14 julho 2013

Porque eu quero um mundo melhor!


Pode parecer bobagem para muitos, mas, para mim, o que aconteceu há uma semana foi algo fantástico e muito gratificante. Eu deveria ter escrito e postado o relato do tal acontecimento antes, bem antes. No dia do acontecido, talvez. Porém, eu estava tão eufórica, tão ensandecida de alegria, que eu não tive como escrever algo decente, com nexo. E, claro, a velha procrastinação, como sempre, ajuda imensamente a adiar as coisas. Contudo, acho que foi a falta de tempo que me fez protelar o post. Mentira, foi a procrastinação mesmo. Ultimamente venho tendo umas ideias bem bacanas pra posts, mas, sei lá por que, elas têm ficado apenas no campo das ideias. Será que perdi o jeito de blogar? Hum, será? 
Sem mais enrolações, contarei a coisa fantástica que aconteceu no fim de semana passado. Sábado, dia 6, era o meu dia de postar no Gurias Arretadas. Passei a maior parte do dia pensando no que eu deveria postar. Lembrei, então, de dois vídeos emocionantes que tinha visto durante a semana, que me fizeram chorar e recordar da minha própria vida. Dois vídeos inspiradores, extremamente bem produzidos, com protagonistas especialíssimos e um enredo de arrancar sorrisos, lágrimas, suspiros e causar cócegas no coração. No momento que recordei dos vídeos, cheguei a conclusão que deveria escrever sobre um tema delicado, mas falar dele se tornou essencial e eu precisava mesmo fazer naquele dia, usando aqueles vídeos pra ilustrar. O tema do post que eu fiz no Gurias Arretadas? Deficiência. Eu não quero falar do post aqui, porque senão vocês não vão lê-lo na íntegra. Digo apenas que alguns de vocês vão se surpreender, se emocionar e descobrir coisas que até então não sabiam sobre mim. Prometem que vão ler? Cliquem aqui e leiam o post. Depois de lerem, voltem aqui e leiam o restante do post. 
(...)
E então, leram? Leram mesmo? Pois muito bem, depois que escrevi esse post, pensei "Cara, eu não posso deixar esse texto apenas no Gurias Arretadas. Eu não quero que só os meus amigos leiam. Eu quero que esse texto circule pelo mundo.". E vocês entenderam o porquê, pois leram o texto, certo? Pensei, então, que deveria mandar para alguém famoso, sobretudo, alguém bacana, que eu saberia que leria e compartilharia meu texto, mesmo porque eu tinha noção do poder do texto, da mensagem importante que contém nele. Mandei para duas pessoas que eu achei que iriam gostar e possivelmente compartilharam nas suas fan pages. Confesso que enviei sem muita esperança de ser respondida, porque as pessoas para quem enviei o texto são bem assediadas, digamos assim. A primeira resposta veio da pessoa menos famosa e a que eu acharia que postaria meu texto, porque (a) possivelmente é a que menos recebe mensagem, se comparada a outra pessoa para qual também enviei o texto, (b) porque a tal pessoa já tinha postado algo na página dele sobre Deficiência e tal. Infelizmente, a tal pessoa disse que o texto era lindo e iria ver o que podia fazer. Não publicou o meu texto na fan page. Não disseminou a mensagem que eu tanto gostaria que fosse disseminada. Não a admirei menos, porque creio que as pessoas não são obrigadas a corresponder às nossas expectativas. Como a pessoa é dona de um canal no YouTube e tem alguns patrocinadores, pode ser que as postagens sejam meio que reguladas. Sei lá. Eu arrumei umas desculpas bonitas para a tal pessoa não ter postado o texto na fan page dela. Porque a pessoa é linda, é engraçada e eu não quero perder a admiração por ela. 
Mas, caramba, velho, a segunda pessoa para quem eu mandei, a mais famosa das duas, a que eu menos achei que iria ler, porque deve receber uma porrada de mensagens todos os dias, foi a que respondeu, elogiou o texto e disse que iria compartilhar em sua fan page. Tipo, eu fiquei chocada. Pensei "Woooooooow! Como assim, o Fábio Porchat me respondeu? Ele disse que eu escrevo bem? Ele disse que foi uma das mensagens mais lindas que ele já leu? É isso mesmo? Ele disse que vai compartilhar? A sementinha anti-discriminação será compartilhada para mais de 180 mil pessoas? Fantástico! Espetacular! Maravilhoso!". Acho que eu não só pensei, eu devo ter falado também, porque nessas horas eu me emociono e fico meio que "wooooooow, estou loucamente emocionada, pessoal!". Sim, foi o Fábio Porchat que me respondeu! Sim, sim, sim, foi o lindo e fofo do Fábio Porchat que compartilhou o meu texto! Agradeci muito ao Fábio, porque, caramba, era um texto que precisava ser compartilhado, para que as pessoas pudessem descartar alguns pensamentos prontos sobre Deficiência e entender como funciona na prática a coisa de ser deficiente. E, sim, continuo não contando detalhes porque acredito que quem chegou aqui nessa parte desse texto, foi porque leu o do Gurias Arretadas e já está por dentro da parada (risos maléficos).
Eu já acompanhava o Fábio Porchat pelo canal Porta Dos Fundos e, com o tempo, eu fui criando uma empatia tão grande por ele, um carinho enorme, uma admiração bonita, sabem? Eu não sei se sou meio bruxa (fisicamente há quem diga que eu sou - sofro bullying por ser feia, sociedade... a coisa não é fácil.), mas eu sinto quando as pessoas são boas, quando tem um coração bom. Raramente me engano sobre alguém. E é louco achar que alguém é gente boa, que tem um coração lindo só porque viu alguns vídeos dele e umas entrevistas. Mas, caramba, se uma pessoa é boa, quando a vejo, seja através de um vídeo ou pessoalmente, sinto algo diferente, através do olhar da pessoa, de um trejeito, de um sorriso, e sinto uma incrível sensação de felicidade. É como se meu coração fosse acarinhado. E é isso que eu sinto quando vejo o Porchat. Depois que ele postou meu texto, eu concluí, genialmente, "Bicho, esse cara é mesmo o cara!". Com tantos compromissos, dá uma atenção danada aos fãs, com a ajuda da mãe, ok, mas mesmo assim é algo nobre. Porque a maioria dos artistas não tem essa preocupação, esse olhar para o anônimo que o admira e manda trocentas mensagens etc. Aliás, eu nunca faria isso de mandar trocentas mensagens para uma pessoa famosa, só para ter uns minutos da atenção dela. É coisa de louco. E louca eu não sou. Dizem por aí que eu sou meio louca, mas eu nego. Sou muito sã. Tão sã, que às vezes dói. Ser sã é louco, muito louco, porque a vida é muito louca e isso endoidece tudo, entendem? Okay, comecei a devanear. Corta essa parte, produção. Opa, não tem produção e eu estou com preguiça de cortar essa parte do texto. Fica assim mesmo.
Para finalizar, quero que vejam o compartilhamento do Porchat. E, puxa vida, gostaria que esse texto se espalhasse por aí, ganhasse o mundo, o universo! E quem leu, sabe o porquê digo isso. Então eu os convido a compartilhá-lo no Twitter, no Facebook, no Blogger, em cartazes pelas ruas da cidade, em rádios, na televisão. Disseminem o texto, porque tenho certeza que ele pode colocar muitas cabecinhas cheias de conceitos equivocados pra repensarem tais conceitos e, assim, reformularem suas ideias e possibilitar novas ações mais saudáveis e justas. Porque eu quero um mundo melhor pra mim, pra vocês e pras futuras gerações.

• • • 
Viram que a minha querida Ana Seerig deu sua contribuição para a coluna Outros sacudidores?
Well, é isso. Fico por aqui. Volto quando menos esperarem.
Curtam a fan page do Sacudindo Palavras e sigam o blog no Twitter.
Um abraço da @ericona.
Hasta la vista!


14 comentários:

  1. Confesso que inverti tudo ehehe, e primeiro li aqui para depois ler o texto no outro blog... Mas que legal, legal mesmo ele ter respondido e compartilhado... Parabéns garota e sucesso sempre com os teus textos!

    ResponderExcluir
  2. Todos torcemos para um mundo melhor, onde as pessoas vejam o que somos e o que podemos fazer antes de tirar conclusões precipitadas quando apenas olham nossa forma física.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Erica \o
    Ah como sempre seus textos me sacudem HAHAHA
    Adorei que o Fábio postou seu texto, adoro ele.. cara super bacana, pé no chão..
    Confesso que fiquei curiosa pra saber quem foi a outra pessoa que você pediu :x

    Ficou lindíssimo o texto e já curti lá na página do Fábio. Fiquei mais fã dele ainda, depois dessa atitude.

    bjs
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  4. Erica nossa sei nem por onde começar, primeiro realmente não sabia que era atleta paraolímpica e tinha uma deficiência, mas acho muito boa essa atitude de vc se apenas a Erica, não um ser especial endeusado( gostei quando disse isso no texto) admiro muito vc por chegar e falar tudo isso, dizer o que pensa e espalhar para outras pessoas além dos leitores, é uma visão que muita gente não sabe, pelo menos eu não tinha noção sabe? mas agora aprendi também um monte com seu texto e seu post aqui! beeeeijão :*

    ResponderExcluir
  5. Eu deixei um recado no Twitter comentando sobre o seu texto. Não sei se você viu. Simplesmente achei fantástico o seu texto. Acho que realmente todos deveriam ler.
    O Fábio Porchat parece ter uma carinha de gente boa. Não fiquei surpresa dele ter compartilhado o seu texto. Fiquei muito feliz por ti. Tu és um grande exemplo. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  6. Oiee Érica! Com certeza devemos desejar sempre um mundo melhor. Parabéns pelas conquistas, viu? Já falei aqui um monte de vezes que adoro seus textos, né? Poxa o Porchat é bem doido mesmo e adoro ver vídeos dele no Porta dos Fundos! kkk Parabéns e muito fofo da parte dele compartilhar seu texto.
    Beijos!
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
  7. Ai, Erica, nem sem o que dizer! Acho que ainda estou um pouco emocionada pelo seu texto maravilhoso e pelos vídeos lindos!

    Tenho uma amiga que é deficiente também e ela sempre comenta o quanto as pessoas acabam magoando com palavras ditas ou mesmo com olhares feitos. E uma das coisas que mais a magoa é justamente o fato de que muitas dessas pessoas fazem isso sem nem perceber que fazem!

    O seu texto é uma mensagem sensacional para que todos nós comecemos a ver seres humanos, independente da aparência, como seres individuais da sua própria maneira! Entende?

    Já compartilhei o texto e fiquei muito feliz pela repercussão! De fato, ele tem que ser mostrado ao mundo! haha

    Aliás, acho que já deve ter ficado óbvio, mas te acho uma pessoa sensacional! A forma que você escreve é tão íntima que as vezes sinto que estou do seu lado compartilhando experiências... É uma delícia!

    Um super abraço! :*

    ResponderExcluir
  8. Erica do céu! Tô sem palavras. Seu texto no Gurias e a continuação aqui me fizeram chorar. Senti uma alegria imensa de você. Acredito que não seja fácil ser observada das maneiras citada na rua, mas eu comecei a te admirar quando conheci seu blog. Muito tempo depois descobri que você tinha uma deficiência, mas eu nunca te olhei com outros olhos, porque o que vale é o que está por dentro.

    Parabéns, de verdade... To chorando aqui :') E o Fábio é um lindo.

    Beijos
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
  9. Ericooooona :D~

    Olha, você foi uma das pessoas que me acolheu quando comecei o blog. Admirei você pela sensibilidade nas palavras, nas emoções passadas, na opinião forte (e eu adoro pessoas assim!) além de ser simpática, inteligente,meiga, enfim.. casa comigo? kkkkkkkkkk Briks, foi só pra descontrair.

    Eu lembro exatamente de um texto que fiz sobre um rapaz deficiente e lembro do seu comentário até hoje (tenho memória de elefante pra essas coisas, rs). Senti sua revolta, senti o quanto seu coração queima por isso.. Vi seu sonho estampado ali e seu desejo de conquistar a "normalidade" do mundo. Eu fico sem palavras diante disso tudo, mas eu vejo que, assim como você, eu também luto para que as pessoas não vejam as minhas deficiências e me tratem da mesma forma.

    Quero te parabenizar pq tipo, fiquei morrendo de inveja kkkkkkkkkkkk

    Mas você merece, sabe?! O trabalhador é digno do seu salário,diz a bíblia.

    Enfim, te admiro, você é show e será sempre a doce ericona. Como diz aqui no Maranhão, arrocha nega nadadora ^^

    ResponderExcluir
  10. Bom, é claro que eu li seu texto no Gurias afinal eu acompanho seu blog acho que desde o inicio do meu, faz no minimo uns 3 anos. Claro que eu sempre gostava quando você ia lá comentar meus humildes posts e minhas historias de vida. Bom, eu criei uma amizade virtual com você mesmo que por razões da vida ter mudado bastante, adaptações em uma nova família estas coisas que só quem compartilhou lá no blog comigo certas historias sabe, eu te admiro pela pessoa incriável que é, amiga, alegre e que mesmo que a gente não se fale tanto, tu é uma amiga muito especial que eu adoro, a ericona dos blogs, perfil, das poesias lindas e maravilhosas!. ♥

    ResponderExcluir
  11. Erica <3 você não sabe o quanto eu fiquei feliz quando li o que o Fábio Porchat comentou sobre o que você escreveu... e que texto lindo, heim!

    como eu disse, é sempre bom ver um ídolo falando bem de outro ídolo!!

    adoro você (:

    beijinhos <3

    ResponderExcluir
  12. Eu também quero um mundo melhor, sem preconceitos e afins.
    O texto eu já tinha lido, comentado contigo que a admiração depois dele só aumentou.

    Beijos chata!

    ResponderExcluir
  13. haha, ótimo! Fiquei com aquele sentimento de sorrizinho no rosto por você. Parabéns, espero que o texto corra o mundo mesmo, porque vale a pena. E valorize esse dom da palavra que tem.

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. O Fabio ganhou uma mega fã depois que compartilhou seu texto, eu entrei para o fan clube dele na hora! Muito querido e consciente da parte dele! E para você os parabéns pela coragem de se expor, não é fácil expor nossas fragilidades... Mas no teu caso Erica, foi por uma grande causa, um dia quem sabe a gente não acorda em um mundo no qual a diferença seja a coisa mais normal do mundo, os modelos estéticos não sejam agressivos e a vida flua com qualidade para todos de forma igual!!!

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?