16 setembro 2013

Eu tento


California Dreamer ☮

Eu tento entender, juro que eu tento. De verdade, eu realmente tento. Sério. Sério mesmo. Eu tento entender pessoas extremamente pessimistas e pessoas que só sabem apontar o lado ruim das coisas, mas não consigo.
Mandando a modéstia para as cucuias, devo dizer que não entendo pessoas assim, porque pessoas assim são incompreensíveis.
Tudo bem, eu sei que há desgraças mil nesse mundo, que existem inúmeras pessoas desprezíveis e desagradáveis nesse universo, mas não existem só tais seres no mundo. Focar no lado ruim das coisas ininterruptamente é um dos maiores erros que se pode cometer na vida. É um erro e um atraso de vida. Imagine que você é desses seres que se fixam na parte desagradável da existência. Imaginou? E agora lhe digo, sem medo de errar, que enquanto você fixa seu olhar nas coisas deprimentes e irritantes dessa vida, você perde uma gama de coisas lindas, floridas e alegres. Não, eu não estou dizendo que o melhor é ignorar todas as desgraças dessa vida. Não, não é isso. O que quero dizer é que não vale a pena passar a vida se lamuriando, praguejando contra o mundo, cultivando preconceitos, se negando a conhecer as coisas empiricamente. Não quero ditar regras, mas acho que seria tão mais útil e eficaz tentar solucionar as coisas/situações erradas que se encontra ao longo da estrada em vez de se ficar reclamando, reclamando e reclamando delas.
Para se viver com leveza, procure ter uma mente livre de preconceitos e um coração livre de mágoas, rancores e/ou qualquer outro tipo de sentimento negativo autodestrutivo/destrutivo. 
E não, isso não é uma crônica do gênero autoajuda. Mas, se a carapuça assim servir em alguém, que seja proveitoso e eficiente.
Há um bom tempo que percebi que a vida pede leveza, pede tranquilidade, pede serenidade. A vida não consegue digerir lamentos infindos. Um indivíduo que prefere viver nos extremos, ferindo os outros com palavras ou gestos, ferindo a si mesmo de uma maneira literal ou metafórica, nunca conseguirá se sentir feliz, pleno e leve feito pluma. 
Aliás, você já sentiu leve feito pluma? Já se sentiu envolto em uma plenitude assim? Eu já, e garanto que é uma das melhores sensações que há.
Seres que leem minhas sacudidas, atentem ao que vêm sendo plantado e arado em seus corações e mentes.
Tento me policiar diariamente para descartar sentimentos ruins e guardar só o que há de bom.
Tento ficar sempre atenta aos sentimentos autodestrutivos que por vezes querem se apossar de mim. Sim, porque, independente de quem você seja, sempre há a possibilidade de um sentimento assim surgir em sua mente. Na forma de quê? Em forma de não-aceitação do próprio corpo. Na forma de crises existenciais desnecessárias, nas quais não se chega a lugar nenhum, a não ser ainda mais no fundo do poço, fazendo com o que o dito ser se sinta ainda mais no fundo do poço. Etc e tal.
De verdade, tentemos ser leves. Busquemos ser leves. A vida é rara e curta para que nos desgastemos e gastemos nosso tempo aqui na Terra com sentimentos que só nos destroem, nos corroem e nos afastam cada vez mais dos outros e, principalmente, da felicidade.
Leveza. Le.ve.za.
É isso que a vida nos pede. 

Erica Ferro

• • •
Olá, pessoas!
Olha só, estou com um certo problema em relação aos sorteios dos livros da Novo Conceito.
Vocês leram essa notícia? Pois é, agora, sorteios nas redes sociais são proibidos por lei. Eu estou tendo algumas ideias aqui, a exemplo de criar concursos culturais, para poder presentear meus leitores com livros da Novo Conceito.
E, bem, devido ao meu atraso com a leitura dos livros da NC e o fato de eu não estar me sentindo bem com isso, mandei um e-mail a editora, explicando as causas (primeiro semestre muito atarefado na UFAL) do meu atraso e me comprometendo a ser mais ágil na leitura e resenha dos livros. Porém, como tenho plena consciência de que estou muito, mas muito atrasada com a leitura, talvez a editora não me queira mais como parceira, o que será muito compreensível. Como tenho muitos livros dela aqui, continuarei lendo e resenhando os que tenho; e se a NC me der permissão, farei concursos culturais para presentear os meus leitores com alguns títulos da NC que tenho aqui comigo.
A NC é uma das editoras mais bacanas do Brasil, tanto por publicar bons livros, mas, sobretudo, pelo carinho que ela tem com os parceiros e leitores dos seus livros.
Enfim, estou aguardando a resposta da editora sobre o meu atraso e minha promessa de ser mais rápida na leitura. Qualquer que seja a resposta, compreenderei. De coração.
(...)
Curtam o blog e sigam no Twitter.
(...)
Um abraço da @ericona. Hasta la vista!

9 comentários:

  1. De fato tu és outra pessoa. Realmente me deixa feliz ler um texto teu como esse, especialmente por saber que tu age exatamente como diz. Mas esse é o tipo de coisa que, por mais que se fale, cada um tem seu tempo para descobrir. Cada um tem que levar seus próprios tapas e tombos na vida pra acordar desse desânimo e lamento eterno.
    Definitivamente fico feliz em ler um texto teu assim, é tudo que tenho a dizer.

    ResponderExcluir
  2. Olá Érica! Amei sua postagem porque adoro seus textos, sabia? Nahim...são tão sinceros e reflexivos. È as regras mudaram por causa dessa lei. Eu também não sei o que fazer com os livros que ainda tenho aqui da Novo Conceito. Bom...se eles te responderem dando permissão para os concursos me avisa?Que aii faço no meu blog também.
    Beijos!
    Paloma Viricio-Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
  3. Eu sou esta pessoa. ou melhor, era. Eu to tentando, mudando aos poucos, percebi que pensar positivo não vai resolver mas pelo menos deixa a gente mais tranquila. Pensar negativo não resolve e ainda deixa a gente mais tensa ainda.
    Enfim, vc tem razão, texto belo demais! Espero ter forças todos os dias pra ver sempre o lado bom e viver com serenidade :)

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho que confessar que me incomoda tanto o pessimista crônico, quanto o otimista sem noção, aquele do tipo que nada nunca vai dar errado, que não existe problema em nada e que tudo é possível. Acho que o meio do caminho entre as duas coisas é o que faz bem a um ser humano, um toque de realismo.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  5. Gosto da sua forma de pensar. A vida não é fácil. É bastante complicada. Para que piorar mais com uma visão pessimista? A vida também tem o seu lado bom.
    Contudo, eu respeito certos tipos de pessimistas (não exagerados), que já sofreram muito nessa vida, pois ninguém sabe o peso da dor que o outro leva no coração.
    Aliás, quem tem um coração cheio de sentimentos pesados, não tem a sensibilidade de olhar para vida e ver o seu lado bom.
    MAS os pessimistas que têm tudo para ser feliz e pensar diferente sobre a vida, esses sim não compreendo. Afinal, negativismo atrai negativismo.
    Pensar positivo é fundamental para se viver bem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Ei...
    Adorei o texto!
    Vc escreve muito bem!!!

    Beijos
    http://plantaoonline.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Cada um muda o lado pessimista a seu tempo e no decorrer disso pode se ter recaídas.
    Normal.

    ResponderExcluir
  8. eu entendo pessoas pessimistas... mas isso não quer dizer que eu seja uma delas,tá?

    só...bem, acredito que é a forma de verem o mundo que é diferente.
    {Emilie Escreve}

    ResponderExcluir
  9. Pra falar a verdade, eu nem tento entender... Problemas? Todos nós temos, é só resolvê-los... Não tem solução? Então vamos esquecer e focar nas coisas boas... Coisas boas sempre existem...

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?