29 março 2012

Resenha: A Ira dos Anjos - Sidney Sheldon




Autor: Sidney Sheldon
No original: Rage of angels
No Brasil: A Ira dos Anjos
Editora: Record
Edição: 2010
Nº. de páginas: 560
I.S.B.N.: 9788501094018
Onde comprar: Saraiva; Submarino
Sinopse: Jennifer Parker realiza seu sonho ao ingressar na equipe do Promotor Distrital de Manhattan, em Nova York. Sua carreira, no entanto, dura exatamente quatro horas - tempo que leva para cair em uma cilada, durante o primeiro julgamento do qual participa. Acusada de suborno, vê seus projetos irem por água abaixo: além do risco de ter a carteira de advogada cassada. Jennifer pode passar o resto de seus dias na cadeia. Assim começa a história de uma jovem bonita e inteligente e dos homens que influenciam sua vida, entre eles o íntegro Adam Warner, destinado a ser um líder de seu país, e Michael Moretti, um anjo das trevas que procura espalhar suas asas de terror sobre tudo e todos.


A Ira dos Anjos é o quinto livro publicado do fabuloso escritor e roteirista estadunidense Sidney Sheldon e foi publicado em 1980.
Preciso registrar aqui que sou uma grande fã de Sidney Sheldon desde quando li Quem tem medo de escuro?, que foi o primeiro livro que li dele. Depois de ler Quem tem medo de escuro?, pensei com os meus botões "Esse cara sabe como prender um leitor. Depois de começar a ler um livro de Sheldon, não dá pra deixar esse mesmo livro encostado num canto da casa. O desejo vai ser de ler o livro num só fôlego...".
Após um tempo, resolvi ir atrás de mais uns livros de Sidney Sheldon. Comprei Nada para sempre/Se houver amanhã, numa versão vira-vira, da editora BestBolso. Devorei os livros com a mesma voracidade que devorei Quem tem medo de escuro?. Não preciso dizer que adorei esses dois também, certo?
E então, ano passado, no finzinho de novembro, resolvi comprar mais dois do Sheldon, que foram justamente A Ira dos Anjos e O Reverso da Medalha. Por indicação de uma amiga, Jessica Aguiar, decidi ler primeiro A Ira dos Anjos.

Vamos, então, à quase resenha:

A Ira dos Anjos começa com o julgamento de Michael Moretti, genro de Antonio Granelli, então chefe da maior das cinco famílias da máfia da Costa Leste americana. Segundo os boatos, Michael estava sendo preparado para ser o sucessor de Granelli. Mas Robert Di Silva, promotor distrital de Manhattan, não iria permitir. Há muito que Di Silva estava no encalço de Michael Moretti, tentando reunir provas que o incriminassem, e Camillo Stela, um dos soldati de Moretti, ajudou-o a "capturá-lo". Stela tinha sido preso em flagrante ao cometer um assassinato durante um roubo e, em troca da vida, concordou em revelar, em julgamento, todos os podres de Michael Moretti. Era tudo o que Di Silva queria! Seria a grande chance de se promover, de até mesmo conseguir ser eleito governador de Albany.
Nada poderia dar errado nesse julgamento, absolutamente nada. Di Silva organizou todo o caso meticulosamente, de maneira tal, que o advogado de Moretti não tivesse recursos para salvar-lhe a pele.
Quinto dia de julgamento, dia que Stela iria depor, dia também que Jennifer Parker, uma linda advogada de 24 anos, cheia de ideais e com uma enorme sede de justiça, começaria a trabalhar na equipe de Di Silva.
Camillo Stela, tremelicando, abre todo o jogo e deixa Moretti a um passo da cadeira elétrica. Mas, então, chega o intervalo para reinquirição, e foi nesse intervalo que Jennifer Parker cai numa cilada armada por Moretti, cilada essa que declara a nulidade do processo e decreta a derrota de Di Silva.
Jennifer, então, começa a ser investigada e corre o risco de ter a sua licença de advogada caçada. Adam Warner é o responsável pela investigação e, depois de conhecer a mulher forte e destemida que é Jennifer, acredita na sua integridade dela e a inocenta.
Jennifer pena um bocado para conseguir se reerguer na profissão. Graças a um emprego arranjado por Ken Bailey, de entregadora de intimações, é que Jennifer tem a oportunidade de mostrar eficiência novamente e, gradativamente, volta a exercer o direito e ganha respeito, tanto da mídia que a rechaçou por causa do incidente do julgamento de Moretti como as agências de advocacias que negaram-lhe emprego tempos atrás, solucionando brilhantemente casos como o de Abraham Wilson, Connie Garrett, Loretta Marshal e Helen Cooper.
Em meio a essa carreira bem-sucedida, Jennifer se envolve amorosamente com Adam Warner, futuro senador e com uma carreira política promissora. Desde que se viram pela primeira vez, sentiram algo diferente, havia uma conexão forte entre os dois. Eles estavam vivendo um lindo romance, Adam tencionava se divorciar de sua esposa Mary Beth, porém essa foi mais esperta e armou para Jennifer e Adam.
Graças a isso, Jennifer resolveu se afastar de Adam. Por anos, ela ignorou todas as tentativas de contato dele. Jennifer escondeu de Adam que teve um filho seu, Joshua. E foi Joshua que, indiretamente, uniu Michael Moretti e Jennifer Parker. Sim, o mesmo Michael Moretti que quase acabou com a carreira de Jennifer Parker. Michael nunca esquecera Jennifer. Algo nela o intrigava. Muito provavelmente a independência, a força de Jennifer. Michael a desejava, a queria por perto. Queria-a como mulher e também como advogada da máfia.
E, por gratidão a um favor feito por Michael Moretti, Jennifer faz alguns trabalhos para Michael, crente de que serão só alguns e logo conseguirá se desvencilhar dele e da máfia. Mas a verdade é que ela se apaixona por Michael, tanto quanto se apaixonou por Adam, mas não, obviamente, da mesma forma. Moretti era um tirano, Adam era um anjo. Mas ambos completavam-na de uma maneira ímpar. Ela não conseguia se livrar de Moretti e descobriu, pouco depois de envolver-se com ele, que nem queria.
Jennifer tem seus momentos de glória e de alegria intensa ao lado do sedutor e perigoso Moretti, mas o seu fim não valeu todos esses momentos.
Não posso dizer que A Ira dos Anjos é tão arrebatador quanto os três outros que li do Sheldon, dos quais falei anteriormente, mas ainda assim é um ótimo livro, com capítulos de tirar o fôlego.
Frustrei-me com alguns trechos e principalmente com o final. Entretanto, não me arrependo de ter lido-o e o indico a todos que apreciam um romance repleto de mistérios, intrigas e reviravoltas desconcertantes.

*

Demorei horas pra pensar numa maneira de escrever essa resenha. Que difícil resenhar livros do Sheldon! E por quê? Porque acontece inúmeras coisas em seus livros e são sempre coisas relevantes, então fica super complicado fazer uma síntese que agrade tanto ao leitor quanto a quem escreveu a resenha. Aliás, é a minha primeira resenha oficial, quero registrar. Digo resenha porque não encontro termo melhor, porque, na verdade, não considero esse post uma resenha. Não sou uma crítica literária e não sei como fazer uma "resenha decente", apenas gostaria de deixar registrado aqui comentários acerca dos livros que leio.
Ah, eu espero que vocês tenham gostado do post de hoje!
Em breve terá mais um post para a coluna Talking about books.
(...)
Em dezembro do ano passado, sorteei A Ira dos Anjos no Gurias Arretadas. Vale a pena ler o post, afinal lá conto um pouco da vida e obra de Sidney Sheldon. Comento lá também sobre a adaptação do livro para o cinema. Agora que li o livro, quero assistir ao filme. Mas algo me diz que vai ser super difícil achar esse filme. Desejem-me sorte!
(...)
Hasta la vista!

34 comentários:

  1. A menção da palavra "máfia" sempre me lembra "O poderoso chefão". Já disse que tenho que criar vergonha e ler Sidney Sheldon, né? Quem sabe não seja esse o meu primeiro... vamos ver...

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho A Ira dos Anjos mas ainda não li! E tem cadeia, tem julgamento, tem vingança, tem mágoa, TEM SIDNEY SHELDON, JÁ AMEI! Hahahahaha

    Quanto à sua resenha, Ferro, achei que você pecou no excesso de informação a respeito da história. Confesso que ADOREI o modo como você falou dela, mas acho que o papel da resenha é justamente incitar o povo a ler o livro! Sabendo muito da história - e principalmente do seu posicionamento que influencia MUITO -, seus leitores podem até correr longe do livro! Você deveria diminuir o resumo do bapho e aumentar seu posicionamento crítico pra ter uma resenha daquelas lindas que a gente vê em revistas! Fica a dica, viu?

    Mas, no mais, pra quem tá começando, você sambou na cara de muita gente que acha que faz resenha mas só dá control c + control v do Google! Ah, e por último, você não precisa colocar um quadrinho lá no começo todo bonitinho mostrando título, autor e bububu. Pode sintetizar tudo isso em duas linhas! Quanto mais breve você for, mais a sua resenha será bem apreciada, dicona pra Ericona! hahahahah

    Beijão! :*

    ResponderExcluir
  3. Já tinha visto esse livro na prateleira da Lojas americanas(que é onde sempre compro meus livros,hehe) e me interessei de cara por ser do Sidney, e por ter meu nome nele(sim,sou louca e meio fútil.HAUSH). Mas enfim, a história é MUITO interessante, as reviravoltas que tem nela, pena que você se frustou com o final :/

    Mas falando da sua resenha, eu achei ÓTIMA pra uma primeira. A minha primeira 'resenha' foi de um filme e mesmo depois d'eu ter pesquisado sobre como fazer resenhas, etc, não achei que ficou boa e não me senti confiante,mas ao longo do tempo a gente vai aperfeiçoando e aprendendo né.
    Acho que o Ti falou tudo que eu iria comentar sobre sua resenha,rs. Os livros do Sidney, pelo menos o que eu reparei que tem neles, é que tem muita história mesmo,e muitos fatos que são importantes, mas é preciso dar um resumo na história em si e focar na crítica, no que você achou/sentiu ao ler o livro, é isso o que eu tento fazer, na minha resenha de Se houver amanhã o Tiêgo até falou isso, que eu não me posicionei muito sobre o livro, e eu não fiz mesmo isso :/ rs Mas prometi que na próxima resenha, seja a de um livro do Sidney ou não, irei colocar mais críticas lá.

    Eu não me considero uma expert em críticas literárias também Érica, nem sei se escrevo resenhas boas mesmo,mas algumas pessoas me elogiam por ela né, então irei acreditar. hehe'
    Mas vamos tentar fazer nosso melhor e conseguiremos escrever ótimas resenhas ;}
    Mas pra sua primeira resenha, eu achei ÓTIMA mesmo, acredite, você narrou muito bem a história do livro *O*
    Tanto que quero ler MUITO esse agora,na próxima compra minha não vou hesitar em levá-lo pra casa <3

    Beijos ><

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nenhum livro do Sheldon, mas sempre ouço elogios, talvez já esteja mais do que na hora de começar. Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Um professor leu uns contos meus e disse que escrevo como o Sheldon, sou detalhista. Fiquei feliz já que só escuto elogios sobre ele, porém nunca li nada que ele escreveu.
    Um dia eu pego algum livro do Sheldon para ler. *-*
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. é um tipo diferente de livro em relação aos q eu leio, acho q por isso chamou bem a atenção.. nunca li nada desse autor.. mas quero ampliar meus temas de leitura... uma boa dica hein!

    bjinhusss ^^

    ResponderExcluir
  7. Erica! Eu nunca tinha me interessado por um livro do Sheldon, até ler sua resenha. Confesso que senti um pouco de 'raiva' de você, por ter escrito muitos 'detalhes' (gosto de explorar sozinha os livros, e como você mesma disse, devorá-los), mas talvez tenha sido por isso que eu me encantei toda! Mais um pra minha lista de desejos sem fim...
    Senti vergonha da minha primeira resenha agora, triste a vida!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Muito completa a sua resenha Ericona!
    Assim que se faz!
    Esse livro é super famosinho, eu ainda não o li. Mas compartilho com vc a admiração pelo Sheldon!

    BEijos

    ResponderExcluir
  9. Erica,

    Acho que voce nao recebeu a senha, porque hotmail e bol estao bloqueando, tente com outra conta, yahoo ou gmail, faltam poucas horas para terminar.

    Abç,
    Hneto

    ResponderExcluir
  10. Eu tenho em casa o "Se houver amanhã". Sempre que pego pra ler, acabo lendo outra coisa.
    Fiquei muito animada lendo este seu texto.
    Minha vó, há mto tempo já me indica livros dele pra ler!!

    Valeu

    bjo

    http://opinandoemtudo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. É a primeira vez que venho aqui e já fiquei assim: AWN? DEMAIS! Sua resenha está ótima e, apesar de nunca ter lido um livro do Sheldon, sou uma fã dele. /podeisso? Preciso criar vergonha nessa minha cara e lê-lo logo, sou uma viciada e não o li ainda? Não pode! Amei aqui, viu? Só não segui agora, porque minha net tá suuper lenta, mas prometo que quando eu voltar aqui, eu sigo. Um beijo! <3

    ResponderExcluir
  12. Primeiro agradeço o comentário, fiquei muito feliz com sua reflexão!

    Segundo que conheço alguns títulos do Sidney, muita gente fala e gosta dele, ainda li sua obra, mas parece ser interessante.
    Muito bacana seu blog e a resenha, de fato sintetizar livros não é nada fácil haha!

    Sucesso e até mais!

    ResponderExcluir
  13. Esse livro é fantástico. E te prende tanto nele, mas tanto, que quando eu estava lendo fiquei com tanta raiva, que, de madrugada, arremessei o livro na parede! A mulher sofre demais, gente!
    Beijo

    ResponderExcluir
  14. Uau! Olha o Sidney Sheldon aí...
    Confesso que nunca li um livro dele (e me envergonho por isso, eu deveria ao menos ter lido pra ter uma base das coisas..).

    ResponderExcluir
  15. Jáouvir falar desse escritos, mas nunca li seus livros..
    As histórias parecem fantásticas!

    ResponderExcluir
  16. Se eu disesse que eu nunca li um livro do Sidney Sheldon você acreditaria em mim?
    Bom, o que falta não é vontade, mas falta de oportunidade! Não consegui ter um exemplar dele nas mãos ainda! :x
    Pela sua resenha gostei, mas fiquei meio receosa pelo final... :x

    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Sidney Sheldon e suas histórias que prendem o leitor, né? Gosto bastante. Até pouco tempo não conhecia realmente suas obras, mas apenas por intermédio do meu pai (que é super fã dos escritos dele e me criou falando sobre escritores desse tipo).

    Sua resenha ficou muito boa. Eu gostei. Confesso que parei de lê-la um pouquinho antes do final porque ainda não li esse livro e não quero saber de muitos detalhes antes da leitura, haha. Mas eu gostei bastante até a parte onde li.
    Bjo!

    http://miasodre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Tenho vários livros desse autor com as capas bem antigas, mas ainda não li nenhum...
    Espero gostar!
    Adorei sua resenha e seu blog também!
    Estou te seguindo!


    Beijos,
    #Resenha falada.

    ResponderExcluir
  19. Gostei bastante da resenha. Estou para ler esse e outros livros deste autor faz algum tempo, mas a falta de tempo tem atrapalhado. Espero conseguir ler logo, afinal todos falam muito bem dele.

    ResponderExcluir
  20. preciso ler algo do autor esse ano, já coloquei como meta, gostei muito da sua resenha, acho que vou me arriscar nesse kkk
    beijos
    Amy - Macchiato

    ResponderExcluir
  21. Faz muito tempo que não leio o Sheldon! Mas ele foi um dos primeiros autores "não juvenis" que comecei a ler, lá pelos meus 16/17 anos. Bateu até nostalgia haha

    Feliz Páscoa atrasado, mas de coração ^^

    ResponderExcluir
  22. Eu tenho vontade de ler algum livro do escritor, porque não conheço a escrita dele. Mas, levando-se em conta a sua dica de que este não é o melhor, vou pegar algum mais conhecido pra ler :)
    E parabéns pela primeira resenha oficial!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Passando para desejar um bom fim de semana para ti.

    Beijo

    ResponderExcluir
  24. Ainda não li, mas parece ser um livro ótimo!!!

    ResponderExcluir
  25. Olá,
    adoro Sidney Sheldon, já li vários livros dele: Se Houver Amanhã, Nada Dura para Sempre, Depois da Escuridão, Os Doze Mandamentos, O Estrangulador e A Perseguição.
    Espero ter a oportunidade de ler A Ira dos Anjos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Gostei bastante da sua resenha, animei a ler o livro. Vou comprar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  27. Olá,
    Parabéns pelo blog! Estou seguindo.
    Segue lá também..

    http://www.estanteseletiva.com/

    ResponderExcluir
  28. Nossa esse livro é muito bom, mas fiquei muito magoada com o final, poderia ter sido melhor.
    Não havia necessidade de Joshua morrer e ela não precisava necessariamente terminar sozinha.
    Lutou, Lutou e terminou aonde tinha começado sozinha e em Kelso.

    ResponderExcluir
  29. O livro "A ira dos Anjos" é mt bom, nossa e como é bom foi um dos melhores q eu já li, mas o final é frustante achei desnecessário da parte do Mr. Sheldon, o filho da Jennifer morrer, ela poderia ter ficado sem o Adam e sem o Michael, mas pelo menos com Joshua ela deveria ter ficado.
    resumindo ela terminou do jeito que começou, sozinha e de volta a Kelso.
    Mas fora isso eu amei, eu vivi o livro.
    Podem me chamar de louca, mas ri com a Jennifer, chorei com ela.
    realmente esse livro tocou em mim.

    ResponderExcluir
  30. Sou uma apaixonada pelas histórias do Sidney " O capricho dos deuses" li em dois dias não conseguia fechar o livro.E é sempre assim quando pego o livro dele para ler.
    A ira dos anjos não li ainda, mas vou lê-lo nessas férias.

    ResponderExcluir
  31. Oi adorei...muito obrigado...me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços.

    ResponderExcluir
  32. As personagens de Sheldon são carismáticas demais. É difícil escolher a melhor. Catherine, Jennifer, Paige e Lara são as minhas preferidas, mas as mulheres tem uma predileção pela Tracy de Se Houver Amanhã. No meu blog há um post sobre a sequência de Se Houver Amanhã que já gfoi lançada lá fora. Agradeço a visita desde já.

    http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/2014/07/chasing-tomorrow-tilly-bagshawea-traz.html

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?