir perfeitamente por ser atleta e não conseguir me imaginar longe dos treinos e das competições de natação. Depois disso, a vida de Dan decai de um modo deplorável. Ele não pode mais treinar, consequentemente ninguém mais o paparica como uma promessa olímpica. E eis então que Sócrates passa a ter um importante papel na vida de Dan. Dessa maneira, ao longo do filme, podemos questionar, juntamente com o protagonista e o seu mestre Sócrates, a suposta vida perfeita que Dan tinha. Sócrates é uma figura misteriosa e fantástica que surge na vida de Dan com a finalidade de incomodá-lo. E quando falo incomodar, me refiro a um sentido bom dessa palavra. Há algo de bom no ato de incomodar?, vocês me perguntam. Sim, respondo-lhes. Imaginem que vocês vivem as suas vidas, mas não sabem por que vivem o que vivem, não sabem qual o sentido de realizarem as atividades que fazem diariamente, muito menos sabem quem são. Agora, visualizem alguém entrando em suas vidas e lhes direcionando, por meio de vários ensinamentos e exercícios, a enxergarem a si mesmos e o mundo em que vivem. Porque enxergar é diferente de ver. Nós vemos várias coisas e pessoas todos os dias, mas será que as vemos, de verdade? Será que enxergamos essa gama de coisas, pessoas e situações? Especialmente, será que nos enxergamos? Vocês sabem quem são? Vocês sabem o que lhes despertam amores e horrores? Qual é a razão da suas existências? Vocês já se perguntaram isso? Vale tudo na vida? O que vale na vida? O que importa para vocês? 
São inúmeros os questionamentos que podemos fazer com bases nos diálogos de Dan e Sócrates. A vida tem a ver com amor. Viver tem a ver com aproveitar cada momento. Viver, também, tem a ver com dar um passo de cada vez. Não adianta devanear e criar mil e uma possibilidades para momentos futuros. O futuro não nos pertence. O que temos é o agora, é o já. O nosso lugar é no aqui, nossa hora é agora e somos esse momento, como Dan bem diz numa das cenas mais marcantes do filme.
O roteiro é baseado no livro semi-autobiográfico O caminho do guerreiro pacífico, de Dan Millman. Dan é um ex-ginasta e escritor norte-americano que segue um estilo de escrita que se encaixa numa autoajuda mística. O enredo desse filme é primoroso e altamente filosófico, fator que me cativou ainda mais. Gostei bastante da atuação de Scott Mechlowicz e Nick Nolte. Fiquei muito satisfeita com a evolução de Dan e me apaixonei pela sabedoria de Sócrates.
De modo algum é um filme somente sobre esportes. O esporte, nesse filme, é apenas o pano de fundo para a abordagem de várias questões existenciais. Recomendo a todos, sobretudo para àqueles que se deleitam em roteiros reflexivos e filosóficos.
Se assistirem, não se esqueçam de me mandar um recado dizendo o que acharam de Poder Além da Vida.

Vejam o trailer:


• • •
Por hoje, é só, pessoal! Esse é o caminho para seguirem a fan page do blog. Se quiserem curtir a fan page em que publico as minhas vivências como nadadora paralímpica, cliquem aqui. Um abraço da @ericona. Hasta la vista!

Um comentário:

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?