04 fevereiro 2011

Amor é sempre amor

Amor. Ah, como é bom se apaixonar por alguém! Como é um bom sonhar, dormindo ou acordado, com a tal pessoa amada. Como é bom planejar o futuro ao lado dessa pessoa. Como é bom saber que ela estará com você sempre que você precisar de um abraço, de um beijo ou de um carinho. Ah, isso é muito lindo, não é?

(...)

Não, não é! - gritam os incorrespondidos.

Tudo bem, tudo bem. Esse primeiro parágrafo se refere aos que amam e são igualmente amados. Trata-se do amor correspondido. E o amor incorrespondido? É tão benéfico como o correspondido?

Não, não é! - berram, novamente, os incorrespondidos.

E eu digo que depende. É! Isso mesmo! Depende. Nós nascemos para amar. Sim, nós nascemos para amar, meus queridos amigos! O amor é que nos move, desde sempre e para sempre. O amor por uma causa, o amor pela arte, o amor por um esporte, o amor por qualquer coisa que nos chame a atenção e que de repente se torne a nossa paixão. E, obviamente, o amor por uma pessoa. Só que pessoas não escolhem a quem amar ou quando amar. O amor, como diz o poeta Drummond: "nasce não sei onde, vem não sei como e dói não sei porquê...".
Não sabemos ao certo o que nos faz gostar de outra pessoa. Pode ser o olhar, o sorriso, a voz, o jeito de andar, algum talento, como escrever, cantar, dançar ou poetizar. Mas não há razão específica, apenas colocamos a "culpa" em alguma coisa para que a coisa toda, ou seja, o amor, tenha algum sentido, alguma explicação, e isso graças à nossa mania de desvendar e justificar tudo, claro.
Como eu disse, não temos o poder de escolher a quem vamos amar. Amamos, simplesmente. E aí mora toda agonia. Será que seremos correspondidos? E se não formos, como será? Ah, sofreremos se "a recíproca não for verdadeira..."! Sim, sofreremos. Não vou ser hipócrita e dizer que não se sofre quando não se é correspondido. Muito pelo contrário, morremos de raiva de nós mesmos; nos perguntamos por que cargas d'água a tal pessoa não nos ama; o que é que pode existir de errado conosco; o que podemos fazer para tal pessoa nos amar; e outras indagações igualmente inúteis e bobas.
Não há porquê termos raiva de nós mesmos, não nesse sentido. É bobagem! Se estamos sendo sinceros nos atos e nas palavras dirigidas ao nosso ser amado, não há nada errado conosco. E é simples: se não somos amados, é pelo mesmo motivo pelo qual amamos - não existe razão. Não é como se a pessoa pensasse: "ah, fulano me ama... Que legal! Só de propósito não vou amá-lo, para que ele sofra feito um condenado". Não, não é assim, a não ser que a pessoa seja uma psicopata, o que já é outra história.
O nosso papel não é encontrar culpados para os amores que, aparentemente, não deram certo. Não é você que é burro, que ama sempre a pessoa errada. Não há burrice em amar, seja o amor correspondido, incorrespondido ou platônico. Amor é sempre amor. Se soubermos extrair o melhor de nossos amores, evoluiremos sempre. Um amor me despertou o desejo por certo estilo musical. Outro amor fez surgir a curiosidade e a paixão pelo mundo do cinema. Outro amor me fez ter fé em mim mesma. Outro amor me ajudou a ser mais forte. Outro amor me fez suspirar por poesia. Os amores que vivemos ao longo de nossas vidas nos mudam, nos moldam, nos melhoram.
Se ser você não basta para que a outra pessoa te ame, então mude o foco do amor: tente ser amigo dessa pessoa. Continue amando-a, admirando-a e colhendo o que de melhor esse amor-amigo pode te dar.
O que não pode acontecer é deixar o amor, tão puro e bonito, transforma-se em ódio, em amargura, em dor.
E num belo dia, imprevisível dia!, amaremos alguém que nos amará também. E nos amará com a mesma veracidade que nós o amaremos. É só não esperar. Deixar apenas acontecer... Apenas acontecer! Porque o amor é assim, ele acontece.

(Erica Ferro)


*Pauta para a 123ª semana do Blorkutando.



* * *
Hey, amigos! Como vão?
E, de novo, demorei a "dar as caras" por aqui. Se acostumem, porque a Ericona desaprendeu o que nem sabia - escrever.
Mas eu fiz um trato comigo mesma: escrever com mais frequência. Escrever as "impressões" do meu dia aqui. De um modo humorístico, reflexivo ou pseudo-poético.
Vejamos se eu cumpro esse trato, sim?
E sobre o texto, estava com muita vontade de escrever sobre esse tema. É algo que queria falar há muito tempo, mas acho que faltou alguma coisa nesse post. Eu queria dizer mais, muito mais; porém o sono não me deixa.
Fico por aqui, blogueiros.
Até um dia.
Um abraço!

57 comentários:

  1. Taí um tema que dá pano pra manga. Há sempre muito o que dizer porque falando de amor sempre falaremos de algo intenso, sem razões, sem escolhas.
    Quem dera esse sentimento sempre fosse causa de satisfação. Mas como você disse, depende de muitas coisas. Pessoas não são previsíveis, sentimentos tampouco o são. E sentimentos por pessoas, muito menos.
    Mas ainda acredito que vale a pena se arriscar quando o amor bate à porta e, mesmo com medo, vale a pena abri-la.

    Estava com saudades dos teus textos, de verdade, sempre me fazem pensar sobre uma cacetada de coisas. Ericona sempre arrebentando a boca do balão, heim? rs

    Boa sorte com o Bk!

    ResponderExcluir
  2. Já me aprisionei há tantos anos com esse sentimento cá dentro que não sei se é amor ou obsessão... Uma linha tênue que separa o amor de outro tantos sentimentos.
    É confuso e doloroso, mas é o que pode mover o mundo para melhor.

    Sobre o meu comentário no twitter: nunca havia pensando que há o incorrespondido e o platônico, para mim até então eram a mesma coisa e não o são! Eureca, Erica. rs

    Adoro a forma como escreve, com humor e tão bem; sua linha de raciocínio escrita é como numa conversa, flui.
    Beijos! Já ganhou... (:

    ResponderExcluir
  3. "Nós nascemos para amar."

    É isso mesmo! O amor é importante. É combustível! Já aprendi e aprendo muito com o sentimento nobre.

    Já tive amores platônicos, e os não correspondidos. E digo uma coisa: Doeu, chorei, superei, caminhei!

    Desistir de amar?! Não mesmo!

    Como você disse: "Nascemos para amar!.


    Erica, meu bem!
    Lindo texto! Amei te ler.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá moça tudo bem? Ja te disse que gosto da sua escrita? Hum se ja disse desculpe a repetição(rs).Erica posso tomar a libertade par convida-la a fazer parte da revista perspectiva?Diz que sim?Bom como não tenho seu email faço por aqui mesmo(rs).
    O tema para a edição de março e ao olhar para o calendário, lembrei-me que é no mês de março que comemoramos o “dia internacional da mulher”. Logo: pensei no quão significativo seria abordar esse tema, afinal, nos permite voar muito além de nós mesmos, abrindo mão de preceitos e conceitos. Isso se cada um de nós nos permitir de fato um olhar mais adiante, onde o que de fato importa é o elemento, a composição. Podendo ser masculino ou feminino.
    Por essa razão, pensei em "paralelos".

    O convite está feito.
    Você pode participar com sugestões, dicas ou com a sua arte…

    A revista terá os seguintes espaços:

    04 contos
    08 poemas
    01 entrevista
    02 artigos
    02 matérias
    03 colunas

    O material deve ser enviado em Word – fonte garamond 12, com dados pessoais para contato e mini biografia. O material não precisa ser inédito e deve ser enviado até o dia 18 de fevereiro de 2011 para lunnaguedes@gmail.com. Sendo que o dead line ocorrerá no dia 25 de fevereiro de 2011.

    Se desejar mais informações aqui tem:
    Blog.
    www.francysoliva.blogspot.com

    Se não conhece a Revista Perspectiva é só clicar aqui:

    http://www.bookess.com/read/6151-revista-perspectivas-novembro-2010/
    Sei sei esta em cima, mas, não resisti.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Ah, Ericona... Não sei não, viu? Acho que depende muito de como você ama platônicamente. Tem gente que se enche de ilusões e faz questão de sofrer pela pessoa amada até ela se tornar odiada. Acho que amar a gente deve amar a todas as pessoas. Ser loucamente apaixonado já são outros 500. Não que isso seja controlável, mas às vezes somos nós quem escolhemos martirizar o pobrezinho (do coração).

    Bjus bjus!

    ResponderExcluir
  6. Ei, você me ama? Então porque não responde aos meus tweets? O que eu te fiz? #VouMeMatar
    kkkkkkkkkkkkkkkkk

    a loucura tbm é uma característica dos desiludidos. Enfim, gostei do texto e simplesmente concordo com tudo. O amor pra ser amor não necessariamente tem que ser recíproco, se fosse assim, ele seria egoísta, e sendo egoísta não seria amor.

    ResponderExcluir
  7. Belo texto, Ferro!

    Mas meu comentário vai diretamente pro final: "É só não esperar. Deixar apenas acontecer..." Não esperar, não procurar. Acho que sofrem de uma carência desesperada por atenção as pessoas que vivem atrás de um namoro, mesmo que o último tenha terminado na semana anterior, elas simplesmente não conseguem ficar sozinhas. Mein Gott! Se elas não se suportam, quem as suportará?

    O ser humano, que é tão egoísta, não consegue gostar de si mesmo. É egoísta apenas no ato de possuir, não em autoaceitação. Claro, há uma grande diferença em gostar de si mesmo e ser egocêntrico, egocentrismo é extremo, extremos nunca são bons. Eu ficaria dias falando nisso, mas é desnecessário especialmente porque provavelmente já falamos nisso, então pra terminar meu comentário, versos do meu amado-querido-idolatrado Roger Moreira, sempre genial:

    "Agora eu tenho uma razão pra viver
    Agora eu posso até gostar de você
    Completamente eu vou poder me entregar
    É bem melhor você sabendo se amar"


    ("Eu me amo" - Ultraje a Rigor)

    ResponderExcluir
  8. Minha cara, acho que o amor é amor independente de ser correspondido ou não. A gente ama o tempo todo, só acho que nem sempre se dá conta disso. Acho que o problema todo está nas interpretações. O amor não é egoísta e tão pouco imaturo, nós somos e sofremos porque não tentamos ser diferentes disso. sei lá, essa é a minha opinião. Depende mesmo, como você bem disse. Depende de nós, do nosso amadurecimento e da nossa capacidade de superação.
    Adorei seu texto
    bacio carissima

    ResponderExcluir
  9. Texto lindo, inteligente e bem estruturado Erica, algo dignamente seu.
    Muito belo, e totalmente lógico.
    Pena que a dor real ainda supera mais a dor que, no papel, parece mais simples :s
    Mas você tem razão. Acho que vou parar de me odiar por "amar coisas erradas".
    Haha, adoro isso <3
    Beijos e queijos para minha velha amiga da blogosfera, que sempre terá TODA minha admiração.
    Você tem futuro, não se esqueça!

    ResponderExcluir
  10. Amor, amor, amor... a força que nos move!
    Nada como amar e ser amado!
    Se não é correspondido, ahh tenta, vai atrás e se mesmo assim não surtir efeito, as vezes não era pra ser... mas tudo pode acontecer!

    Agora, que um dia vai acontecer... isso é inquestionável!

    Gostei dos teus escritos Erica!
    Seguindo-te!

    http://wwwautenticidade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. É como você disse o amor e a não correspondência do mesmo, não tem razão.
    É um sentimentozinho que todos procuramos e quando o temos dá uma agonia boa, as vezes ruim..
    O fato é que temos que aproveitar as agonias boas que o amor nos concede e as ruinzinhas deixar de lição!

    ResponderExcluir
  12. o amor acontece...
    ainda bem...

    você é especialmente incrível...

    beijoca

    ResponderExcluir
  13. Não é impossivel se abster desse sentimento danado! Mesmo sofrendo, e olha que já sofri horrores, ja emburrei, prequejei e jurei nunca mais amar! Mas cá estou, amando e sendo amada!
    Acho íncrivel essa coisa da vida, de conseguir amar a mesma pessoa que te ama.. sei lá, é uma probabilidade que deveria ser estudada, rs

    ResponderExcluir
  14. Mas sabe, Erica, é tão difícil não deixar o amor virar ódio, uma vez que pelo menos para mim, são coisas tão parecidas em intensidade! É um controle que ainda não tenho... mas a experiência vinda aos poucos deve melhorar isso, não deve?
    Suas palavras são lindas! Saudades daqui, menina! Te adoro! Beijooos!

    ResponderExcluir
  15. Erica, tem 2 selos pra vc lá no blog.
    http://evelynesefarad.blogspot.com/p/selos.html

    ResponderExcluir
  16. Boa tardee..
    Tem selinhos pra você no meu blog.
    http://jaynnesantos.blogspot.com/2011/02/selinhos.html
    Beijos;

    ResponderExcluir
  17. oi, eu estive lendo seus textos e devo confessar que me identifiquei muito
    adorei
    te sigo
    me visita e segue?
    http://rgqueen.blogspot.com/
    bjos, é maravilhoso como escreve.

    ResponderExcluir
  18. O amor é complicadissímo de se descrever. Depende da pessoa ele se manifesta diferente, trata diferente.. ele as vezes é uma montanha russa, e as vezes um balão a pairar.. na verdade basta sentir..

    ResponderExcluir
  19. Concordo com tudo, mas acho que preciso mesmo ficar com um pouco de raiva de mim porque EU NÃO ESTOU SENDO SINCERA!
    É mais fácil pesar as coisas boas que um amor não correspondido nos trouxe quando ele foi embora, porque durante... ficamos tão enlouquecidos que só é possível ficar gritando que não, o amor não é lindo.
    Mas depois que passa a gente volta atrás, porque sim, ele é lindo.
    :*

    ResponderExcluir
  20. Tem um questionário pra você no meu blog.
    Passa lá quando puder.
    Beijos;

    ResponderExcluir
  21. Tem selinho pra você

    http://cheirodesegredo.blogspot.com/p/selos.html

    ResponderExcluir
  22. O amor pode ser mais complexo do que imaginamos, sabe. Me dá um nó nas ideias quando tendo exemplificar o sentimento e demonstrar que existem diversas formas de senti-lo. No fundo, acho que ninguém consegue...
    Mas você expressou muito bem o que eu, muitas vezes, também penso. Isso é muito válido :)

    ResponderExcluir
  23. AH! Que saudades daqui, mesmo!
    Adorei o "discurso" hihi, imaginei você, com um microfone falando tudo isso, que não é mais que a pura verdade. Amor é isso, querendo ou não, é ele quem nos move - em muitas coisas. rs

    ResponderExcluir
  24. É assim mesmo, Erica! Levei anos pra perceber isso que você, bem mais jovem, já percebeu. Ótimo, vai te evitar muito sofrimento vida afora. É um post, digamos, educativo. E bem detalhado. Gostei muito!
    E um bjooo!!!

    ResponderExcluir
  25. Um texto com grandes verdades. É difícil aceitar em certos momentos a realidade do amor, as coisas não acontecem como queremos. Concordando ou não com os motivos do outro para não corresponder o amor...
    O amor é assim, ele acontece, seja pela maneira como a pessoa segura sua mão, ou pela forma que arruma o cabelo, ou como os olhos enchem de lágrimas quando falamos algo bonito. É amor...

    Ótimo texto!


    Beijo!

    ResponderExcluir
  26. Aeee, mais um para o Blor! E espero que vença, porque o texto está show de bola.
    Me lembrou o estilo do Nicholas Sparks escrevendo, juro. E ele é um dos maiores romancistas atuais, a maioria das obras dele viraram filme, e filmes incríveis e melosos, bem do jeitinho apaixonado.
    Você tem razão, em partes. E tem daqueles que desacreditam do amor, e creio eu que estou entrando pra esse time realista. O amor não se vê, e nos somos tão carentes da recíprocidade que se não formos amados, então não vale a pena amar. Principalmente pra mim, que já amei, fui amada e acabou. Acabou... e eu esperava que não tivesse fim.
    O amor brinca de esconde-esconde com a gente, e até agora pra mim ele não deu as caras. Deve estar esperando eu virar as costas pra correr pro pique, e BUM salvar a própria vida e entrar no meu coração.
    Daí não tem volta, né? Já era.

    Beijo grande Erica.
    Mil carinhos pra ti.
    Ótima semana e boa sorte no Blorkutando!

    ResponderExcluir
  27. Lindo, lindo. Eu também acho que amor sempre engrandece, por mais que doa. Lembro de uma cena de laços de família, onde Tony Ramos diz pra filha que entre amar e não ser amado ou ser amado e não amar, ele prefere amar sem ser amado, porque amar é maravilhoso, amar engrandece a alma.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Erica, Erica.

    Escrever sobre o amor não é fácil sabia? Minha meta como "escritor" é descrever as coisas de uma forma tão generalizada a ponto de todos que leem conseguirem se enxergar no texto. Ter suas opiniões e verdades totalmente expostas por um texto escrito por mim. Quanta ganância, não? Mas é o que senti nesse texto. Tu generaliza tanto o sentimento que parece a coisa mais normal do mundo falar sobre tal sentimento. O mais nobre de todos, o amor. Mas é assim que os grandes escritores se destacam na multidão das letras. Facilitando o que parece impossível com palavras que mexem com quem lê.

    Eu AMO o que você escreve querida,

    Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Parece brincadeira como você consegue lidar com as palavras falando de amor. Sou fã! Mesmo o amor incompreendido, que dói tanto, soa como música nas suas palavras! Adorei, Ericona!

    Beijo :*

    ResponderExcluir
  30. Que texto mais gostoso de se ler. E sabe, xará, Freud não concordaria com você: escolhemos sim, por quem nos apaixonamos.


    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Falar de amor é sempre complicado, sempre da o que falar, sempre temos muito o que falar sobre ele, as nossas teorias sobre o amor, nossas crenças quando se diz a respeito dele. É verdade, amor quando não é correspondido doi muito e com isso vem a raiva. Dificil tornar-se amiga quando as coisas são assim, tudo bem não é impossivel, mas não é a melhor coisa que inventaram como outro "caminho".
    Acho que todos temos o direito de amar um pessoa sem medo, sentir raiva sem medo e chorar por não receber um "eu te amo" de volta, mas isso faz parte da vida. Precisamos passar por essas coisas, até que vamos achar a pessoa certa que seja incrível e nos faça delirar num mundo incrível.

    AMEEEI *-*

    ResponderExcluir
  32. Ameei, adoro ler sobre amor, e ainda sobre as possíveis desistências, onipresenças, insistências, incoerências e afins.

    E sim, concordo, mais por conforto do que por crença que um dia todos hão de encontrar alguém que os preencha e fortaleça, mas enquanto não chega pra mim, me contento com os suspiros de amor que me causam suas palavras.

    Beijos

    ResponderExcluir
  33. Olá, qta belez em seu blog, felicidade e abraços

    ResponderExcluir
  34. Falar de amor é complicado pra mim....raramente sou correspondido mas ainda acredito em encontrar um grande amor.
    Belo texto.
    Beijos e um otimo fim de semana.
    ................................
    RIMAS DO PRETO

    ResponderExcluir
  35. Nascemos para amar e sermos amados. Amamos muitas coisas e pessoas e nessa caminhada um dia encontramos a pessoa que vai nos amar igualmente.
    Beijos texto incrível.

    ResponderExcluir
  36. Atualmente estou tirando férias do amor...
    Hehehe...
    Portanto...
    Não sou a melhor pessoa pra falar sobre esse sentimento...
    Não agora...
    Belo texto!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  37. Falar de amor abre horizontes. Em todos os sentidos. é o que dá continuidade e razão ao existir do universo (do que tem essa qualidade), do que abarca Tudo.
    vc tem razão: o amor é Tudo. E mais um pouco...
    Nele tudo se desenvolve, se (re)conhece, frutifica, se liberta, e liberta.
    Seu contrario, é o medo.

    Falou com seu coração, que aliás é um caminho bom de se seguir, o do coração. Nele há sentimentos, a linguagem de Deus.

    Onde está aquela que é o meu amor? Aqui, aí, ali.
    Hoje, considero que o meu amor é aquela que ama, que se deixa iluminar por este sentimento. Todos nos iluminamos por pessoas que amam.
    Não há egoísmo no amor, quem ama não domina, não usa. Quem ama descobre, se descobre.
    Amar é se descobrir, é ser verdadeiro.

    Um bom tema, quando abordado da maneira como o abordou: com delicadeza, humanidade, e sentimento.

    Muito legal! Muito bom ouví-la.

    Abrçs!

    ResponderExcluir
  38. Ferro, a cada dia que passa mais os seus textos me cativam. Adorei a participação dos "incorrespondidos" - incrível. Concordo com tudo o que você disse e não tenho o que acrescentar, você tirou as palavras da minha mente.
    Sério, digno de uma revista esse texto. (:
    Beijos, a vizinha.

    ResponderExcluir
  39. Oi twitteira com quem eu mais converso!
    Tah, sou incompreendida no amor, mas ainda acredito. Ainda vale à pena acreditar.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  40. Eu adoro falar mal do amor e depois fazer as pazes com ele. Aos poucos eu estou começando a entendê-lo. O amor não faz nada, o amor simplesmente é. E a gente tem que parar de insistir que ele venha passar um tempo em nossas casas, quando ele não puder. GRRRR hahahaha
    E eu sempre achando, que no fim das contas, o amor é tudo que vale a pena. Seja pelo que for.

    beijo ericona

    ResponderExcluir
  41. Adorei o seu blog. Estou seguindo você no twitter também. Parabéns. Amor é sempre amor, não deixa nunca de ser o sentimento mais bonito que existe. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  42. Acho que amor é uma das coisas mais complicadas porque a gente sempre espera alguma coisa do outro, quer que ele corresponda na mesma intensidade, cria mil expectativas e bem, nem sempre somos correspondidos como achamos que merecemos, então, vem as frustrações, e aquele sentimento lindo, que deixava a vida colorida, leve, bonita, acaba! Vem a decepção, tristeza, separação e blablabla. A gente não sabe se relacionar sem esperar algo em troca, e esse é o grande erro.

    Malditos sentimentos.. rs

    Beijos

    ResponderExcluir
  43. Sabe, amor é um trem complicado demais, por não ser dada a romantismo e tal eu não acredito muito nisso, sou muito mais racional.

    ResponderExcluir
  44. Olá Érica!
    Vi o seu comentário no blog da Dri, gostei e vim conhecer o seu espaço. Seus textos são muito bem escritos, com inteligência e humanismo, conquistaram-me!Estarei sempre passando por aqui!
    Bj
    Adri

    ResponderExcluir
  45. Adorei o texto e me fez pensar um pouco nas minhas desventuras amorosas.
    Infelizmente nem sempre se é correspondido, mas tudo tem um motivo, e de fato não adianta esperar o amor pq até parece que ele faz birra para não aparecer quando se esta esperando. bjus

    ResponderExcluir
  46. Amor, amor, amor... dizem que o amor move montanhas, né Ericona? De qualquer maneira, amar enobrece a alma e o espírito, toda forma de amor é válida, não importa qual seja.
    E, se pararmos para refletir, quando amor se transforma tão facilmente em um sentimento ruim, talvez não seja amor e sim obsessão.

    Saudades de cantar Jay Vaquer no twitter com você ;*

    p.s- voltando - finalmente - à blogosfera.

    ResponderExcluir
  47. Belas palavras sacudidas em uma linha finíssima de emoções e sentimentalismo. Belo texto, querida. Gostei muito do que encontrei por aqui em seu blog. No entanto já estou a seguir e, de fato, pretendo vir aqui mais vezes.

    O "sacudindo palavras" já está na minha lista de blogues que eu indico à meus lindos e queridos seguidores e eu espero que não haja problemas quanto à isto.

    Bom, logo menos apareço aqui para apreciar mais gotinhas de amor, porque neste textos todas elas me deixaram saudades (:

    Com amor,
    Cynthia *

    ResponderExcluir
  48. Não consigo ver possibilidade de alguém que é amado de verdade e na prática por quem ama sem ter intensa e constante satisfação dentro de si, independente das outras circunstâncias do ambiente.

    Mas... a vida é mais que isso, pelo menos, é o que penso.

    :P

    ResponderExcluir
  49. Pois é,cada um vê o amor de uma forma. Sonho ou pesadelo,ele existe. E não se deixa ser ignorado...

    ResponderExcluir
  50. - Não, não é!
    (Gritei junto meeesmo! E ainda tô gritando! UAHAHUHAUUAUHAUHUAH')

    O texto tá lindo, como todos os outros que vc escreve, mas ultimamente, se for pra acreditar em alguma coisa que não existe, feito o amor, prefiro acreditar no coelhinho da páscoa, ao menos ganho chocolate! MUAHAHAHAH'


    :*

    ResponderExcluir
  51. Adorei teu blog,
    estou seguindo aqui!
    visita o meu e se gostar,
    siga! Um beijo.

    livreelouca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  52. Olá Erica, como vai? Eu sumi por um tempo, cansei do meu outro blog e dei um fim nele... hahaha. Agora estou devolta e me lembrei do seu blog...
    Passei aqui pra fazer uma propaganda. Novo blog, novos assuntos...
    abraço t+

    ResponderExcluir
  53. Amor.. Amor..
    Como explicar?
    Ou, melhor: como entender?
    Impossível, apenas sente-se.

    ResponderExcluir
  54. Hoje venho apenas desejar-lhe

    bom carnaval!

    Bjs

    ResponderExcluir

Fico feliz que tenha visitado o Sacudindo Palavras! Sempre que sentir saudade, volte. Será muito bem-vindo (a).

E então, quais as palavras que você irá sacudir?