11 junho 2010

Amar, simplesmente...

Peguei suas rimas que ecoavam dentro da minha cabeça e as joguei no primeiro lixeiro que encontrei - elas não me arrancam suspiros mais. Peguei o CD com as diversas canções que você gravou em homenagem a alguém que você amou ou ainda vai amar, com exceção de mim, claro; pois não sou pessoa "amável" na sua concepção, risquei com uma faca amolada e depois joguei janela afora - sua voz não me arrepia mais. Deletei suas fotos do meu computador, rasguei tantas outras que tinha guardada na gaveta do criado-mudo, que tanto falava, que tanto gritava, que tanto pedia para que eu te tirasse dali e amasse você com os olhos, com a imaginação, com a loucura de uma paixão quente e imensa - agora tuas fotos fazem parte de um passado bom e ruim ao mesmo tempo, porque foi uma coisa unilateral, sem retorno, sofrido. E, hoje, eu faço tudo isso sem muito peso no coração, sem choro, porque eu cansei, cansei dessa imensidão tão minha, que eu queria tanto dividir com você; esse amor enorme que pedia compartilhamento, que pedia um ombro, um beijo, um abraço, um ser que o acolhesse dentro do peito e que o fizesse viver por longos dias.
Só que a vida é isso mesmo, é essa coisa tão desencontrada, tão desvairada, mas bonita em sua essência e em seu mistério. Não posso me lamentar por amores que não foram. Não posso praguejar contra casais de namorados, dizer que o amor que eles sentem um pelo o outro é menos verdadeiro, menos intenso e menos digno do que os meus amores. Não posso querer que a vida seja sempre boa, sempre harmoniosa, porque de fato eu não saberia valorizá-la como eu valorizo se não vivenciasse esses momentos ácidos, doces, loucos e necessários. E, por fim, não posso jamais perder a fé em um amor recíproco, em um amor bonito, meio cinematográfico, meio bobinho, fofinho e tudo "inho" que existir; bem típico de casais apaixonados, bobamente apaixonados, claro, mas não importa. O que vale nessa vida mesmo é amar, amar a si próprio, amar a vida, amar os desafios dessa mesma vida. Amar, simplesmente...

(Erica Ferro)

* * *

Ei, as minhas atualizações estão cada vez menos frequentes, né?
Ohn, não gosto desse meu silêncio. Preciso escrever mais, postar mais. Falar mais!
A fase amarga passou; acho que voltei a gostar de coisas românticas (na dose certa, é claro; sem muuuuito açúcar) e até escrevi algo sobre amor. Não com muito nexo, muito bem escrito porque, enfim, eu não sei escrever direito, mas faz parte de mim essa vontade de escrever, de tentar expressar os meus pensamentos e sentimentos. Isso é o que vale, pois é um exercício despretensioso, gostoso.
Amanhã é sábado e é dia de Divã cor-de-rosa. Leiam a @ericona lá, certo?
Um abraço!


44 comentários:

  1. Eu sempre me identifico com os seus textos,mas dessa vez me identifiquei MUITO MESMO.
    Parece que os meus pensamentos foram andar na sua cabeça e você colocou ele em palavras.
    Me fez bem ler esse texto.
    Ele me ajudou a esclarecer alguns sentimentos do meu coração.
    :*

    ResponderExcluir
  2. E a gente adora essa sua vontade de escrever!

    “O que vale nessa vida mesmo é amar... amar simplesmente.”

    Lindo texto e você também é uma querida, muito por sinal!

    Beijos Mil.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ericona! Quem é vivo sempre aparece, neh?

    O que eu posso dizer? NUNCA desacredite no amor. São tantas as possibilidades. Talvez o seu par romântico fofuxo esteja na próxima esquina :) E se vc não acreditar não vai ver...

    Gosto muito dos eu jeito revoltadinho de escrever alguns textos. Garota de personalidade você, neh? hehe!

    Bjos bjos!

    ResponderExcluir
  4. O amor é a essência da vida, não importa se é amado em volta, se ame, que isso basta, né?
    Passei por um fase amarga também, esses tempos, mas sempre serei uma boba romântica ;~
    Belo texto.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Nunca devemos deixar de acreditar no amor!

    ResponderExcluir
  6. Querida, obrigada pelo seu recado!
    Tá tudo tão corrido, meu tempo está fugindo de mim, cada vez mais rápido...
    Mas hoje postei uma homenagem ao dia dos namorados (como sou clichê, não? xD).
    E também não podia deixar de ler seu texto... Sempre me dizem muito, todos eles.
    Eu também já fui obrigada a me despedir de algumas lembranças... Umas porque quis, outras porque precisei.
    Bom final de semana, viu?
    Sempre bom ler você =)
    Beijos ;***

    ResponderExcluir
  7. Ain Érica desculpa não ler seu post,tô sem tempo mesmo,e o pior,sem atualizar meu blog e sem me atualizar nos blogs!=/
    Valeu mesmo por estar sempre presente lá no blog *.* Não poderia deixar de vir aqui!=D
    Que bom que a sua fase amarga passou!hehe

    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Acho que no fundo todo mundo espera encontrar um amor completamente 'inho' ausuahsuhasuh.

    bjo ;)

    ResponderExcluir
  9. Não sabe escrever direito, é? O dia que souber então.

    ResponderExcluir
  10. Essa liberdade pós-sentimento acabado é sempre boa demais, alívio inexplicável.
    Sentimentos unilaterais e passado bom/mau sempre ensina e ensina tanto. Sempre bom aprender, mesmo que de maneira rude..

    Lindo texto! :D

    ResponderExcluir
  11. Olá sou BRuno Cassiano dono de um blog chamado Mundo Leitor, e vim convidar a autora deste blog a ser uma postadora de lá.
    contato: mundoleitor@gmail.com
    ou
    http://mundo-leiotr.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Essa fase passa, moça...
    Passa sim... pode até parecer que não, mas passa. Permita que passe. Faça passar, sabe pq???

    Desiste não, viu?
    Bjo!

    ResponderExcluir
  13. Acho que o dia dos namorados faz com que todo mundo se sinta apto a falar de amor..
    Vc sabe expressar o que sente magnificamente :D

    ResponderExcluir
  14. Já te disse, Ericona: não procure o nexo, porque teus desabafos são completos!

    Eu também espero um amor que tenha tudo "inho" que existir"! É querer demais?! Não, então deixe que eles nos toque sempre que quiser. (:

    Beijos
    :*

    ResponderExcluir
  15. Hum... oportunidades sempre vêm... sempre... sempre... sempre...

    é no que acredito.

    ResponderExcluir
  16. e as vezes esses amores passam porque estão passados, e aí dentro da gente começa a nascer um vão, um espaço, um desejo, uma nova vontade... e finalmente : um novo AMOR...

    é isso aí lindona....

    e, você escreve divinamente....
    divinamente....

    beijos

    ResponderExcluir
  17. Amar, é isso mesmo. Amar sempre.

    Erica, meu bem. Obrigada por tão belo comentário. Amei!

    Olha, ri bastante com o teu outro comentário. No texto da Lena.
    O Otávio polvo é um chato mesmo! hahaha!!!!

    Beijos querida!

    ResponderExcluir
  18. Hum...
    Pois eu achei o seu texto cheio de nexo e bem escrito.
    Provavelmente porque ele me lembrou o dia em que queimei todas as cartas escritas a alguém e nunca enviadas, me lembrou o desejo imenso de acabar com aquilo de vez. Aquele sentimento de que eu só desfrutava a parte ruim.
    E provavelmente porque você escreve mesmo muito bem, e sabe espressar o que está em tua alma, ou na alma dos outros, já que muitas vezes [como essa] parece que você andou me vigiando, rsrs

    Releve: esse meu sentimentalismo todo ainda é ressaca do dia dos namorados passado sozinha.

    :]

    ResponderExcluir
  19. Esvazie de vez em quando as suas gavetas... e ande mais leve.

    Isto mesmo Eriquinha!!!!

    beijos, linda!!

    ResponderExcluir
  20. muito bom!
    parabéns você escreve muito bem!

    beiijo
    *.*

    ResponderExcluir
  21. Amar simplesmente e primeiramente a nós.

    BeijooO'

    ResponderExcluir
  22. Como gosto de ler tuas palavras desconexas...
    Hehehe...
    Sabe...
    Falar sobre o amor é uma coisa bem complicada...
    Mas você o fez maravilhosamente bem...
    Amei!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  23. faz parte sumir um pouco... tem até o lado bom de deixar todo mundo com saudades dos nossos textos.. hehehe
    bjsss

    ResponderExcluir
  24. Amar, amar e amar...Eu simplesmente amo seu blog, seus textos, mesmo não sendo freuqente as minhas vindas aqui na blogsfera, porque o tempo está cada vez mais curto pra todas as coisas que eu gosto de fazer...Afinal temos algumas obrigações.

    Saudades master!

    Beijujubas

    ResponderExcluir
  25. E, por fim, não posso jamais perder a fé em um amor recíproco, em um amor bonito..." Simplesmente perfeito.
    Não é por causa dos nossos desencontros amorosos que devemos perder a fé no amor, um dia aparece alguém digno, eu acredito naquela coisa de "a metade da laranja", entende?

    Ps: que bom que o sol ta reinando por aqui, :)

    fico feliz.

    ; )

    Abraços e beijos.

    com carinho. Rafaella F. Monteiro.

    ResponderExcluir
  26. Ah, eu também estou em uma fase que todo o "inho" me incomoda...será uma epidemia, Ericona?

    Rs

    Beijos, fica bem, viu, moça fofa!

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  27. Dona Erica, como é bom vir aqui!
    Deletei o Listras Coloridas e fix um blog novo, não consigo ficar longe disso aqui.
    Bom chegar aqui e ver que você finalmente fez uma limpeza geral aí dentro e colocou as coisas nos lugares certos. Boa sorte :)
    :*

    ResponderExcluir
  28. Fico tão feliz quando alguém se encontra um pouco em minhas linhas.
    Olha, eu deveria ter rasgado e deletado tudo. Tantas vezes eu quis fazer isso. Mas não fiz, e olha, foi a melhor coisa. Esse negócio de amor é complicado, faz a gentr transbordar por todos os lados, sem saber muito bem como se conter..

    Beijoo minha flor ♥

    ResponderExcluir
  29. se tivesses escrito apenas "não posso me lamentar por amores que não foram", não precisarias ter escrito todo o resto

    embora o resto esteja diretamente ligado e, acredito, retratado naquilo que quiseste escrever

    muito bom.

    ResponderExcluir
  30. Olá Erica...
    Particulamente odeio comentar quando um monte de gente já comentou pois acho que o dono ou dona do blog nunca vai ler meus textos rsrs.
    Mas o seu ficou muito bom, resumindo né? As vezes amamos, ai vem a decepção e ai temos que supera-lá mas não podemos parar de acreditar no amor.

    ^^

    beijos Flor
    e boa semana.

    ResponderExcluir
  31. liindo ' gosto de como vc se expressa, gosto msmo de vin aki
    ;**

    ResponderExcluir
  32. Não acho que tenha ficado mal escrito, gostei muito!
    beijão!

    ResponderExcluir
  33. Você me remontou a Drummond, Ferro. Só serve isso na vida. Se não tiver amor no meio, em suas diversas facetas e formas, não vale.

    Eu continuo aqui.
    Tu continuas?

    ResponderExcluir
  34. Ah Érica tens toda razão quando diz que a vida é esta coisa desencontrada que nos faz apegar-se à idealizações muitas vezes são momentâneas e sem forma.
    Ainda bem, nos desencontros nos apropriamos de verdades novas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  35. Amar é um treco estranho né?
    HAUAHAUAHAUAHAUS

    as vezes, não sei fazer com essa falta de quem amar nos meus dias.

    =)

    ResponderExcluir
  36. Ah Ferro,
    a gente ama, ama pq é bom, ama mesmo não sendo amado.

    É um sentimento tão nosso, não devemos entrega-lo assim para os outros. Tem que ter cuidado.

    E se não faz bem, o corpo expulsa, é assim com todas as feridas.

    Beijo,
    Nara

    ResponderExcluir
  37. também te quero muito bem,e gosto muito da nossa amizade twistica e bloguistica,rs.
    você me diverte,me acalma e me faz pensar com os teus textos.
    (:

    ResponderExcluir
  38. Amar é complicado, é simples, é durável..
    tão bom é não saber amar e ama-lo por instinto o amor !

    ResponderExcluir
  39. haha
    eu tô na dúvida se foi um texto que falava de amor. Acho que foi de um amor que já passou, né?
    Como sempre, você foi muita intensa com as palavras.
    Desculpe a demora em aparecer, anda com uma preguiça do mundo blogueiro... rs
    Beijão! =*

    ResponderExcluir
  40. Por mais maravilhoso que esse sentimento seja, ele um dia acaba! Beijos :D

    ResponderExcluir
  41. ei passa no meu blog postei a parte 2 do conto ' uma tarde outono

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?