17 outubro 2014

Da falta


B1tch | via Facebook

Sinto falta de você. Muita. É tanta, tanta, que até machuca, às vezes. Só que me faço de forte e finjo que isso não me abate mais, entende? É a maneira que eu inventei de lidar com a distância que se somou à nossa costumeira distância.
Éramos dois solitários, um ao lado do outro. Estávamos juntos numa solidão poética, embalada por músicas que falavam de dor e de amor. E eu sempre tão, tão tentada a te falar do que eu sentia. Eu sentia que não era realmente sozinha. Eu tinha você; você, a mim. Éramos assim, tão ligados, ainda que jogados cada qual num canto do mundo. Estávamos conectados por um fio de beleza pura e singela. Era assim que eu enxergava. Enxerguei tudo errado, não é? Errei também quando achei que você gostava da minha companhia? Errei em considerar que, de alguma forma, eu fazia parte da sua vida?
Éramos dois solitários. Adorava quando você deixava o seu lado comumente quieto e jogava a capa de homem sério de lado e se mostrava pra mim tão como você de fato era (ainda é?). Você mudou? Ou eu nunca consegui ver a sua essência? Não, eu não me enganei. Eu sei quem você é. E eu amo quem você é. Amo tanto, que não posso mais lidar com isso, então tento embalar esse amor, mas nenhuma canção de ninar consegue fazê-lo dormir completa e profundamente. É que você foi sempre tão próximo a mim. Nossa conexão e sintonia eram tão lindas. Ai! Meu peito aperta quando penso na decisão que você tomou. Algo me diz que foi tão, tão errada, tão precipitada. Meu coração fica dilacerado ao pensar que você não trilhou por um caminho seguro, que, a qualquer momento, você será machucado, traído, ferido. Não sei se consigo aguentar ver você aos pedaços uma vez mais. Não posso permitir que alguém te machuque. Porém... O que posso fazer? Há uma dupla distância entre nós. Não estou mais ao seu lado. Não tenho mais como te proteger do perigo. Só posso ficar aqui, de longe, torcendo para que nada de ruim te aconteça. Você é tão lindo, tão puro, tão incrível. Não, você não pode sofrer mais, meu bem. Não é justo que te façam chorar ou duvidar do quanto você é especial. 
Porém... O que posso fazer? Titubeei. Perdi a vez. Antes que eu pudesse te convidar a andar comigo, ao meu lado, de mãos dadas, você foi em outra direção. Tão, tão longe de mim. Você sequer pode me ouvir de onde está agora. 
Meu amor, meu grande amor, te deixo ir, mesmo com esse nó na garganta e esse sentimento de apreensão pelo que pode ser de você sem mim. Deixo-te ir, mas olha, meu nobre cavalheiro, fuja caso o caminho se torne espinhoso e sombrio. Você merece trilhar por um caminho florido, com cheiro de rosas, ao lado de alguém que realmente possa te levar para um lugar de risos e calmaria. 
O amor que lhe tenho não tem prazo de validade. Está aqui, bem guardado, dentro do peito. Basta que você se volte para mim, abandone o passado e venha criar um presente todo novo, diferente de tudo que você já viveu e sonhou, que esse amor despertará com toda a força e vigor.

Erica Ferro

• • •
Aviso: caso queiram seguir a fan page do blog, cliquem aqui; para seguir o blog no Twitter, cliquem aqui.
Um abraço da @ericona.
Hasta la vista!

24 comentários:

  1. Oi Erica, que texto mais lindo *-*
    Lembrei de alguns acontecimentos da minha adolescência, em que tudo era assim, mais dramático, mais intenso. Acho que crescer faz bem, mas algumas coisas também fazem falta.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Não consigo deixar de amar quando você escreve esses textos apaixonados, platonicos, cheios de paixão. Erica, um dia você devia escrever um romance. Ia ser lindo!!!!

    ResponderExcluir
  3. Oinnn, que texto lindamente triste flor...muita emoção nas palavras, dá para perceber, parabéns!

    Beijo, Van - Blog do Balaio
    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Seus textos são muuito lindos *--*
    Sempre reflito bastante com eles

    Beijorejas

    Blog: http://cerejamutanteblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Adoro seus textos. Sempre muito bons. E até fiquei com inveja de tanto amor hehehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oi, Erica!
    Mais um lindo texto que eu tenho o prazer de ler no seu blog!
    Acho que já te disse isso, mas não custa repetir: você escreve muito bem! É muito agradável ler suas reflexões. E quem não se identifica com histórias de amor, não é?
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Que trise. No texto você conseguiu transmitir tanto sentimento que eu senti toda dor da saudade e do amor transbordando sem ter uma correspondência.
    Amei.
    Bjuxxxx

    ResponderExcluir
  8. Que texto profundo, Erica!
    Parabens! :D
    Beijos, Ana do dia

    ResponderExcluir
  9. Oiee Ericona! Que lindoo....nahim. Tem pessoas que se completam e não tem jeito. E todos já tiveram um amor que fica guardado, mas nunca se apaga.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  10. Oi, Erica!
    Por ser naturalmente romântica, adorei o seu texto!
    Um amor puro nunca morre!
    :)
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  11. Que texto emocionante
    Gostei bastante

    Beijos
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. oie Erica
    uau, seus textos são sempre tão sentimentais, que não tem como ler e ficar sem sentir aquela pontadinha no coração.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  13. Dizem que o verdadeiro amor é assim como você descreveu, ou seja, nada egoísta. Se preocupa com a felicidade do outro mesmo de longe. Texto muito bonito Érica

    http://alinenomundo.com.br

    ResponderExcluir
  14. A melhor coisa que podemos fazer a nós mesmos e as pessoas q nos amam e amamos é ter consciência de que um dia elas precisam ir, seguir o seu caminho e desapegar. Bjoooo

    ResponderExcluir
  15. Que belo texto, Erica <3
    Me identifiquei com algumas partes, mas felizmente, as circunstâncias são distintas.

    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Oi Erica,
    Texto lindo e triste ao mesmo tempo.
    Houve um tempo que eu deseja tanto isso, mas depois me dei conta que a falta fazia sofrer, não feliz =/

    bjs
    Nana – Obsession Valley

    ResponderExcluir
  17. Nossa eu sinto falta de tantas coisas.
    Estava falando com minha prima diz destes como sentíamos falta da nossa adolescência.

    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  18. Sempre fica um pouco do amor, um pouco de tudo, um pouco de lembranças e muita mas muita saudade.
    Sempre sentimos falta do que é especial, dos que nos marca profundamente.

    Belo devaneio guria!

    Beijo

    ResponderExcluir
  19. Belo texto.
    Infelizmente muitos "relacionamentos acabam", mas a saudade e falta se eternizam.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de outubro

    ResponderExcluir
  20. Não consigo definir esse texto com outra palavra que não seja "perfeito".
    Beijos,K.
    Girl Spoiled
    http://girlspoiled.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Que ele volte, aí e aqui :/ esse texto me deu uma saudades, Ericona :'(
    lidimais, pra variar, né haha

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
  22. Tão eu, tão eu, tão eu! Você é maravilhosa, moça! Eu já te adorei... ♥

    ResponderExcluir
  23. Depois de um longo tempo, estou de volta. Que texto lindo. Quem já amou de verdade, já sentiu essas emoções retratadas no texto. O seu texto mexeu com o meu passado, risos. Beijinhos.

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?